Publicidade

Volante

VolanteHamilton2016Quando Galvão Bueno, nas transmissões da TV Globo, diz que um piloto está levando o carro “na ponta dos dedos”, não está usando apenas uma figura de retórica. É, realmente, com a ponta dos dedos, apertando os botões do volante que os pilotos da Fórmula 1 controlam o carro, fazem manobras, comunicam-se com a equipe e têm acesso de centenas de informações.

Até o início dos anos 1990, o volante de um carro da Fórmula 1 era praticamente igual dos demais automóveis: redondo, liso e ligado ao à barra de direção por uma placa de metal. Tinha apenas três botões: um para colocar o carro em ponto morto; outro para liberar a sua bebida de bordo e um terceiro para comunicação pelo rádio. O piloto só tinha que se preocupar com a velocidade e precisão das manobras.

Volante Ferrari2016O volante começou a mudar com o desenvolvimento da tecnologia e a liberação da eletrônica. A primeira inovação foi feita ainda no final dos anos1990, quando John Barnard, da McLaren, introduziu um sistema que permitia a Nigel Mansel mudar de marcha sem tirar a mão do volante. Depois, substituiu também o pedal da embreagem por uma tecla.

A partir daí, o volante mudou até de aparência, assumindo vários formatos. E ganhou mais de uma dezena de botões.  Ele passou a funcionar como uma central de operações, através da qual o piloto comanda a quase totalidade das manobras na pista e pode até alterar o acerto do carro a 300 km/h. O piloto pode mudar o acerto do diferencial, alterar a distribuição da força dos freios ou limitar o consumo de combustível.

Para isso, ele usa os botões e comandos dispostos no volante e identificados por cores diferentes ou letras. O complexo painel exige até um manual para que o piloto se familiarize com as operações a serem realizadas. Alguns deles, como Jarno Trulli, por exemplo, personalizam seu volante, adicionando funções que considerem úteis e de acordo com o formato e quantidade de teclas disponíveis. Trulli diz que usa seu volante de maneira instintiva, mais ou menos como um pianista que saber de cor a peça do seu concerto. “Ele simplesmente toca; eu simplesmente dirijo”, diz o piloto.

O volante da McLaren

O volante da McLaren

O volante dos carros de 2011 tinha 4 borboletas para trocas de marchas e mais 22 botões de comando (numeração só para facilitar o entendimento)::

  1.  – N- para ponto morto ou marcha à ré
  2.  – PC – para o piloto confirmar que ouviu as instruções ou mensagens doa engenheiros
  3.  – Talk –liga o rádio de comunicação
  4.  –  10 –  liga e desliga sensores ou funções
  5.  – SC – apaga a informação sobre o tempo de volta a ser obedecido com o Safety Car na pista
  6.  –  Drink –  bombeia bebida para o piloto
  7.  –  Pit – controla a velocidade para entrada nos boxes
  8.  –  Wing – coloca a asa traseira em posição que reduz arrasto aerodinâmico
  9.  – ACK – confirma mudanças de funções feitas pelo piloto
  10.  – 1+ – muda índice das funções do piloto
  11.  – Oil – controla transferência de óleo do tanque auxiliar para o principal
  12.  – BPF – ativa a função do sensor que indica ponto de mudança de marcha
  13.  – Kers (botão vermelho) – ativa o Kers
  14.  –  MID – modifica o torque no diferencial, quando o piloto alivia o freino na entrada de curva
  15.  – Exit – modifica o torque, conforme o piloto acelara na saída da curva
  16.  – Entry – modifica o torque quando o piloto breca na entrada da curva
  17.  – Mix – modifica a mistura de ar e combustível
  18.  – EB – modifica o torque do motor na frenagem
  19.  – MFS – botão multifuncional
  20.  – RPM – usado para programa comportamento do motor
  21.  – Clutch –  modifica ponto de ativação da embreagem para troca de marcha
  22.  –  Tyres – indica o tipo de pneu usado

O volante é fabricado com metais leves, como fibra de carbono, alumínio, titânio e também aço, borracha e plástico. Pesa em torno de 1,3 kg e tem, em geral, 120 componentes. Cada peça custa uma fortuna e leva 100 horas para ser fabricado. Cada piloto recebe cinco volantes por temporada, três para corridas e dois para testes.

sauber

O volante da Sauber de 2013

Uma comparação entre volantes de 2013:

O painel da McLaren

Em 2014, a McLaren passou a fornecer a várias equipes um novo volante com mostrador LCD, como parte do pacote da Unidade de Controle Eletrônico (ECU). Em vez de vários botões, o novo volante tem um display digital, com visualização mais fácil e todas as informações para acompanhar o desempenho e explorar todos os recursos do carro. Na tela, luzes indicam o momento da troca de marcha e gráficos mostram o comportamento de equipamentos.

Volante

O volante da Toro Rosso para 2014

Veja aqui a tela do novo volante durante a corrida: