Safety Car

O safety car ou carro de segurança é um carro que entra na pista para limitar a velocidade dos pilotos em caso de acidentes ou obstrução da pista. Nesses casos, ele se posiciona à frente do líder da corrida e todos os carros devem manter as respectivas posições, não podendo fazer ultrapassagens.

O safety car foi usado pela primeira vez nas 500 milhas de Indianápolis, em 1911, e na Fórmula 1 foi usado pela primeira vez no GP do Canadá de 1973 e introduzido oficialmente em 1993, depois e uma série de acidentes e incidentes durante corridas.  O acidente mais grave aconteceu no GP da Holanda, em Zandvoort, onde, durante várias voltas, os pilotos dirigiram em meio a uma cortina de fumaça e com meia pista coberta pelo pó dos extintores e incêndio, enquanto David Purley tentava, em vão, salvar a vida de Roger Williamson. O primeiro safety car foi um Fiat Tempra, usado no GP do Brasil e no GP da Inglaterra desse ano.

O safety car tem luzes laranja e verdes numa barra montada sobre seu teto. A luz verde autoriza os carros entre o SC e o líder da corrida a passar, em velocidade reduzida e sem ultrapassagem, até alcançar a fila de carros atrás do carro de segurança.  As luzes laranja são acesas assim que o líder seja o primeiro carro atrás do safety car. O motorista do safety car deve manter uma velocidade que mantenha o aquecimento dos pneus e evitem o superaquecimento dos motores.

Desde 2007, todos os carros têm um sinal luminoso no volante para indicar que bandeira está sendo acenada. Um sinal amarelo indica que o SC foi acionado.  Liberada a pista, depois de aviso luminoso com uma volta de antecedência, o safety car deixa a pista e a corrida pode ser retomada. A pit lane é fechada logo após a entrada do safety car e os carros só podem ir para os boxes depois que todos estejam alinhados atrás dele e na entrada da pit apareça o aviso luminoso “pit lane aberta”. Quem for para o box antes desse aviso, recebe punição de 10 segundos, o chamado stop&go; quem já estiver na pit Lane no momento da entrada do safety car não recebe punição.  Um software indica a posição do carro na pista e se ele obedeceu ou não a sinalização.

Quando o safety car e os demais carros passam pela linha de chegada, acende-se uma luz vermelha na saída da pit lane e o piloto que passar por ela é desclassificado. Isso já aconteceu com Giancarlo Fisichella e Felipe Massa, em 2007, no GP do Canadá, e na mesma corrida, no ano seguinte, Lewis Hamilton não percebeu a sinalização e bateu na traseira de Kimi Raikkonen, que esperava a luz se apagar, atrás de Robert Kubica. A partir de 2012, os carros podem voltar à pista antes de a corrida recomeçar, o que não acontecia até então.

A participação do safety car é disciplinada pelo artigo 40 do Regulamento Esportivo da FIA, que, em 16 itens, em resumo, e em tradução livre, determina o seguinte:

  • O safety car será dirigido por um motorista designado pela FIA e levará um observador capaz de reconhecer todos os carros concorrentes e deve estar em contato permanente pelo rádio com o controle da corrida;
  • Ao faltarem 30 minutos para a volta de apresentação, o safety car deve se colocar à frente do grid, ali permanecendo até o sinal de cinco minutos para o início da volta. Em certas circunstâncias a corrida pode começar atrás do safety car;
  • O safety car só poderá ser acionado pelo Diretor da Prova e se os competidores ou funcionários estejam em perigo físico imediato, mas não em situação que exija a suspensão da corrida;
  • Quando é dada a ordem para a entrada do safety car, uma mensagem dizendo “Safety Car Deployd” (Carro de Segurança Acionado) será exibida nos monitores e os fiscais de pista devem exibir e acionar bandeiras amarelas com a inscrição “SC” durante toda a presença do carro na pista;
  • Nenhum carro pode ser conduzido lentamente sem necessidade, de forma errática ou de modo que pode ser considerado perigoso para os outros competidores ou qualquer outra pessoa, a qualquer momento, enquanto o safety car estiver na pista. Isso se aplica quer o carro esteja na pista, na entrada dos boxes ou na pit lane;   
  • O safety car entra na pista com as luzes laranja acesas, independentemente da localização do líder da corrida;  
  • Todos os carros devem reduzir a velocidade e formar fila atrás do safety car, a uma distância  não superior ao comprimento de 10 carros um do outro;
  •  Nenhum carro pode ultrapassar outro na pista, inclusive o safety car, a não ser quando passe pela linha do safety car, quando este esteja retornando aos boxes; excepcionalmente ele pode ultrapassar se receber sinalização do safety car autorizando ou se outro carro estiver mais lento por  motivos óbvios;
  • Quando autorizado pelo diretor de prova, o observador da FIA usa uma luz verde para sinalizar aos carros que estão entre o safety car e o líder que eles devem passar e continuar em velocidade reduzida, sem ultrapassagens, até alcançar a fila atrás do safety car;
  • O safety car deve permanecer na pista pelo menos até que o líder da corrida esteja atrás dele e todos os demais competidores estiverem atrás do líder. O líder deve manter-se a pelo menos o comprimento de dez carros atrás do safety car;
  • Em determinadas circunstâncias, o diretor de prova pode pedir que o  safety car use a pit lane e, nesse caso, as luzes alaranjadas devem permanecer acesas e  todos os carros devem segui-lo, sem ultrapassagens;  qualquer carro que entrar na pit lane nessas condições pode parar na área de sua garagem para trocar pneus, mas não pode entrar no box;
  • Se o diretor de prova considera seguro fazê-lo, uma mensagem “Carros atrasados podem ultrapassar agora” é mostrada no sistema oficial de mensagens, para restabelecer a ordem dos carros. mas quando ele considera que as condições da pista não são adequadas, exibe a mensagem de “Ultrapassagens não são permitidas”.
  • Quando o diretor de prova decidir que é seguro chamar o carro de segurança, a mensagem “Safety car na próxima volta” é exibida no sistema oficial de mensagens. Quando o safety car se aproxima da entrada da pit lane, as bandeiras amarelas e as placas de SC são substituídas por bandeiras verdes e sinal luminoso verde na linha de chegada.
  • Cada volta completada com o safety car na pista é contada como uma volta do total da corrida;
  • Se o safety car é acionado no início ou durante a última volta, ao final dela ele entrará na pit lane e os carros receberão a bandeira quadriculada, sem ultrapassagens;

Em certas circunstâncias, a corrida pode ser iniciada ou retomada atrás do safety car. Em ambos os casos, ao sinal de 10 minutos, as luzes laranja são acesas, indicando aos pilotos que a corrida será iniciada (ou reiniciada) atrás do safety car. Ao mesmo tempo, uma mensagem confirmando essa situação é exibida nos sistema oficial de mensagens. Quando as luzes verdes se acendem, o safety car  deixa o grid e todos os carros devem seguir na ordem de largada, a não mais da distância correspondente a dez carros um do outro, e devem respeitar o limite de velocidade  da pit lane. No início da corrida com o safety car na pista, não há volta de apresentação e a corrida começa quando as luzes verdes se acendem.

A ultrapassagem é permitida se um carro se atrasa ao deixar o grid ou quando mais de um carro larga da pit lane e um deles está visivelmente atrasado. Em ambos os casos, os pilotos deem ultrapassar somente para restabelecer a ordem de largada ou a ordem dos carros na saída da pit quando a corridas foi iniciada. Qualquer carro atrasado de uma ou outra maneira que é incapaz de restabelecer a ordem original de largada antes de atingir a primeira linha do safety car deve ir para a pit lane e só pode participar da corrida  depois que todos os outros passem pelo fim dela