Pneus: Regulamento

Pirellie pneusOs pneus são objeto do artigo 25 do Regulamento Esportivo da Fórmula 1, da FIA, publicado no dia 8 de março de 2011. A íntegra do artigo, em tradução livre, é seguinte:

25) – FORNECIMENTO DE PNEUS, NO CAMPEONATO E LIMITAÇÃO DE PNEU DURANTE O EVENTO

25.1 – Fornecimento de pneus:

Uma única fabricante de pneus foi escolhida pela FIA para as temporadas de 2011, 2012 e 2013, em seguida a um convite para apresentação de propostas para fornecimento de pneus para todos os carros inscritos nos Eventos do campeonato, durante o período dessas temporadas. Uma única fabricante de pneus será escolhida pela FIA para as temporadas seguintes, na sequencia de um convite à apresentação de propostas para fornecimento de pneus para todos os carros inscritos nos Eventos do campeonato do ano seguinte.

O fornecedor de pneus designado deve comprometer-se a fornecer:

– Duas especificações de pneus para pista molhada em cada Evento, cada um dos quais deve ter um composto homogêneo e visivelmente distinguível um do outro quando o carro estiver na pista. Em certos Eventos, uma especificação adicional de pneu para clima seco pode ser disponibilizada a todas as equipes, para efeito de avaliação, em seguida a uma recomendação à FIA do fornecedor de pneus. As equipes serão informadas sobre essa especificação adicional pelo menos uma semana antes da largada do respectivo Evento.

– Uma especificação de pneus intermediários a cada Evento, que deve ser de um composto homogêneo

– Uma especificação de pneus para pista molhada para cada Evento, que dever um composto homogêneo

25.2 – Quantidade de pneus

a) – Exceto sob o item c, abaixo, durante o Evento nenhum piloto pode usar mais de 11 jogos de pneus para pista seca (6 da especificação “prime” {principal} e 5 da especificação “opcional”), 4 jogos de pneus intermediários e 3 conjuntos de pneus para pista molhada.

b) – Um jogo de pneus deverá compreender dois pneus dianteiros e dois traseiros, todos da mesma especificação

c) – Em seguida a uma recomendação à FIA pelo fornecedor de pneus designado, um conjunto adicional de especificação “prime” pode ser colocado à disposição de todos os pilotos. As equipes serão informadas sobre esse conjunto adicional pelo menos uma semana antes da largada do Evento em causa.

25.3 – Controle de pneus:

a) – As laterais de todos os pneus que serão usados em um Evento devem ser marcadas com uma única identificação

b) – A não ser em casos de força maior (aceitos como tal pelos comissários do evento), todos os pneus a serem usados em um Evento devem ser apresentados ao delegado técnico da FIA para avaliação, antes da verificação inicial

c) – A qualquer momento durante um Evento, e a seu absoluto critério, o delegado técnico da FIA pode escolher pneus para pista seca alternativos para serem usados por qualquer equipe ou piloto do estoque de pneus que o fornecedor designado tenha apresentado no Evento

d) Um competidor que deseje substituir um pneu não usado por outro por outro idêntico não utilizado deve apresentar ambos os pneus ao delegado técnico da FIA

e) – O uso de pneus sem identificação adequada pode causar uma penalidade de posição no grid ou exclusão da corrida

f) O único tipo de dispositivo para aquecer pneu permitido são cobertores que utilizam elementos de aquecimento resistentes Os elementos de aquecimento só podem atuar sobre a superfície externa do pneu.

25.4 – Utilização de pneus:

Pneus só serão considerados como tendo sido usados quando o controle de tempo do transponder tiver mostrado que eles deixaram a pit lane

a) – Três conjuntos de pneus para pista seca devem ser disponibilizados pelo delegado técnico da FIA a cada piloto designado para uso durante a P1 e P2, dois da especificação “prime” (principal) e um da especificação “opcional”. Esses são os únicos pneus para pista seca que poderão ser usados durante as sessões.

Um conjunto da especificação “prime” pode ser devolvido ao fornecedor antes do início da P2 e mais um conjunto da especificação “prime” e um conjunto da especificação “opcional”, antes do início da P3.

Se o Artigo 2.2 (c) for invocado, um conjunto adicional de pneus da especificação “prime” serão colocados à disposição de cada piloto titular para uso durante a P1 e P2. Um conjunto de pneus da especificação “prime” deve retornar ao fornecedor de pneus depois da P1 e mais dois conjuntos da especificação “prime” e um da especificação “opcional” antes do início da P3.

Se um piloto reserva for usado (ver artigo 19.1 (b), ele deve usar os pneus atribuídos ao piloto titular que ele substituiu.

b) – Se uma especificação adicional de pneu de pista seca é disponibilizado de acordo com o Artigo 25.1, dois conjuntos dessas devem ser alocados a cada piloto durante a P1 e P2. Esses pneus deverão ser devolvidos ao fornecedor de pneus antes da P3.

c) – Oito novos conjuntos de pneus de pista seca deverão ser entregues pelo delegado técnico da FIA a cada piloto titular, quatro de cada especificação, para uso durante o resto do Evento. No entanto, um conjunto de cada especificação deverá ser devolvido ao fornecedor de pneus, antes do início da sessão de classificação e não pode ser usado durante o resto do Evento.

d) – Antes do início da sessão de treinos de classificação, pneus intermediários e de pista molhada só podem ser usados depois que a pista tiver sido declarada molhada pelo diretor da corrida, após o que os pneus intermediários, de pista seca ou de pista molhada podem ser usados no resto da sessão.

e) – No início da corrida, cada carro que tomou parte na Q3 deve ser equipado com os pneus com os quais o piloto definiu seu tempo no grid. Isso só será necessário se pneus para pista seca forem usados para definir o tempo de grid a se os pneus de pista seca forem usados na largada da corrida.

Qualquer pneu danificado durante o Q3 será inspecionado pelo delegado técnico da FIA, que decidirá, aos seu absoluto critério, se algum pode ser substituído e, em caso afirmativo, quais pneus devem ser substituídos.

f) – A menos que tenham usado pneus intermediários ou de pista molhada durante a corrida, os pilotos devem suar pelo menos um jogo de cada especificação de pneus de pista seca durante a prova. Se a corrida for suspensa e não puder ser reiniciada, 30 segundos serão adicionados ao tempo de qualquer piloto que não puder usar as ambas as especificações de pneus para pista seca durante a prova. Qualquer piloto que completar a corrida sem uso de duas especificações de pneus para pista seca será excluído dos resultados da corrida.

g) – Se a corrida é iniciada atrás do safety car por causa de chuva pesada (ver Art. 40.14), ou retomada em conformidade com o Artigo 42.5 (a), o uso de pneus de pista molhada até o safety car retornar aos boxes é obrigatório.

25.5 – Teste de pneus

a) – Pneus fornecidos a um competidor em qualquer momento não podem ser utilizados em qualquer plataforma ou veículo (que não seja um carro de F1 em pista de F1 aprovada, com exceção de alguma espécie de simulador de estrada), seja propriedade da equipe ou alugado, fornecendo medidas de forças e/ou momentos produzidos pela rotação completa do pneu de F1 outros que não sejam exclusivamente de forças verticais, resistência dos pneus ao rolamento e arrasto aerodinâmico.

 Regulamento 2016

Em reunião em Paris, no dia 2 de fevereiro, o Conselho Mundial do FIA aprovou formalmente alterações no  regulamento para os pneus

aplicaveis apenas aos pneus slick. As regras relativas aos pneus intermediários e de chuva permanecem inalteradas.

  • Com a introdução do novo composto ultramacio (de marcação roxa) o número total de compostos lisos sobe para cinco.
  • Em consulta à FIA, a Pirelli irá decidir antecipadamente quais serão os três compostos que poderão ser usados em cada corrida, e comunicar essas informações às equipes. • O número total de jogos que podem ser usados durante os treinos, classificação e corrida continua a ser a mesma de hoje: 13. • A Pirelli vai nomear dois conjuntos de corrida obrigatórios para cada carro. Além disso, um conjunto do composto mais macio terá de ser mantido para utilização exclusiva no Q3.
  • Os dois conjuntos obrigatórios escolhidos pela Pirelli podem ser de dois compostos diferentes, desde que esteja entre os três que foram nomeados para o fim de semana de corrida. Estes conjuntos, obviamente, serão idênticos para cada equipe.
  • Os 10 conjuntos restantes podem ser escolhidos por cada equipe, desde os três compostos nomeados para o fim de semana de corrida.
  • As equipes vão fazer suas escolhas dentro de um prazo fixado pela Pirelli. Elas irão comunicar suas escolhas para a FIA, que por sua vez, vai dizer à Pirelli quantos pneus precisam ser produzidos. As opções para cada carro ficarão em segredo até 2 semanas antes da corrida. Se uma equipe não cumprir o prazo, a escolha será feita pela FIA.
  • Uma vez que as opções para cada carro foram estabelecidas, a FIA vai continuar a atribuir os pneus aleatoriamente através de um código de barras, como é feito hoje.
  • As escolhas feitas por cada equipe podem variar para cada um de seus carros: cada piloto dentro de uma equipe pode ter uma atribuição diferente.
  • Os pneus serão distinguidos por diferentes marcas coloridas nas laterais, como já é feito.
  • Durante as corridas, as equipes ainda terão de devolver os pneus de acordo com um horário determinado, mas eles podem decidir quais pneus vão devolver nos seguintes horários: – Um conjunto após os primeiros 40 minutos de TL1 – Um conjunto no final de TL1 – Dois conjuntos no final da TL2 – Dois conjuntos no fim de TL3
  • Os dois conjuntos obrigatórios nomeados pela Pirelli não poderão ser devolvidos durante o treino e devem estar disponíveis para uso na corrida. Pelo menos um destes dois conjuntos pode ser utilizado durante a corrida – mas a equipe que vai decidir qual. Os 10 primeiros da fase final da classificação ainda terão de devolver o conjunto do composto mais macio nomeado para o Q3, e começar a corrida com os pneus definidos em seu melhor tempo no Q2 (a mesma regra de hoje). Todos os outros pilotos poderão usar o conjunto do Q3 durante a corrida.