John C. Malone

john-c-malone John C. Malone, bilionário executivo norte-americano, proprietário de terras e filantropo, é o dono da Liberty Media, grupo que adquiriu, em 2016, o controle da Fórmula 1. Ele é também proprietário da maioria das ações e presidente da Liberty Global e Liberty Interactive e possui 49% da Starz Inc. e 29% da Discovery Communications. Foi diretor executivo (CEO) da Tele-Communications Inc. (TCI), uma gigante emissora a cabo, por 24 anos, de 1973 a 1996.

John C. Malone nasceu em 7 de Março de 1941, em Milford, Connecticut. Seu pai era Daniel L. Malone, um engenheiro de origem irlandesa. Em 1959, formou-se na Hopkins School, em New Haven, Connecticut. Em 1963, graduou-se na Universidade Yale, com bacharelado em engenharia elétrica e economia, tendo recebido o título de mérito Phi Beta Kappaand Nacional. Em 1964, Malone se formou na Universidade Johns Hopkins em gestão industrial. Também recebeu uma mestre em engenharia elétrica em um programa no Bell Labs, em 1965 antes de receber seu PhD em operações de investigação na Universidade Johns Hopkins, em 1967.

Em 1963, Malone começou sua carreira na Bell Telephone Laboratories da AT & T, que trabalha no planejamento econômico, pesquisa e desenvolvimento. Em 1968, se juntou à McKinsey & Company, e em 1970, tornou-se vice-presidente do Grupo da General Instrument Corporation (GI). Mais tarde, foi nomeado Presidente da Jerrold Electronics, uma subsidiária GI.

Malone ainda atua nos Conselhos de Administração do Bank of New York Mellon, do Instituto Cato e da Expedia.com. Além disso, presidente emérito do Conselho para a televisão por cabo Laboratories, Inc. e presidente da Liberty Global, Inc., e do Grupo DirecTV. Sua ascensão à Presidente da Liberty Global, Inc., foi controversa. Em 2005, John Malone comprou 32 por cento das ações da empresa de mídia News Corporation e, embora apenas cerca de metade dessas ações tivessem direito a voto, Rupert Murdoch temeroso de perder o controle de sua empresa para ele, tentou derrubá-lo com uma estratégia de “poison pill”, uma forma jurídica de impedir a assunção do controle de uma empresa aberta, com proposta hostil sigilosa aos acionistas. Ele serviu como diretor da Associação Nacional de Cabo e Telecomunicações (NCTA) 1974-1977 e novamente de 1980 a 1993. No período 1977-1978 foi Tesoureiro da NCTA.

Malone é dono de Ranches Silver Spur, uma empresa de criação de gado e venda de carne, que inclui a Silver Spur Ranch Encampment, Wyoming, a Bell Ranch e o TO Rancho, no Novo México, bem como ranchos em Walden e Kiowa, Colorado. Em 1º de Fevereiro de 2011, superou Ted Turner como o maior proprietário de terras individual nos EUA, com 2.100.000 acres (8.500 km2), em sete estados, mas a maioria em Maine. Seus investimentos imobiliários internacionais incluem o Castelo Humewood, na Irlanda.

Em 2000, Malone deu 24 milhões de dólares para a construção da Daniel L. Malone Engineering Center de Yale, nomeado em homenagem ao seu pai. Em 2011, Malone deu à escola de engenharia Whiting, da Johns Hopkins, uma contribuição de 30 milhões de dólares, para um novo edifício em Homewood Campus, que será chamado Malone Hall. No mesmo ano, ele deu a escola de engenharia e ciências aplicadas de Yale 50 milhões de dólares. Também doou 60 milhões de dólares à Hopkins School, para financiar a construção de dois novos edifícios, o Malone Science Center, em homenagem ao pai dele e o Heath Commons, em homenagem a seu professor favorito de Hopkins.

Em 2014, Malone e sua esposa doaram 42,5 milhões de dólares à Colorado State University, para ajudar a criar instituo de Biologic Translational Terapias, que visa desenvolver células-tronco e outros tratamentos para animais e pessoas. Da doação, 32.500.000 pagarão metade dos custos de construção e 10 milhões as despesas operacionais.

Em 1997, John Malone criou a Fundação Família Malone, para operar o Programa da Malone Scholars, que fornece bolsas de estudo para escolas particulares em todo os Estados Unidos depois de um processo de investigação rigorosa das melhores escolas, incluindo a Hopkins School, Waynflete School, e mais trinta seis outras, a partir de 2011.

Segundo o noticiário, Malone evita os holofotes e o estilo de vida glamouroso e curte suas férias em família ao lado do amigo de longa data Gary Biskup, em um veículo de lazer. Nos negócios, entretanto, recebeu o apelido de “Darth Vader”, supostamente dado por Al Gore, quando Malone era o chefe da TCI e exigiu posições equitativas em serviços de programação a cabo e tentou derrotar regras que protegiam as emissoras, uma batalha que a indústria do cabo acabou perdendo, em 1997, no Supremo Tribunal dos Estados Unidos. Em 1994, a revista Wired retratou Malone em sua capa como “Mad Max” de The Road Warrior (O guerreiro da estrada), com reportagem descrevendo suas batalhas com a Comissão Federal de Comunicação (FCC, na sigla em inglês).

Em maio de 2015, John Malone mostrou mais uma vez porque é, sem dúvida, o homem mais poderoso do sistema de TV a cabo, quando a Charter Communications anunciou que iria assumir a Time Warner Cable e Bright House Networks por 71 bilhões de dólares, em dinheiro e ações. Se a operação for concluída, ele irá formar a segunda maior empresa de cabo dos EUA, mas a fusão enfrenta alguns obstáculos com a FCC. Malone já tem participações consideráveis na Discovery Communications, Lions Gate Entertainment e canal de TV a cabo Starz.

Traduzido, com adaptações, de

https://en.wikipedia.org/wiki/John_C._Malone
e
www.forbes.com/profile/johnmalone

 

Curiosidade: das dezenas de fontes da internet consultados, nenhuma informa o significado do C, do nome de John C. Malone.