Publicidade

Istambul

Organização

Nome oficial:

Istanbul Racing Circuit

Endereço:

Motor Sports Organization

Resadiye Cad. ITO Ek Binasi Kat: 1

Eminonu – Istambul

 Ficha Técnica

Extensão

5.333 metros

Corrida

309.396 km

Voltas:

58

Curvas:

14 (6 à direita e 8 à esquerda)

Maior reta

720 m

Reta dos boxes

655,5 m

Sentido

Anti-Horário

Velocidade máxima

320, 58 km/h

Capacidade:]

130.000

Primeiro GP

21-08-2005,

vencido por Felipe Massa

Recorde da prova

2005

Kimi Raikkonen – Ferrari

1h24m34s454

Pole recorde

2011

Sebastian Vettel – Red Bull

1m25s049 – 225,950 km/h

Volta mais rápida

2005

Juan Pablo Montoya

1m24s937

Vencedores

08-05-2011

Sebastian Vettel Red Bull 1h30m17s558

30=05-2010

Lewis Hamilton McLaren 1h28m47s620

07-06-2009

Jenson Button Brawn 1h26m24s848

11-05-2008

Felipe Massa Ferrari 1h26m49s451

26–08-2007

Felipe Massa  Ferrari 1h26m42s161

27–09-2006

Felipe Massa Ferrari 1h28m51s082

21– 08-2005

Kimi Raikkonen McLaren 1h24m34s454

 Características

Desenhado pelo engenheiro alemão Hermasn Tilke, que criou os circuitos de Sepang, Bahrein e Xangai, o circuito de Istambul, também chamado de Otodrom,  está localizado no lado asiático da cidade, no norte da rodovia que liga à Ancara, perto do aeroporto internacional de Sabina Gokcen. Cercado por floresta e campos verdes, a área não tem nenhuma poluição e é agradavelmente atraente para atividades ao ar livre. O estacionamento, ao longo da rodovia, tem capacidade para 20 mil carros. Internamente, há 2,3 km de estradas de serviços e pistas de emergência. Os edifícios do paddock têm  dois níveis. No térreo ficam os boxes das equipes; o piso superior é reservado para os hospitality-centers, com um total de 5.000 lugares. Nas duas extremidades desses edifícios, há duas torres, com 7 pavimentos cada.uma, num total de 7.392 m2.

Assim como Interlagos e Ímola, o circuito de Istambul tem o sentido anti-horário, com quatro trechos de retas, apenas duas de alta velocidade, localizadas atrás do paddock e separadas por uma curva suave e um grampo. O circuito é mais lento do que o previsto, principalmente pelas dificuldades criadas pela longa curva nº 8. Mas a maioria dos pilotos gosta dessa curva, principalmente Felipe Massa, que a considera fantástica, “uma das mais espetaculares e técnicas de todo o campeonato”.

Construída numa área.acidentada, a pista tem altitudes diferentes em vários trechos, alguns deles com elevação de 43 metros.

Volta da FIA 

ISTAMBUL

ISTAMBUL

Trecho Setor Força G Marcha Km/h

Largada (final da Reta)

6

290,180

Curva 1

2.5

3

120,75

Curva 2

-36

6

240,150

Curva 3

-1.0

6

280,174

Curva 4

-2.0

3

66,106

Curva 5

3

118,73

1º Setor/3/4 Reta

32,4

6

174,280

Entrada Cotovelo (7/8)

4.0

6

166,268

Saída Cotovelo

4.5

5

118,73

Curva 8

4.5

6

171,275

Inicio Reta curta

2.0

6

185,298

Final Reta  curta

0.0

7

193,310

Curva 9

3.0

3

78,126

Curva 10

2.0

5

143,230

2º Setor/Final Reta

30.5

Curva 11

6

180,290

Meio da Reta

6

297,185

Final da Reta

7

304,189

Curva 12

2.2

2

94,59

Curva 13

1.3

3

110,68

Curva 14

2.2

3

103,68

3º Setor/Chegada 23.8 1:26:7

Registros da FOM – Largada (final da reta – entrada da Curva 1) – 0.27, 6, 291: Curva 1 – 2.15, 3, 141; Curva 2 – 3.08, 5, 232; Entrada Curva 3 – 1.25, 6, 184; Curva 4 – 1.56, 2,99; Curva 5 – 3.76, 3, 127; 1º setor – 0.66, 6, 281; Curva 7 – 2.20, 3, 134; Entrada Curva 8 (início Cotovelo) – 3.68, 6, 271; Curva 8 – 4.48, 6, 270; Saída Curva 8 –  4.28, 6, 262; Inicio Reta – 2.64, 6, 281; Final Reta/Entrada Curva 9 – 0.17, 7, 309; Curva 9 – 1.80, 3, 156; Curva 10 – 1.35, 4, 225; 2º Setor/Final Reta – 1.49, 6, 288; Metade da Reta – 0.20, 7, 304; Entrada Curva 12 – 0.57, 7, 310; Curva 12 – 1.89, 2, 93: Curva 13 – 1.91, 2, 84; Curva 14 – 1.55, 2, 94.

História

O engenheiro Hermann Tilke começou a projetar o circuito de Istambul em 2002, mas os trabalhos de construção do autódromo e da infra-estrutura só foram terminados em julho de 2005, pouco antes da primeira corrida, no dia 21 de agosto.  Kimi Raikkonen, ainda na McLaren, que largou na pole, perdeu a liderança para Fisichella e depois recuperou, foi o vencedor desse primeiro GP da Turquia. No ano seguinte, Felipe Massa conseguiu ali a sua primeira vitória na F1. Saindo na pole postition, Massa dominou a corrida e terminou à frente de Fernando Alonso e Michael Schumacher.

Nesse segundo GP, um problema político quase provocou a eliminação do circuito de Istambul do calendário da FIA.  Diante do protesto do governo do Chipre, pela presença no pódio do presidente da República Turco-Ciprota, que não é reconhecida internacionalmente, O Conselho Mundial multou a federação turca em 5 milhões de dólares. A entidade teve dificuldades para levantar o dinheiro, mas o conseguiu ainda a tempo de garantir a realização da corrida de 2007. A quantia teria vindo da venda do autódromo a Bernie Ecclestone, por 35 milhões de dólares, em abril de 2007.

No GP de 2007, Felipe Massa repetiu o feito do ano anterior. Saiu na pole e só foi ameaçado por Kimi Raikkonen, já na Ferrari, antes do segundo pit stop. O finlandês terminou em segundo e Fernando Alonso, na McLaren, foi  o terceiro. Em 2008, Massa voltou a vencer, tornando-se o único piloto a vencer por três consecutivas, em sete disputas, o GP da Turquia.

Uma volta com Fernando Alonso

 “Istambul é uma grande pista. Um das suas características principais é o fato de que se corre no sentido anti-horário, o que significa mais curvas à esquerda dos que nós corredores estamos acostumados e que basicamente exerce mais pressão sobre o lado esquerdo de nosso pescoço.  Tendemos a gastar mais tempo no treinamento, desenvolvendo o lado direito de nosso pescoço, que sofre maior pressão durante a temporada, e quando encontramos um circuito anti-horário temos que nos preparar para isso. Esse é um ponto particularmente chave nesta pista porque há muitas curvas de alta velocidade, especialmente a curva 8, que é uma curva de 180º, tomada em sexta marcha a toda velocidade. É grande a variedade de curvas nesta pista, como a muito lenta última seção, antes de você entrar na reta principal. Para mim a curva mais difícil é a Um, uma curva de terceira marcha. Você precisa grande exatidão aqui. O desafio nesta curva é que ela tem um ápice cego, assim é muito difícil decidir onde você tem de girar e você tem que apenas tocar na zebra, se você não tem muito arrrasto.

Depois, você entra numa seção muito difícil, que consiste nas curvas 3,4 e 5. Elas são um misto de curvas de terceira e quarta marchas e todas são completamente rápidas, com uma entrada cega, de novo. Mas a curva 4 é especialmente difícil porque é uma curva em descida, de primeira marcha, o ápice e a zebra interna são completamente cegas e é muito desafiante decidir quando você tem de entrar.  Depois, a curva 5 é um pouco complicada, porque é, de novo, uma descida e você sofre um grande arrasto. Outra coisa boa do Parque de Istambul é que há mudanças de níveis que o fazem muito especial, você sente que há muito fluxo e muita velocidade.

A.melhor oportunidade de ultrapassagem nesta pista é na freada da curva 12. Há uma reta muito longa, depois da curva 10, com apenas uma pequena curva no meio, a curva 11, que você toma facilmente de pé embaixo. É muito importante sair da curva 10 com boa tração e velocidade, aproveitar um pequeno erro do carro da frente, tomar a curva 11de pé embaixo sem nenhum problema e ter um carro equilibrado na freada da curva 12. Depois disso não há, realmente, nenhuma oportunidade de ultrapassagem. As curvas 13 e 14 são duas curvas muito complicadas, de baixa velocidade, tomadas em segunda marcha. Por tudo isso, é uma grande pista”. (Tradução adaptada de texto do site F1complet.com).