Controle Eletrônico

controle_02A partir da temporada 2008, todos os carros da Formula 1 contam com uma Unidade de Controle Eletrônico padronizada, fabricada pela McLaren Electronic Systems e pela Microsoft, segundo as normas da Federação Internacional de Automobilismo (FIA). Esse dispositivo controla o motor, a caixa de câmbio e a embreagem através de 100 sensores espalhados pelo carro. A unidade padronizada foi adotada para neutralizar o controle de tração e outros auxílios de pilotagem e assegurar que só o piloto participe da direção do carro. .

A Unidade de Controle Eletrônico (ECU, na sigla em inglês para Eletronic Control Unit) controla todos os sistemas internos de um motor, enquanto ele trabalha no máximo de sua potência e em cada ponto de uma volta. Os mapas desse comportamento podem variar a cada circuito, dependendo do tipo de pista.

A ECU permite ao motor o máximo torque possível, controlando entre outras peças, as trombetas do cilindro e a injeção de combustível. Não havendo nenhuma ligação direta entre o motor e o acelerador, através de um sinal, o dispositivo pode cortar falhas de aceleração, mantendo-a em nível máximo, mesmo em pistas onduladas.

A unidade controla também a embreagem, o diferencial e a caixa de câmbio. O piloto só pode acionar a embreagem para dar a partida; depois, as mudanças de marchas são feitas automaticamente, a cada 100 milésimos de segundo, sem que o piloto precise tirar o pé do acelerador.  Os diferenciais eletrônicos evitam que as rodas traseiras do carro patinem na entrada ou saída das curvas, mesmo nas mais sinuosas.

A ECU é programada por um software produzido pela Microsoft, que as equipes podem particularizar, mas que precisa ser aprovado e selado pela FIA.