Publicidade

Marina Bay

Formula One World Championship

Ficha Técnica

Localização

Marina Bay – Cingapura

Tipo

Circuito de rua

Extensão

5.065 km

Distância

309,316 km

Voltas

61

Curvas

24 (14 à esquerda e 10 à direta)

Sentido

Anti-horário

Horário

20h00 locais (9h00 no Brasil)

Primeiro GP

28 de setembro de 2008

Capacidade

80.000 espectadores

Volta mais rápida

2015

Daniel Ricciardo – Red Bull

1m50s041 – 165,701 km/h

Pole recorde

2011

Sebastian Vettel – Red Bull

1m44s381

Vencedores

18-09-2016

Nico Rosberg

Mercedes

1h55m48s950

20-09-2015

Sebastian Vettel

Ferrari

2h01m22s118

21-09-2014

Lewis Hamilton

Mercedes

2h00m05s795

22-09-2013

Sebastian Vettel

Red Bull

1h59m13s132

25-09-2011

Sebastian Vettel

Red Bull

1h59m06s757

149,043 km/h

26-09-2010

Fernando Alonso

Ferrari

1h57m53s579

157,422 km/h

27-09-2009

Lewis Hamilton

McLaren

1h56m06s337

159,727 km/h

28-09-2008

Fernando Alonso

Renault

1h57m16s304

156,069 km/

Características

O GP de Cingapura é disputado num circuito de rua, na Marina Bay, ao longo da região portuária e passando entre os arranha-céus da cidade-estado. Com 24 curvas, é um circuito muito travado, mas tem três trechos onde os carros podem atingir entre 250 e até mais de 300 km/h: na Raffles Boulevard, podem chegar a mais de 300 km/h; na reta dos boxes (com 500 metros de extensão), na St. Andrews Road e na Esplanada Drive, podem andar entre 250 e 300 km/h. Nas curvas 3, 10, 11, 15, 19 e 20, a velocidade média é de 80 a 100 km/h e os pontos de ultrapassagem estão nas curvas 1, depois da reta dos boxes; na 7, no final da Raffles Boulevard, e na 15, um grampo no final na Esplanada Drive.

O traçado, no sentido anti-horário, desenhado pelo alemão Hermann Tilke, começa pouco antes da metade da reta dos boxes diante da Marina Promenade, e cerca de 300 metros depois chega a um conjunto de três curvas: a 1, bem no final da reta, a 2, à esquerda, e a 3, na entrada da pequena reta da Boulevard República, à direita.

Depois destas, o trajeto passa ainda por mais duas curvas, uma à esquerda (4) e outra à direita (5), até chegar à Raffles Boulevard, que tem também duas curvas, uma á direita (6) e outra à esquerda (7).

Esta última, um dos pontos de ultrapassagem, leva a um grampo (8) ligando a Nicoli Highway à Stanford Road. No final desta ultima, os carros passam por uma nova curva à esquerda (9), para entrar na reta da St Andrews Road.

Em seguida, há um trecho sinuoso, com quatro curvas direita e esquerda; a passagem pela Anderson Bridge e a chegada (14) à Esplanade Drive, outro ponto de velocidade.

Após um grampo (15) no final da Esplanade e um pequeno trecho em reta, na Raflles Avenue, o traçado tem uma seqüência de sete curvas _ esquerda (16), direita (17), esquerda (18), esquerda (19), direita (20), direita (21), esquerda (22) _  um reta curta e mais duas curvas à esquerda, para alcançar a linha de chegada, em frente à Marina Promenade.

Todo o trajeto é recoberto de asfalto reforçado, com condições de resistir à pressão dos  carros durante a corrida e do tráfego diário. Para reduzir o impacto sobre o tráfego e a interrupção do comércio na área nos fins de semana, tanto as obras de reforma do asfalto quanto as de construção do prédio dos boxes, com 36 garagens, para 12 equipes, foram feitas nas noites de domingos e terças-feiras.

Primeira cidade promover uma corrida noturna de Fórmula 1, Cingapura implantou um poderoso sistema de iluminação, capaz de reproduzir as condições de luz diurnas e não prejudicar a visão dos pilotos. Nos dias de corrida, na área da Mariana Bay, são usadas 1.500 lâmpadas, de 3.000 lux (índice de luminosidade), enquanto as normalmente instaladas não passam de 100 lux.

Um novo sistema de sinalização de pista também é empregado no circuito de Cingapura. Em 35 pontos da pista estão instalados painéis luminosos, as chamadas “digiflags” (bandeiras digitais), acionados por fiscais postados ao seu lado e controlados também pelo diretor da prova. Esses painéis, suplementares às bandeiras dos fiscais, exibem as cores das bandeiras destes: amarelo, verde, vermelho ou azul.

A Cidade Estado de Cingapura (Singapoure) tem 4,6 milhões de habitantes e é um dos portos mais movimentados do mundo. A sua principal atividade é a fabricação de produtos eletrônicos e de alta tecnologia. A cidade é considerada a mais limpa do mundo e jogar papel na rua (assim como mascar chiclete) pode acarretar pesada multa.

A primeira corrida noturna e o 800º da história da Fórmula 1, o GP de Cingapura, no dia 28 de setembro de 2008, foi vencido pelo espanhol Fernando Alonso, que quebrava jejum de um ano sem vencer. A vitória, soube-s depois, foi resultado de armação do dirigente Flávio Briatore, que obrigou o piloto brasileiro Nelsinho Piquet a provocar um auto-acidente, na volta e local indicados por ele, de forma a favorecer Alonso, que tinha acabado de sair dos boxes e pode assumir a liderança.

Em 2009, Lewis Hamilton venceu, depois de liderar quase toda a corrida; em 2010, Fernando Alonso fez um hat-trick, conquistando a pole, vencendo a corrida e fazendo a volta mais rápida.

Em 2011 – Sebastian Vettel ganhou com tranquilidade e ficou a um ponto da conquista do bicampeonato. Só não comemorou porque Jenson ButTon, segundo colocado, somou 185 pontos e, teoricamente, faltando cinco corridas, ainda podia alcançá-lo.

Em 2012, a vitória caiu no colo do alemão Sebastian Vettel, depois que, na 12ª volta, o carro de Lewis Hamilton, pole position e líder com 3 segundos de vantagem, quebrou. Vettel assumiu a liderança e garantiu seu segundo triunfo na temporada.

Em 2013 –  O GP de Cingapura foi praticamente decidido na véspera. Depois de o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, conquistar a pole position, com apenas uma volta lançada nos 10 minutos da Q3, ninguém duvidava que só um grande imprevisto poderia roubar-lhe a vitória no dia seguinte. Num circuito difícil, com alguns pontos perigosos e de poucas opções para ultrapassagem, seriam mínimas as possibilidades de ele ser ultrapassado na pista. E foi o que realmente aconteceu. Na largada, conteve a ameaça de Nico Rosberg, o segundo no grid, e a partir daí fez um passeio pela pista até o final, completando o hat-trick (barba. cabelo e bigode).

Em 2014 – Lewis Hamilton saiu na pole position, fez a volta mais rápida e ganhou de ponta a ponta o GP de Cingapura, no circuito de Marina Bay, no dia 21 de setembro com o tempo de2h00m04s756, e assumiu a liderança do campeonato de pilotos da Fórmula 1, superando por três pontos (241 a 238) o companheiro de equipe Nico Rosberg. A vitória do piloto inglês foi facilitada pelo abandono de Rosberg logo na volta 14, por problemas no volante do carro, que já tinha surgido antes de ele ir para a pista. Foi a 7ª vitória na temporada e a 29ª da carreira de Hamilton. Com a volta mais rápida, 1m50s419, ele completou o 5º hat trick (cabelo, barba e bigode) da carreira.

Em 2015 –  Sebastian Vettel, da Ferrari, dominou inteiramente o GP de Cingapura, conquistando a sua terceira vitória na temporada e, com 42 vitórias, tornou-se o terceiro piloto mais vitorioso da F1, atrás apenas de Michael Schumacher, com 91, e Alan Prost, com 51 e na frente de Ayrton Senna, que teve 41. Praticamente de ponta à ponta, só deixando a liderança nas trocas de pneus durante entrada do safety car e completou as 61 voltas em 2h01m22s188, a 1s478 do segundo colocado, Daniel Ricciardo, da Red Bull, que fez 2s91.23s596 e também marcou a volta mais rápida da prova, com 1m50s041, na volta 52.  O pódio foi completado pelo outro carro da Ferrari, de Kimi Raikkonen, que chegou em 3º, com 2s01m39s272. Pela primeira vez na temporada, a Mercedes não teve nenhum piloto no pódio; Rosberg foi o 4º colocado, com  2m01s46s838, e Lewis Hamilton, por problemas eletrônicos abandonou a corrida na volta 32, quando já tinha sido superado por vários pilotos e era o 17º

Em 2016 – Sob intensa pressão de Daniel Ricciardo, da Red Bull, e num final emocionante, Nico Rosberg, da Mercedes, venceu o Grande Prêmio de Cingapura, no circuito de Marina Bay, e assumiu a liderança do campeonato da Fórmula 1 de 2016. O piloto alemão completou o percurso de 61 voltas em 1h55m45s950, 0s488 à frente do australiano, que fez a melhor volta da corrida, na 49, com 1m47s187. Lewis Hamilton, da Mercedes, chegou em 3º, depois, também, de uma forte disputa com Kimi Raikkonen, da Ferrari, 4º colocado. Sebastian Vettel, da Ferrari, teve, sem dúvida, a melhor atuação da corrida, cruzando a linha de chegada no 5º lugar, depois de largar da 22ª e última posição do grid.
Essa foi a 8ª vitória da temporada e a 22ª de Nico Rosberg, que completou 200 GPs na carreira. Felipe Massa terminou em 12º e Felipe Nasr, que largou da 16ª posição, chegou em 13º, seu segundo melhor resultado no campeonato.

 Volta da  FIA

Cingapura

Cingapura

Trecho

Setor

DST

FG

Marcha

Velocidade

Tempo

Largada

0.1

290

Curva 3

2.0

90

Detecção

Curva 4

Curva 5

0.5

135

Ativação

Curva 5

Curva 6

1.0

280

Curva 7

1

1.3

110

28.3

Entrada Curva 9

2.7

170

Saída 10a

0.1

240

Meio Curvas 12/13

-1.0

183

Curva 13

1.6

80

Curva 14

2

2.0

83

40.6

Curvas 15/16

2.0

225

Curva 18

2.0

80

Curva 21

1.0

120

Curva 22

-2.2

150

35.9

1.44.8

Curva 23

3.0

200

Chegada

3

35.9

1.44.8

Para mais detalhes e informações técnicas, acesse:

http://www.fia.com/championship/formula-1-world-championship/singapore-gp-track-guide

Outras fontes, com base numa volta virtual, em condições normais, dão estes números:

Trecho

Marcha

Velocidades

Curva 1

110 km/h

Curva2

110 km/h

Curva 3

90 km/h

Curva 4

200 km/h

Curva 5

135 km/h

Curva 6 – FG 1

280 km/h

Curva 7 – FG 1,30

110 km/h

Curva 8 – FG 2

94 km/h

Curva 9 – FG 3

126 km/h

Curva 10

135 km/h

Curva 11

150 km/h

Curva 12

180 km/h

Curva 13 – FG 1.60

80 km/h

Curva 14

85 km/h

Curva 15 –  FfG 2

230 km/h

Curva 16

80 km/h

Curva 17 FG 3

126 km/h

Curva 18

80 km/h

Curva 19

118 km/h

Curva 20

110 km/h

Curva 21

126 km/h

Curva 22

150 km/h

Curva 23

200 km/h

Reta

290 km/h