Acertos

Acerto

Um carro de F1 deve ser “acertado” para cada corrida, conforme a configuração do circuito. Esse acerto começa fora da pista, em simulações no computador. Cada equipe tem seu mapa do circuito e programa que reproduz uma volta do carro em cada pista. O simulador é capaz de apontar o comportamento de cada peça; indica a aderência, o torque do motor, posição do pedal, o comportamento das asas. Na simulação, os engenheiros  definem o regime de marchas, optam por mais velocidade máxima ou mais downforce.

Jarno Trulli explica os acertos que devem ser feitos num F1 para uma corrida:

1 – Asa traseira – O computador avalia  o nível de carga aerodinâmica obtido por esse dispositivo e raramente a configuração estabelecida pela simulação é modificada pela equipe. Se é necessário ajustar o equilíbrio aerodinâmico do carro, é dada  prioridade à asa dianteira.

2 – Motor – Na pista, ele é adaptado às condições do local. Isto é, o comportamento do motor pode ser  modificado em função das características do carro e da pista.

3 – Altura em relação ao solo – Este parâmetro também depende de simulações no computador que medem a eficiência aerodinâmica. A altura do chassi é regulada conforme as curvas mais importantes do circuito. Não se pode rebaixar demais o carro porque o regulamento proíbe que a prancha de madeira no fundo do carro tenha desgaste superior a 1 mm por raspar no asfalto durante a corrida. Na chuva, a altura é aumentada para evitar aquaplanagem.

4 – Cambagem – A inclinação das rodas em relação ao eixo vertical é importante no desempenho do F1. Mais cambagem na frente permite melhorar a aderência nas mudanças rápidas de direção, mas o uso excessivo pode provocar a saída de traseira. Na traseira, o uso da cambagem proporciona mais estabilidade em altas velocidades, mas pode prejudicar a tração nas saídas de curva.

5 – Asa dianteira – Ela determina o equilíbrio aerodinâmico do carro. Modificar sua inclinação não influi na velocidade do F-1, mas pode modificar seu comportamento. Aumentar o ângulo dela é um jeito de evitar as saídas de frente. As regulagens básicas da asa dianteira são determinadas por computador e a partir delas o ajuste fino é feito de acordo com as condições da pista.
6 – Molas e barras de torção – Na suspensão dianteira e na traseira, a rigidez é fundamental. Além de limitar os movimentos do carro, ajuda a conservar a altura do chassi  independentemente das variações aerodinâmicas (ação do vento sobre o carro), cuja carga pode ultrapassar 1,5 tonelada. Os elementos da suspensão dianteira são geralmente regulados com mais rigidez que os da traseira, para privilegiar a tração nas saídas de curva com um conjunto posterior mais flexível.

7 – Lastro – Um carro deve pesar 600 kg, com o piloto. O lastro constitui 10% desta carga e tem como objetivo baixar o centro de gravidade e distribuir melhor a massa – resultando em maior equilíbrio em alta velocidade. Os engenheiros projetam o carro com menos que o limite de 600 kg, para poderem usar o lastro. Este peso extra é distribuído na dianteira ou na traseira de forma a determinar o centro de gravidade. Depois, ele é colocado mais acima ou abaixo desse centro de gravidade, em função da pista.

8 – Eletrônica – O controle de tração é capaz de variar sua sensibilidade de uma curva à outra a fim de otimizar o comportamento do monoposto em cada ponto do circuito. Na corrida, é um instrumento precioso.

9 – Frenagem – A distribuição da força na frenagem é importante. De maneira geral, a frente sempre tem vantagem, recebendo de 51% a 60% da força total. O piloto pode fazer essa distribuição. Na corrida, aumentar a força dianteira ajuda a economizar os pneus de trás e preservar a tração.

10 – Amortecedores – As condições do piso (mais áspero ou liso; com mais ou menos aderência; seco ou molhado) levam à escolha de  amortecedores com dureza e curso variados, com o objetivo de poupar os pneus e otimizar a aderência.

11 – Pressão dos pneus – Mudanças tão pequenas quanto 0,1 bar na dianteira ou na traseira permitem reduzir as derrapagens com as rodas de trás, poupando pneus.