Publicidade

Abu Dhabi

Abu_circuitos

Organização

Nome oficial

Yas Marina Circuit

Proprietário

Governo de Abu Dhabi

Organizador

Abu Dhabi Motorsports

Ficha Técnica

Extensão

5,554 km

Distância

305,470 km

Curvas

21 (9 à direita; 12 à esquerda)

Retas

5

Voltas

56

Sentido

Anti-horário

Capacidade

41.093 espectadores sentados

Primeiro GP

1/11/2009

Sebastian Vettel – Red Bull

1h34m03s414

Volta + rápida

2011

Lewis Hamilton

1m38s434 – 203,125 km/h

Pole recorde

2011

Sebastian Vettel  – Red Bull

1m38s481

Vencedores

 

27-11-2016

Lewis Hamilton

Mercedes

1h38m04s013

29-11-2015

Nico Rosberg

Mercedes

1h38m30s175

23-11-2014

Lewis Hamilton

Mercedes

1h39m02s619

03-11-2013

Sebastian Vettel

Red Bull

1h38m06s106

04-11-2012

Kimi Raikkonen

Lotus

1h45m58s667

04-11-2011

Lewis Hamilton

McLaren

1h37m11s886

14-11–2010

Sebastian Vettel

Red Bull

1h39m36s837

01–11-2009

Sebastian Vettel

Red Bull

1h34m03s414

O circuito de Yas Marina está localizado na ilha Yas, a leste da cidade de Abu Dhabi, um das 200 ilhas da capital do Emirados Árabes Unidos. Fica a 15 minutos do aeroporto internacional e, pela autoestrada 10, a 25 minutos do centro de Abu Dhabi. Com cerca de um milhão de habitantes, Abu Dhabi é a maior e mais rica cidade dos sete emirados que constituem os Emirados Árabes Unidos, no Golfo Pérsico.

Circuito

Yas Marina é considerado um dos, senão o mais, bonito e tecnologicamente avançado dos circuitos da Fórmula 1.Construído numa área de 25,5 quilômetros quadrados, em torno da marina, mistura o estilo árabe e o mais moderno da arquitetura ocidental. O conjunto inclui cinco arquibancadas cobertas e todos os lugares permitem perfeita visão da pista. Atrás da pit lane estão as garagens e o centro de imprensa. Ao lado do ponto de largada, estão duas torres, a VVIP, centro de hospitalidades para pessoas mais que muito importantes, e a Sol, que de longe identifica o circuito.  A reta principal passa sob um hotel 5 estrelas, de 500 quartos, o Yas Maria Hotel, que tem entrada privativa para a pista. Há ainda dois parques temáticos, da Ferrari e da Warner Brothers; um parque aquático, campos de golfe, clubes de pólo, áreas residenciais, centros comerciais e restaurantes.

O circuito foi projetado pela Aldar Properties PJSC (responsável por todo o projeto da Yas Island) e construído pela Cebarco-WCTWLL _  um consórcio entre a WCT Berhard, da Malásia, e a Cebarco Bahrain que construiu também o circuito do Bahrein _ e várias empresas subcontratadas. A construção começou em fevereiro de 2007 e dela participaram mais de 14.000 trabalhadores. O custo final da obra girou em torno de 400 milhões de euros, em 2010, equivalentes a 800 milhões de reais. O circuito foi construído com sistema de iluminação permanente e o GP de Abu Dhabi é o único começa com luz do dia, às 17 horas locais, e termina à noite. Na época do GP, em novembro, a temperatura fica entre 20 e 30 graus e pode cair de 5 a 10 graus ao final da corrida. As chuvas são raras.

A inclusão do circuito de Abu Dhabi no calendário da Fórmula 1, com contrato de 2009 a 2016, foi anunciada num festival realizado no dia 3 de fevereiro de 2007. O circuito teve aprovação final em 7 de outubro de 2009 e Bruno Senna fez o primeira teste oficial da pista. Depois do GP de 2010, muitos pilotos e até o presidente da FUIA, Jean Todt, reclamaram mudanças no traçado do circuito, para aumentar as chances de ultrapassagens. Em principio os administradores do Yas Marina concordaram em estudar as alterações sugeridas, mas depois decidiram rever o assunto, tendo em vista o novo regulamento da FIA, que poderia resolver o problema das ultrapassagens.

A pista de Abu Dhabi, desenhada pelo alemão Hermann Tilke, tem o sentido anti-horário, como Interlagos, Cingapura, Coreia do Sul e Istambul. O traçado tem semelhanças com Mônaco. Em termos de Força G é igual a Valência e o piso é igual ao de Barcelona. O trajeto é dividido em dois segmentos: o do Norte, de 3,15 km, com  uma reta de 1,2 km e trechos próximos ao hotel e a marina, onde se podem alcançar as velocidades mais altas, e o do Sul, de 2,36 km, com 12 curvas, incluindo o grampo sob o hotel. Os dois trechos são independentes, o que possibilita a realização de duas corridas simultaneamente.

O circuito de Yas Marina tem uma série de curvas de baixa e média velocidade e duas retas longas e exige uma combinação de controle do carro, consistência, e precisão do piloto. O percurso está dividido em três setores: Setor 1 – da linha de largada à curva 5; Setor 2 – da curva 5 à entrada da 11; Setor 3, da curva 11 à linha de chegada. A pista tem 5 trechos rápidos: da entrada da curva 4 à 5; a reta da curva 7 à 8; da curva 9 à 11; da curva 15 à 18 e da 21 à linha de chegada. No final da reta principal, a velocidade máxima pode chegar a 316 km/h. Das 21 curvas, 5 são lentas: 6,7,8,11 e 18.

A largura da pista, entre 12 e 16 metros, permite a escolha de diferentes traçados e arrojadas ultrapassagens e, em teoria, há três pontos favoráveis a isso. Um é a saída da curva 4. Outro, é a reta depois da curva 7, que termina com forte freada na chicane da curva 8. E um terceiro ponto é o longo trecho descendente até a curva 11. Dois pontos críticos são as curvas 7 _ vital para ganhar impulso na tomada da maior reta do percurso _ e a 8, onde é preciso retardar a freada e tomar cuidado com ataque do adversário. Em todo o percurso, há vários pontos de escape: da curva 1 até pouco depois da 2; ao longo da curva 4; entre as curvas 5 e 7; entre as curvas 11 e 13; ao lado da curva 14; entre as curvas 15 e 19; três espaços entre as curvas 20 e 21, sob a arquibancada Oeste.  A pit lane fica do lado direito da pista, ao logo da linha de largada, e a saída é sob um túnel que sai na entrada da curva 1.

circuito_abu_01

 

Volta da FIA (atualizada em 2012)

Trecho

Setor

DST

FG

Marcha

Velocidade

Tempo

Curva 1

2.2

3

125

Curva 2

4.0

6

260

Curva 3

-3.1

5

250

Chegada Curva 5

0.2

7

300

Curva 5

1

17.4

Curva 6

Detecção1

Curva 7

-2.0

2

70

Início da reta

0.1

6

260

Meio da reta

Ativação1

Aproxim. Curva 8

0.1

7

315

Coluna 8

2.1

2

80

Curva 9

Detecção2

Curva 10

Ativação2

¾ da reta

0.1

7

300

Entrada Curva 11

2

42.4

Curva 12

-1.3

3

125

Curva 14

-1.8

3

110

Curva 15

1.5

6

275

Curva 19

-1.8

3

110

Curva 21

0.1

3

125

Chegada

3

39.5

1.39.3

Volta da Red Bull:

Setor

Marcha

Força G

Velocidade

Curva 1

4

3.40

154 km/h

Curva 2

5

3.45

216 km/h

Curva 3

6

3.50

263 km/h

Curva 4

7

1.33

277 km/h

Curva 5

3

2.40

140 km/h

Curva 6

3

1.18

94 km/h

Curva 7

2

2.10

70 km/h

Curva 8

2

2.10

81 km/h

Curva 9

3

1.40

105 km/h

Curva 10

4

1.00

200 km/h

Curva 11

2

2.32

96 km/h

Curva 12

2

1.20

114 km/h

Curva 13

3

1.30

116 km/h

Curva 14

3

2.40

110 km/h

Curva 15

5

1.78

240 km/h

Curva 16

6

3.40

268 km/h

Curva 17

2

1.86

97 km/h

Curva 18

3

2.40

116 km/h

Curva 19

5

2.40

122 km/h

Curva 20

4

3.00

186 km/h

Curva 21

3

2.60

125 km/h

Para mais detalhes e informações técnicas, acesse:

http://www.fia.com/championship/formula-1-world-championship/gp-abu-dhabi-track-guide

 

2009 – O clima feérico e arquitetura imponente chamaram mais a atenção na primeira corrida em Abu Dhabi, que começou de dia e terminou de noite. A pista travada e o campeonato já definido provocaram uma corrida sem grandes emoções, a não ser um choque entre Mark Webber e Rubens Barrichello, sem maiores consequencias, e a disputa entre Webber e Button, pelo segundo lugar, nas últimas voltas. O australiano resistiu ao ataque e compôs a dobradinha da Red Bull com Sebastian Vettel.

2010 – Quatro pilotos chegaram a Abu Dhabi em condições e conquistar o título de campeão: Fernando Alonso, 246; Mark Webber, 238; Sebastian Vettel, 231, e Lewis Hamilton, 222. Alonso e Webber fizeram uma péssima corrida; Hamilton não passou do 2º lugar que  conquistara na classificação e, com uma corrida perfeita, Sebastian Vettel, aos 23 anos, 4 meses e 11 dias tornou-se o mais jovem campeão da Fórmula 1.

2011 – Sebastian Vettel chegou a Abu Dhabi já campeão, mas teve entusiasmo para igualar o recorde de 14 pole position numa temporada, estabelecido por Nigel Mansell, em 1992, e do total de poles de Juan Manuel Fângio, 29.  Mas Vettel não pode comemorar o recorde de vitórias numa mesma temporada (13) e se igualar a Michael Schumacher, porque logo na segunda volta teve de deixar a pista por causa de um pneu furado. Sem a concorrência do alemão, Lewis Hamilton, o segundo no grid, venceu sem dificuldades.

2012 – Sebastian Vettel ficou sem o mínimo de gasolina exigido para a análise da FIA depois do treino de classificação, foi punido e teve de largar da última fila no GP de Abu Dhabi de 2012.  Para sua sorte, nenhum dos seus concorrentes pelo título venceu ( o ganhador foi Kimi Raikkonen, na sua primeira vitória depois da volta à F1) e o terceiro lugar obtido numa corajosa corrida de recuperação, lhe permitiu manter a liderança do campeonato, embora a vantagem sobre Fernando Alonso tenha caído de 13 para 10 pontos (255 a 245). Essa vantagem voltou para os 13 pontos no GP dos Estados Unidos e, em Interlagos, no GP do Brasil, Vettel confirmou o título, com um sexto lugar, posição que lhe bastaria para ser campeão, mesmo que Alonso, que chegou em segundo, tivesse vencido a prova.

2013 – Depois de ganhar o GP da Coreia, tornando-se o piloto mais jovem a conquistar o tetracampeonato, Sebastian Vettel iniciou caminhada em direção a novos recordes na Fórmula 1. No GP da India, no dia 3 de novembro de 2013, deu o primeiro passo para isso, ganhando a corrida e igualando-se a Michael Schumacher, com 7 vitórias consecutivas numa mesma temporada. Nas duas últimas corridas do campeonato, ele pode não só superar essa marca, como igualar-se ao seu conterrâneo, com 13 vitórias, e ao italiano Alberto Ascari, com 9 vitórias consecutivas no ano. Embora não tenha repetido a pole position, admitindo que errou no Q3, o piloto alemão praticamente ignorou os rivais e ganhou a corrida no circuito de Yas Marina de ponta a ponta, cruzando a linha de chegada com mais de meio minuto (exatos 30s829) à frente do segundo colocado, seu companheiro de equipe e pole position, Mark Webber. Foi a 37ª vitoria da carreira a 11ª da temporada.