Stoffel Vandoorne

Perfil

 Nome Stoffel Vandoorne
País Bélgica
Nascimento: 26 de março de 1992
Local Kortrik
Pais Patrick Vanddorne/Marleen Delabie
Altura:  1,77
Peso:  67 kg
Residência  Londres
Equipe McLaren
Carro nº  12

 Carreira

Estreia  – GP  do Bahrein de 2016

Corridas  –  41

Pontos  –  26

Ano Categoria Equipe Corridas Vitoria Pole Pódio Volta Pts Pos.
2018 Fórmula 1 McLaren 21 12 18º
2017 Fórmula 1 McLaren 20 13 16º
2016 Fórmula 1 McLaren 1 1 20º
Super Fórmula Docomo 9 2 1 3 27
2015 Fórmula 1 McLaren Piloto de testes
GP2 ART GP 21 7 4 16 7 341,5
2014 Fórmula 1 McLaren Piloto de testes
GP2 ART GP 22 4 4 10 3 229
2013 Renault 3,5 Fortec Motor 17 4 4 10 2 314
 

2012

Renault 2.0 NEC Josef Kaufman 7 5 4 6 5 176
Renault 2.0 Eur. Josef Kaufman 14 4 6 11 3 244
 

2011

Renault 2.0 NEC KTR 20 3 8 328
Renault 2.0 Eur. KTR 14 1 93
2010 F4 Eurocopa1.6 Autosport 14 5 5 9 4 151
 

2009

Kart KF2 Vice-campeão na Copa do Mundo da CIk-FIA  KF2
Kart KF2 Venceu prova da Royal Automobile Club da Bélgica
2008 Kart KF2 Belgian VDK Correu campeonatos da KF2 da Bélgica e da França e foi campeão belga
1998 Começa no kart, inicialmente em corridas ao ar livre

História

 

Stoffel Vandoorne nasceu no dia 26 de março de 1992, na cidade de Kortrijk, município da região flamenga, na província de Flandres Ocidental, na Bélgica. È filho de Patrick Vandoorne, profissional da área da comunicação, e Marleen Dilabie. Em 2018, era namorado de Anna di Ferran, filha do brasileiro Gil di Ferran, diretor esportivo da McLaren. O pai explica que o nome diferente do filho foi escolhido em acordo com a esposa e de maneira insólita. “Estávamos andando um dia s na Flandres. De repente, ouvimos alguém dizer Stoffel!. Nós olhamos ao redor e vimos um homem de pé até os joelhos em uma lagoa. Não faço ideia para quem ele estava ligando, mas nós imediatamente soubemos: Stoffel, esse será nosso pequeno”. Patrick não se importou quando soube que o programa holandês De Fabeltjeskrant (O Jornal das Fábulas), uma série de televisão infantil, apresentado por fantoches, tinha uma tartaruga chamada Stoffel. E desdenha de quem chama seu filho de tartaruga: “Deixe-os fazer. Quem ri por último ri melhor!”. 

Stoffel teve seu primeiro contato com os esportes a motor quando tinha sei anos, em visita a uma pista do World Kart, na cidade natal . E começou a correr logo depois, quando o dono da pista lhe deu de presente um mini-kart.  Ao passar a correr oficialmente, por falta de financiamento, fazia 3 ou 4 corridas por ano, mas venceu o Campeonato Nacional de Kart, ao ar livre, na Bélgica.   Em 2008, aos 16 anos, passou a correr pela Belgian VDK Racing Team nos campeonatos da KF2 da Bélgica e da França, sagrando-se campeão belga da categoria.  Em 2009, iniciou a carreira internacional, competindo na Worlds Série, no campeonato europeu e na Copa do Mundo, da qual foi vice-campeão. No mesmo ano, ganhou o prestigiado Volante, prêmio do RACB National Team, clube de incentivo ao automobilismo, fundado em 1896. Também ganhou competição promovida pelo Royal Automobile Clube da Bélgica, com um prêmio em dinheiro de 45.00 euros, que o ajudou a passar, em 2010, aos monopostos, na Eurocopa 1,6, da F4.  Na primeira incursão na nova categoria, obteve seis vitórias e seis pódios, conquistando o título com duas rodadas de antecipação. Além de garantir um lugar na Academia de Pilotos da FIA, o prêmio da série novamente o ajudou a subir de categoria, passando a disputar, no ano seguinte, a Eurocopa da Renault ,20.

Em 2011, pela KTR, equipe de Kurt Mollekens, piloto belga de breve passagem pela antiga Fórmula 3.000,. Stoffel disputou a Eurocopa da Fórmula Renault 2.0.  Em 14 corridas, fez um pódio, em Hungaroring e acumulou 93 pontos, terminando na 5º colocação.  Ainda em 2011, também participou da Renault 2.0 NEC (Norte da Europa). Fez 20 corridas, com 3 poles e 8 pódios, somando 328, que lhe valeram o 3º lugar.  Impressionado com esses resultados a Josef Kaufman Racing, equipe alemã, fundada em 1982 pelo ex-piloto, que competiu por ela no campeonato alemão da F3, o contratou para correr em 2012. Na Eurocopa, em 14 corridas, Stoffel obteve 4 vitórias, fez 5 poles, 11 pódios e 3 voltas rápidas. Com 244 pontos, foi o primeiro colocado, 10 pontos à frente de Daniil Kvyat, com quem travou uma dura batalha durante todo o campeonato. . Na Renault 2.0 NEC, fez 7 corridas, com 5 vitórias, 4 poles, 6 pódios e 5 voltas mais rápidas. Com 176 pontos, foi apenas o 4º colocado.

Em 2013, o piloto belga disputou apenas o campeonato Fórmula Renault 3, pela Fortec Motorsportes.  Em 17 corridas, obteve 4 vitórias (uma delas em casa, em Spa) e fez 4 poles, 10 pódios e 2 voltas mais rápidas, totalizando 314 pontos e conquistando o vice-campeonato, atrás de Kevin Magnussen. . No dia 13 de fevereiro de 2013, ingressou no Programa de Jovens Pilotos, da McLaren, por indicação de Alexander Wurz. .

Em 2014, Stoffel Vandoorne acumulou a primeira campanha da GP2, pela ART GP, com as funções de piloto reserva da McLaren. Na GP2, em 22 corridas, venceu 4, fez 4 poles, 10 pódios e 3 voltas mais rápidas. Fez 229 pontos e foi segundo colocado, atrás de Jolyon Palmer.  Na etapa de abertura, no Bahrein, conquistou sua primeira vitória da temporada, na corrida de longa. Obteve mais três vitórias em Hungaroring, Monza e Yas Marina.  

Em 2015, Stoffel continuou com a ART Grand Prix na GP2 Series. Venceu o campeonato com recordes impressionantes: 7 vitórias, 16 pódios, 4 pole positions , 5 voltas rápidas e 341,5 pontos. Também foi confirmado como piloto de teste e desenvolvimento da McLaren Honda.

Em 2016, Stoffel continuou como piloto de reserva oficial da McLaren e, paralelamente, correu na Super Fórmula, no Japão, como piloto da Honda, com o DoCoMo Team Dandelion Racing. Em 9 corridas, teve 2 vitórias, 1 pole position e 1pódios e foi 4º colocado, com 27 pontos, a melhor colocação dos usuários de motor Honda.  Em 31 de março de 2016, foi anunciado que Stoffel substituiria, Fernando Alonso, no Grande Prêmio do Bahrein, depois do acidente que o espanhol sofreu na rodada anterior. Depois de qualificar-se em 12º , à frente do companheiro Jenson Button, terminou em 10º e se tornou o primeiro piloto reserva a marcar ponto na estreia, desde Sebastian Vettel, no Grande Prêmio dos Estados Unidos de 2007. Em 3 de setembro de 2016, antes do Grande Prêmio da Itália, a McLaren anunciou que Jenson Button não competiria em 2017 e Vandoorne o substituiria como parceiro de Alonso para a temporada de 2017. Em 23 de agosto de 2017, foi anunciado que Vandoorne seria mantido para a temporada de 2018.

Em 2017, Stoffel correu em tempo integral na McLaren Honda como piloto oficial de corrida, em igualdade com Fernando Alonso, considerado o mais completo piloto da F1. Em 20 corridas, Stoffel marcou 13 pontos, ficando no 16º, lugar e fez uma progressão constante durante a temporada, mostrando talento e velocidade em Cingapura e na Malásia, com dois impressionantes 7ºs lugares.