Sebastien Bourdais

Perfil

Nome Sebastien Bourdais
País França
Nascimento: 28 de fevereiro de 1979
Local Le Mans
Altura: 1,79
Peso: 72 kg
Residência: Tampa Bay, Estados Unidos
Particularidade É o único piloto da F1 que corre de óculos
Web site: www.sebastien-bourdais.com/

Desempenho na F1

Estréia GP da Austrália, 16/03/2008
Equipes Toro Rosso
GPs: 27
Vitórias: 0
Pódios 0
Poles: 0
Pontos: 6
Melhor resultado 7º (2 vezes)
Melhor grid

Desempenho na Champ Car

Estréia 2003 – GP de St.  Petersburg
Equipes Larbre , Prost Jr, Pescarolo Sport, Super Nova Racing, Newman/Haas Racing
GPs: 72
Títulos 4 (2004,2005,2006,2007)
Vitórias: 31
Pódios 39
Poles: 27

Carreira

2008

17º na Fórmula 1

2007

Tetracampeão na Champ Car; 2º na 24 Horas de Le Mans

2006

1º na Champ Car; 80º na Copa  Grand-Am; 1º nas 12 Horas de Sebring

2005

1º na Champ Car; 5º na Corrida Internacional de Campeões; 28º na Indy; 89º Na Rolex Sports Car

2004

1º na Champ Car; 24 Horas de Le Mans

2003

4º na CART mundial

2002

1º na Fórmula 3.000; 10º nas 24 Horas de Lê Mans; 4º na FIA Sportcar; 1º nas 24 Horas de Spa

2001

4º na Fórmula 3.000; 4º nas 24 Horas de Le Mans

2000

  9º na Fórmula 3.000 Internacional; 4º nas 24 Horas de Le Mans

1999

Campeão francês de Fórmula 3, com 8 vitórias e 3 poles, em 20 corridas; 24 Horas de Le Mans

1998

6º na Fórmula 3 francesa; Fórmula 3 britânica; GP de Macau; 20º no Masters da Fórmula 3

1997

2º na Fórmula Renault francesa

1996

7º na Fórmula Renault francesa

1995

9º na Fórmula Campus francesa

História

Sebastien Bourdais chegou à Fórmula 1na idade em que a maioria dos pilotos da categoria já está pensando em deixar às pistas. Depois de vários anos de tentativa, só aos 29 anos, depois de 19 anos nas pistas (desde o início no kart), ele conseguiu um lugar na principal categoria do automobilismo mundial.

Mas chegou com grandes credenciais. Acabava de conquistar o tetracampeonato da Champ Car, dos Estados Unidos, e o segundo lugar nas famosas 24 Horas de Le Mans. E na sua primeira temporada não decepcionou. Logo na estréia, marcou seus primeiros dois pontos no campeonato, chegando em sétimo lugar no GP da Austrália, pela ainda incipiente equipe da Toro Rosso. Terminou o campeonato em 17º lugar, com mais dois pontos conquistados no GP da Bélgica.

Nascido em Le Mans, mítico centro do automobilismo, mundial, Bourdais, filho de Patrick Bourdais, piloto de turismo e de montanha, cresceu entre carros e pilotos e ouvindo o ronco dos motores.

Em 1989, aos 10 anos, o francês começou a correr de kart; dois anos depois ganhou o campeonato de Le Mans e em 1993 foi campeão nacional da categoria cadete. Em 1996, participou da equipe Sologne Karting, que venceu as 24 Horas de Kart de Le Mans, no Circuito Alain Prost.

Nessa época, Bourdais já estava correndo em monopostos, tendo obtido o 9º lugar no campeonato da Fórmula Campus, categoria francesa da Renault para carros de 1600cc, com 120 cv., idênticos aos da F1. No ano seguinte, 1966, o piloto francês passou para a Fórmula Renault, na qual, em 1997, foi o segundo colocado, com 4 vitórias e 5 poles positions. Em 1998, foi o estreante do ano da Fórmula 3  francesa, com 5 vitórias e o 6º lugar na classificação geral. E em 1999 foi campeão da categoria, com 8 vitórias e 3 poles, em 20 corridas.

Em 2000, Sebastien Bourdais voltou a mudar de categoria, passando a correr na Fórmula 3.000, pela equipe Prost Júnior, sendo o 9º colocado no campeonato, com uma pole e um segundo lugar como o melhor resultado. Em 2001, mudou de equipe e, correndo pela DAMS, conseguiu, em Silverstone, a primeira vitória e foi o quarto no campeonato.

Em 2002, Bourdais mudou de novo de equipe e passou para a Super Nova Racing. Depois de 3 vitórias e 7 poles positions e dois pontos a mais do que Giorgio Pântano, herdou o título de Tomás Enge, punido pelo uso de maconha, denunciado no exame anti-dopping.

Nesse ano, Bourdais, pela primeira vez, esteve perto de entrar para a Fórmula 1, mas não conseguiu realizar seu sonho. Primeiro, fez testes na Arrows, mas não pode ser contratado porque a equipe foi à falência. Depois, não se entendeu com Flávio Briatore e recusou contrato para ser terceiro piloto da Renault. Segundo rumores, Briatore teria condicionado o contrato com a Renault à sua contratação como empresário do piloto.

Sem alternativas e frustrada a tentativa de ingressar na Fórmula 1, Bourdais foi para os Estados Unidos e, substituindo o brasileiro Christiano da Matta,  começou a disputar a Champ Car, a mais antiga categoria de automobilismo norte-americano, pela equipe Newman-Haas Racing, de propriedade do ator Paul Newman e do corredor de longa distância Carl Haas.

Essa foi a largada de Bourdais para o sucesso e a inscrição do seu nome entre os grandes pilotos de carro. Já na primeira corrida do campeonato de 2003 obteve a pole position, feito que só outro estreante, Nigel Mansell, Nigel Mansell tinha conseguido antes. Na quarta corrida Bourdais, em Brands Hatch, liderou as 95 voltas e  conquistou a sua primeira vitória na  categoria. No final do campeonato, com mais duas vitórias e 5 pódios, garantiu a quarta posição na classificação geral e o título de calouro do ano.

A partir de 2004, Sebastien Bourdais passou a dominar inteiramente a Champ Car. Foi campeão em 2004, guiando um carro Lola patrocinado pela rede McDonalds, com 7 vitórias (Monterrey, Portland, Cleveland, Toronto, Denver, Las Vegas, e Cidade do México), 8 poles e 10 pódios em 14 provas, foi campeão com 369 pontos, 28 de vantagem sobre o companheiro de equipe, o brasileiro Bruno Junqueira. Foi bicampeão em 2005, com 5 vitórias (Long Beach, Edmonton, San José, Denver, Las Vegas e Surfers Paradise) e 348 pontos. Nesse ano disputou também as 500 Milhas de Indianápolis, chegando na 12ª posição.

Em 2006, Bourdais cravou o tricampeonato da Champ Car, numa temporada que começou com quatro vitórias consecutivas (Long Beach, Houston, Monterrey, Milwaukee), mas depois teve de travar acirrada disputa com A.J. Allmenddinger, que também venceu três corridas seguidas no meio da temporada. Bourdais reassumiu a liderança, com a pole e a vitória em San José, mas um choque com o arquirival  Paul Tracy, na volta final da corrida de Denver, diminuiu a sua vantagem sobre Allmendinger, vencedor da prova. Mas o francês aumentou a vantagem para 62 pontos, com vitória em Montreal, e faturou o título na corrida seguinte, em Surfers Paradise, completando sete vitórias e 387 pontos.  Bourdais tornou-se, então, o primeiro tricampeão da Champ Car, desde Ted Horn, que completou o “hat trick” (em tradução livre para o português, “barba, cabelo e bigode”).

Em 2007, depois de conquistar o tetracampeonato, com 8 vitórias e 364 pontos, completado 30 vitórias em quatro anos na Champ Car, Bourdais voltou a ter a sua chance de entrada na Fórmula 1 e dessa vez não a desperdiçou. Depois de vários testes, no ano anterior, a convite de Gerard Berger, em 10 de agosto de 2007, foi anunciado como o novo piloto da equipe Toro Rosso, em substituição a Vitantonio Liuzzi, e ao lado do alemão  Sebastian Vetel.

A estréia na Fórmula 1, no primeiro GP da temporada, em Melbourne, na Austrália, no dia 16 de março, surpreendeu. Bourdais chegou a ocupar o quarto lugar na corrida, caiu para sétimo e não chegou a terminar a corrida, por problemas no motor, mas obteve a 8ª posição, porque tinha completado 90% do percurso, e subiu para a 7ª, com a desclassificação de Rubens Barrichello. Alguns especialistas diziam que uma vantagem do piloto francês era estar habituado a correr com pneus sliks, que usou durante as cinco temporadas da Champ Car. A explicação era a de que, depois de algumas voltas, os sulcos dos pneus da F1 são preenchidos pela borracha solta na pista, tornando-os verdadeiros pneus lisos.

Parece, porém, que, na prática, a teoria foi outra. Das 11 corridas seguintes, Bourdais completou seis e, assim mesmo, sempre acima do 10º lugar. Só voltou a marcar dois pontos na 13ª prova, o GP da Bélgica, no qual esteve em quarto lugar, ameaçou chegar à zona de pódio, mas na última volta, com pneus para pista seca, sob chuva, foi ultrapassado três vezes e terminou em sétimo.

Na Itália, estava na 4ª posição do grid, porém não conseguiu engatar a primeira marcha e teve de largar da pit lane e terminou uma volta atrás do vencedor da corrida, seu companheiro Sebastian Vettel. No Japão, Bourdais foi sexto na pista, mas foi punido com acréscimo de 25 segundos no seu tempo, por atingir Felipe Massa, e acabou em 10º lugar.

Depois do campeonato, Bourdais estava ameaçado de perder o lugar na equipe, por não consgeuir patrocínio, mas dizia não se preocupar. Se não conseguisse vaga e não tivesse alternativas na F1, voltaria a correr nos Estados Unidos, na categoria que reuniu a Champ Car e a Indycar. Em fevereiro, porém,, a Toro Rosso confirmou a permanência de Bourdais na equipe para a temporada de 2009.