Publicidade

Ralph Firman

Perfil

Nome Ralph Firman Júnior 

 

País Inglaterra
Nascimento 20 de maio de 1975 Norwich
Residência Norfolk, Inglaterra 
Estado civil  Solteiro
Altura 1,85
Peso 78 kg

Desempenho

Estréia na F1 GP da Austrália – 2003 

marmarço mamarço  março de 2003

Equipes Jordan (03)
GPs 14
Vitórias 0
Pódios 0
Poles 0
Abandonos 6
Pontos 1

História

O pai de Ralph Firman Jr. foi dono da equipe Van Diemen, pela qual Emerson Fittipaldi correu em 1969, quando o brasileiro chegou à Inglaterra; e Ayrton Senna, em 1981. E só por isso vale a pena lembrar do filho. .

Ralph Júnior iniciou a sua carreira no kart, aos 11 anos, vencendo os Campeonatos Britânicos de Júniors e de Sêniors, antes de chegar à Fórmula Formula Vauxhall Júnior, em 1993, aos 18 anos. Ele dominou a categoria com nove vitórias, conquistando o prêmio de Jovem Piloto do Ano. No ano seguinte, foi quarto, correndo pela Paul Stewart Racing, e no final da temporada passou para a Fórmula 3 britânica, pela mesma equipe.

No segundo ano da Fórmula 3, conquistou o título competindo com estrelas como Juan Pablo Montoya, Cristiano da Matta e Hélio Castro Neves. Ainda em 1966, venceu o GP de Macau, superando futuras estrelas da F1, como Jarno Trulli, Pedro de la Rosa e Nick Heidfeld.

Em 1997, aos 21 anos, Ralph foi para o Japão, onde disputou a Fórmula Nippon por seis anos. Em 2002, quando finalmente teve uma boa máquina, foi campeão da fórmula japonesa.

Eddie Jordan, que durante seus 13 anos de F1, foi buscar quatro pilotos da  Fórmula Nippon (Eddie Irvine, Heinz Harald Frentzen, Ralph Schumacher e Pedro de la Rosa.)  resolveu bancar o quinto, esperando que o futuro dele fosse ainda melhor do que os dos outros.

A estréia na Fórmula 1 foi decepcionante. Em Melbourne, Firman perdeu o controle do seu EJ13 no óleo derramado por Rubens Barrichello, saiu da pista, bateu no muro e teve de deixar a corrida logo na sexta volta.  Em Sepang, desenvolveu um ritmo forte, mas uma confusão no abastecimento, que o obrigou a um retorno ao pit, fez com que perdesse uma posição e chegasse em décimo lugar. No Brasil, não passou da 17ª volta, por quebra da suspensão. Em San Marino foi o tubo de óleo que se rompeu, na volta 54.

Na Espanha, Firman conseguiu seu primeiro ponto, depois de cinco corridas, chegando em oitavo, tendo largado na 15ª posição. Na Áustria, o piloto inglês foi 11º;  em Mõnaco foi 12º e no Canadá, apesar de uma surpreendente 4ª posição no grid, teve de abandonar antes da metade da corrida, por quebra de motor.

No GP da Europa, em Nurburgring, acabou de novo em 11º. Em Magny-Cours, problemas técnicos e um pit stop não programado frustraram as esperanças de um bom resultado e Firman terminou em 15º. Em Silverstone ele foi 13º.

Em Hockenheim, Firman nem chegou a correr.  Logo na primeira curva, para escapar do choque que envolveu Barrichello, Ralf Schumacher  e Raikkonen, ele acabou batendo na Sauber, de Frentzen. A má sorte continuou em Hungaroring, com um  acidente no treino, que o tirou do GP da  Hungria e, posteriormente, do GP da Itália, em Monza. Em Indianápolis rodou na 48ª, das 73 voltas,  e em Suzuka chegou em 14º.

Foi sua única temporada na Fórmula 1. Depois disso, só correu em categorias nacionais do Japão.