Pierre Gasly

Perfil

(a completar)

Nome Pierre Gasly
País França
Nascimento: 7 de fevereiro de 1996
Local: Rouen
Pais Jean Jacques Gasly e Eveline Gasly
Altura:
Peso:
Residência:
Estado civil: solteiro
Equipe Toro Rosso

 Desempenho

Estreia F1 GP da Malásia 2017
Corridas 26
Títulos
Vitórias
Pódios
Voltas + rápidas
Pontos 29

Carreira

 

Ano Categoria Equipe Corridas Vitória Pódios Pole Volta Pts Pos,
2018 Formula 1 Toro Rosso 21 29 15º
2017 Formula 1 4 0 21º
Super Formula Mugen 9 2 3 33
Formula E DAMS 18 16º
2016 GP2 Séries Prema 42 4 7 219
2015/16 GP2 Séries DAMS 48 4 3 110
2014 GP2 Séries Caterham 44 0 29º
2013/14 Renault 3,5 Arden 19 192
2013 Renaulr 2.0 Tech 1
2012/13 Renault 2.0 7 3
2012 Renault Europa 10º
2011 Fórmula 4 14 3 4

História

Pierre Gasly nasceu em Rouen, na França, em 7 de fevereiro de 1996, filho de Jean Jacques Gasly, ex-piloto de kart e rali, campeão da Liga da Normandia e campeão francês de resistência do Peugeot Talbot Sport, e Eveline Gasly, campeã regional de kart da Normandia, nos anos 1960. O avô representou a França no mundial de kart de 1961 e 3 dos 4 irmãos competem no kart.

Numa família de kartistas, era natural que Pierre se sentisse atraído pelo esporte desde os dois anos de idade. Aos 9 anos, foi para a pista e de 2006 a 2010, disputou competições de kart, embora tenha tentado também o futebol, Aos 15 anos, passou para os monopostos e foi 3º colocado na Fórmula 4 da França. Em 2012, foi 10º colocado na Fórmula Renault Eurocup e fez sete corridas na Fórmula Renault 2.0 Northern European Cup, conquistando dois pódios na primeira e um na segunda. Em 2013, pela equipe Tech 1 Racing foi campeão da categoria.

No ano seguinte, participou da Fórmula Renault 3.5 Series, com a equipe júnior da Red Bull; obteve oito pódios em dezessete corridas e foi eleito Estreante do Ano. Ainda em 2014, estreou na GP2 Series em Monza, substituindo Tom Dillmann, na Caterham Racing. Em 2015, foi contratado pela DAMS e ficou em oitavo na competição vencida por Stoffel Vandoorne. Também em 2015, foi anunciado como piloto reserva da Red Bull na Fórmula 1. Em 2016, foi campeão da GP2 na estreia de sua equipe, a Prema Powerteam, na categoria, correndo ao lado de Antonio Giovinazzi.

Em 2017, pela Mugen, ficou em segundo lugar na Super Formula Championship, da Super Fórmula Japonesa.  Em julho, substituiu Sébastien Buemi, da DAMS, no New York City ePrix, da Fórmula E, chegando em 7º na primeira corrida e em 4º na segunda. Em setembro, foi anunciado como o substituto de Daniil Kvyat, na Toro Rosso na Fórmula 1, fazendo sua estreia no Grande Prêmio da Malásia.  Ele ficou em segundo na classificação, a apenas meio ponto da liderança da série. Depois, fez as 4 corridas finais do campeonato da F1 e teve confirmada a contratação para a temporada de 2018.  Em 20 de agosto, a Red Bull confirmou que vai promover Pierre Gasly para sua equipe de Fórmula 1 na próxima temporada, no lugar de Daniel Ricciardo.

Pierre Gasly confessou que estava de cuecas quando recebeu a ligação que lhe dizia que teria a vaga na Red Bull para a temporada de 2019 da F1. Foi pego de surpresa pela ligação de Helmut Marko, conselheiro da Red Bull, sobre os planos da equ