Lando Norris

Perfil

Nome Lando Norris
País Inglaterra
Nascimento Bristol – Inglaterra
Pai Adam Norris
Altura 1,70
Peso 64 kg
Estado civil solteiro
Residência Guilford – Inglaterra
Hobbies simuladorF1, pintura e desenho
Equipe McLaren
Carro MCL 34
Número #4

Desempenho

Ano Categoria Equipe Corridas Vitórias Poles Voltas Abandonos Pódios Pontos Posição
2019 F1 McLaren 21 4 49 11º
2018 F1 McLaren Piloto de testes
2018 Sportcar U.Sport 18 58ª
2018 F2 Carlin 24 1 1 1 9 219
2017 F1 McLaren Piloto de testes
2017 F2 Campos 2 0 0 0 1
2017 GP Macau Carlin 1 0 0 0 0
2017 F3 Europa Carlin 30 9 8 8 20 441
2016 GP Macau Carlin 1 0 0 0 0 11º
2016 F3 Europa Carlin 3 0 0 0 0 N/C
2016 F2 inglesa Carlin 11 4 4 3 8 247
2016 Toyota M2 Competition 15 6 8 5 11 924
2016 NEC Josef Kaufman 15 5 8 5 11′ 316
2016 Renault Europa Josef Kaufman 15 5 6 4 12 253
2015 F4 britânica HHC Motorsport 4 2 1 1 4 128
2015 F4 Itália Mucke 9 0 0 3 1 51 11º
2015 F4 ADAC Mucke 8 1 9 3 6 131
2015 Fórmula MSA Carliin 30 8 10 9 15 413
2014 Ginete Jr HHC Motorsport 24 4 8 2 11 432

História

Lando Norris, nascido em Bristol, na Inglaterra, em 13 de novembro de 1999, é filho de Adam Norris, um administrador aposentado, uma das pessoas mais ricas de Bristol e a 501ª do país. Sua família, o pai Adam, a mãe Cisca, o irmão mais velho Oli, as irmãs Flo e Cisca, moram em Glastonbury, Somerset, mas ele divide um apartamento com o piloto de Fórmula 3 Sacha Fenestraz em Guildford, Surrey, a menos de 16 quilômetros da fábrica da McLaren, em Woking. Lando e Sacha correm uns contra os outros em simuladores em seu tempo livre e isso se torna competitivos.
Apesar do pai rido, Lando diz compra tudo como dinheiro que ganha. Ele diz ter vendido adesivos para a parte de trás dos telefones para fazer algum dinheiro. E a coisa mais cara que comprou foi o equipamento de aerógrafo para suas pinturas. Ele gosta de desenhar seus próprios gráficos e para isso tem seu próprio cortador de vinil, todo o equipamento de areografia e tintas. Também gosta de pintar seus capacetes, desenhar o próprio terno e botas. Esse seria o seu passatempo favorito, o que faria se não estivesse competindo.
Depois de inicialmente se interessar por motociclismo, a atenção de Norris mudou para as quatro rodas depois que seu pai o levou e a seu irmão para assistirem a uma partida do Super 1 National Kart Championships, na pista de kart local. Conforme o seu perfil publicado pela McLaren, Lando começou a correr de kart aos 9 anos, em 2008. No ano seguinte conquistou a pole no seu primeiro evento nacional e até hoje é o piloto mais jovem a conseguir essa posição numa competição britânica. Nesse mesmo ano de 2009, apesar de problemas mecânicos no início da temporada, a mudança para a equipe Mick Barret Racing e um chassi Tony Kart possibilitou a Lando vencer pilotos muito mais experientes.
Na temporada de 2010, Lando entrou nos dois principais campeonatos nacionais da categoria de cadetes, contra pilotos até três anos mais velhos que ele. Uma série de pódios e de pole positions – mais do que qualquer outro piloto naquele ano – viu sua reputação subir a caminho do 3º lugar no Super One Series, além de ganhar o cobiçado ‘O’ Plate durante a temporada. Em 2011, cursando a Millfild School, ao final de uma temporada frustrante devido a problemas no carburador e chassi de seu kart, ele se transferiu para a categoria Rotax Mini-Max, a fim de se preparar para o ano seguinte. E essa nova temporada marcou o início de uma série conquistas nos três anos seguintes, entre elas a Formula Kart Stars e vice-campeonato do MSA Super One British Championship.
Em 2013, Lando participou da WSK Euro Series, da Winter Cup, do Rotax Super One e do Euro Max. O talentoso adolescente mostrou classe e talento para se tornar o campeão europeu de KFJ da CIK-FIA, campeão WSK Euro Series KFJ e CIK- Campeão da Supertaça da FIA KFJ. Ele também foi vice-campeão no WSK Master Series e 4º colocado no Campeonato Mundial, com uma vitória no Bahrein.
Em 2014, Lando subiu para a KF, a principal categoria de Karting, enquanto também competia com carro de corrida no campeonato Ginetta Junior naquele ano. Na Croft, ele fez a primeira das cinco poles positions consecutivas, três das quais ele converteu em vitórias. Ele terminou o ano com uma quarta vitória, que lhe valeu o terceiro lugar no campeonato, um feito impressionante contra pilotos mais velhos e mais experientes. Mas a conquista mais notável aconteceu em setembro no Campeonato Mundial de KK da CIK-FIA, onde o piloto de 14 anos fez história ao se tornar o mais jovem vencedor do Campeonato Mundial.
Em 2015, aos 15 anos, Lando iniciou sua trajetória nos monopostos andando em quatro diferentes torneios de Fórmula 4, para pegar quilometragem. Venceu corridas em três deles. No único que disputou toda a temporada (MSA, atual F4 Britânica), foi campeão, somando oito vitórias e dez poles em 30 provas. Como piloto da Super Somerset, Lando, ficou em êxtase depois de conquistar o título inaugural da MSA Formula Championship com a Carlin. Ele conseguiu oito vitórias impressionantes durante a temporada para ser coroado campeão da Fórmula 4 da Grã-Bretanha em Brands Hatch em outubro. Em 2016, antes de se aventurar na Fórmula 3, Norris aproveitou a pouca idade para dar um passo intermediário. Começou o ano na Toyota Racing Series, um torneio de tiro curto disputado na Nova Zelândia nos meses de janeiro e fevereiro. Venceu cinco vezes, fez oito poles e conquistou o título. Com 3 coroas de campeonato, o piloto da McLaren Autosport BRDC Young Driver e piloto de corridas britânico do ano teve, então, a sua temporada de maior sucesso. Com 16 poles e 11 vitórias em 30 corridas, foi campeão da Eurocup e do campeonato Norte-Europeu da Fórmula Renault. Paralelamente, correu algumas etapas da Fórmula 3 Britânica, ganhando cinco das 11 corridas que disputou, ficando em oitavo na tabela.
O piloto da McLaren Young continuou sua fenomenal ascensão na categoria de automobilismo em 2017, ao se tornar o mais jovem campeão europeu de Fórmula 3 na história da FIA e os bons resultados chamaram a atenção da McLaren, que o selecionou para seu programa de jovens talentos. Aos 17 anos, Norris assinou com a equipe inglesa um compromisso de longa duração que o deixou ainda mais próximo da Fórmula 1. Enquanto isso, disputou a competitiva Fórmula 3 Europeia e mesmo correndo contra pilotos que já tinham pelo menos uma temporada na categoria, foi campeão com oito poles e nove vitórias. Em novembro foi anunciado como o piloto oficial de testes e reserva de F

Em 24 de agosto de 2018, Norris participou do primeiro treino livre no Grande Prêmio da Bélgica pela McLaren, dirigindo o carro nº 47. Ele fez 26 voltas e terminou a sessão na 18ª posição entre 20 carros. Em 3 de setembro de 2018, foi anunciado como piloto da McLaren para o Campeonato do Mundo de Fórmula 1 de 2019, em parceria com Carlos Sainz Jr., substituindo Stoffel Vandoorne, que foi correr na Fórmula E.
Na estreia, no Grande Prêmio da Austrália, Norris, o piloto mais novo do grid, com apenas 19 anos, surpreendeu ao passar para Q3 e se classificar na 8ª posição. Na corrida, ele foi o 12º, e ficou desapontado, admitindo que não fez uma boa largada, ficando atrás de carros mais lentos e cometeu alguns erros, que o impediram de marcar pontos. No Bahrein, Norris voltou à Q3, classificando=se na 10[ posição do grid e na corrida conquistou seus primeiros 8 pontos, terminando no 6º lugar. Na China, o jovem da McLaren foi 15º, o último da Q2 e na corrida foi classificado em 18º, o último lugar, por ter completado 90% do percurso, embora tenha abandonado a pista a seis voltas do final. No Azerbaijão, Norris voltou à Q3 e ocupou a 7ª posição do grid, terminando no 8º lugar e marcando mais 4 pontos. Na Espanha, depois de ser o 16º do grid, abandonou na 44ª das 66 voltas, depois de choque com Lance Stroll. Em Mônaco, foi 12º no grid e 11º na corrida. No Canadá, após ser 8º na qualificação, na 9ª volta da corrida, quando estava em 8º, parou ao lado da saída da pit lane, com problemas na suspensão raseira direita. Mais tarde, descobriu-se que os freios da McLaren haviam superaquecido e pegado fogo, queimando a suspensão. Na França, Norris obteve seu melhor resultado em classificações, o 5º lugar no grid. Na volta final da corrida, com problemas hidráulicos, foi ultrapassado por Daniel Ricciardo e Nico Hulkenberg, na curva 8, e terminou no 9º lugar. Na Áustria, voltou a ficar na 5ª posição do grid, fez uma grande largada, chegou a disputar posições com Lewis Hamilton e Kimi Raikkonen e chegou em 6º. Na Inglaterra, depois de largar da 8[ posição, Norris terminou em 11º, apontando erro de estratégia, a não fazer uma 2ª parada e na escolha dos pneus. Na Alemanha, foi 16ª na qualificação e deveria ser rebaixado para o último lugar do grid, por causa da troca de MGU-K, bateria e controle eletrônico, mas saiu de 19º, na frente de Vettel, que recebeu punição maior. Na corrida, abandonou a pista na volta 25, devido a perda de potência do motor. Na Hungria, Norris largou em 7º e não conseguiu manter a posição, como pretendia, e terminou em 9º. Na Bélgica, o jovem inglês largou da 12ª posição, chegou a correr em 5º, mas acabou em 11º, parando logo após a linha de chegada, de novo por perda de potência. Na Itália, Norris foi 16º na qualificação, mas largou da pit lane, devido a trocas no motor e conseguiu obter mais um ponto, no 10º lugar. Em Cingapura, terminou em sexto nas Q1 e Q2, mas depois caiu para 9º na fase final, ao rodar 0s7 mais lento. Na corrida, porém, se saiu melhor, chegando em 7º. Na Rússia, Norris foi 8º na qualificação, mas ganhou uma posição, graças a punição sofrida por Max Verstappen, e terminou em 8º. Com o resultado, totalizou 35 pontos e passou à 9ª colocação na classificação dos pilotos, enquanto companheiro Carlos Sainz chegava a 66 pontos e era o 7º colocado. No Japão, Norris largou da 8ª posição, mas na corrida caiu para 11º. No México, largou de 8º, mas abandonou na 48ª das 71 voltas, depois de um erro dos mecânicos, que deixaram uma roda solta, obrigando-o a parar na saída da pit lane. Nos Estados Unidos, voltou a ser 8º no grid e completou a prova em 7º, totalizando 41 pontos e caindo para o 11º lugar na classificação dos pilotos, enquanto Sainz mantinha-se em 7º, com 80 pontos. No Brasil, depois de comemorar, no dia 13 de novembro, seus 20 anos, Norris terminou em 8º, após fazer jogo de equipe e dar passagem ao companheiro Carlos Sainz, mais bem colocado na classificação dos pilotos. A manobra foi decisiva para que Sainz acabasse com o 3º lugar no pódio, beneficiado por punição a Lewis Hamilton. Em Abu Dhabi, Norris se qualificou em 7º, mas largou em 6º, devido a punição sofrida por Valtteri Bottas. Na corrida, perdeu o 7º lugar para Sergio Perez, na última volta, por causa do desgaste dos pneus.
Lando Norris terminou o campeonato no 11º lugar com 49 pontos, 47 menos que o companheiro Carlos Sainz, 6º. E ambos colocaram a McLaren na 4ª posição entre as equipes.
Em julho, a McLaren anunciou a assinatura com Norris de um contrato de vários anos, a partir de 2020.

órmula 1 da McLaren para 2018.