Publicidade

Joe Siffert

 

Nome

Joseph (Jo) Siffert

Nascimento

7 de julho e 1936

Local

Friburgo – Suíça

Morte

24 de outubro de 1871

Local

Brands Hatche 0 Inglaterra

Equipes

Lotus e Brabham, Rob Walker, March, BRM

Estreia na F1

GP de Mônaco de 1962

1ª vitória

GP da Inglaterra de 1968

Última vitória

GP da Austrália de 1971

Última corrida

GP dos Estados Unidos de 1971

Carreira

1862-1971

Largadas

96

Títulos

0

Pontos

68

Vitórias

2

Pódios

6

Poles

2

1ª fila  
Voltas+rápidas

4

 2ºs lugares

2

3ºs lugares

2

4ºs lugares

7

5ºs lugares

2

6ºs lugares

5

1ª fila

6

Voltas na liderança

122

Km na liderança

636

 

Nascido em 7 de julho de 1936, em Friburgo, na Suíça, filho de empresário de laticínios, Joseph Siffert foi motociclista, tendo sido campeão suíço da modalidade em 1957. Começou no automobilismo em 1959, disputando provas da Fórmula Júnior.

Três anos depois já estreava na Fórmula 1, com um 4 cilindros da Lotus-Climax. No ano seguinte, passou para a escuderia suíça Filipinetti e em 1964, juntou-se à Rob Walker Racing Team, da Inglaterra, conseguindo vitórias em corridas não válidas pelo campeonato.  Em 1965, representava a Walker nessa categoria, tendo corrido o GP do Mediterrâneo. Com o Cooper Maserati obteve boas colocações em 1966 e 1967. Venceu seu primeiro GP em 1968, na Inglaterra. No mesmo ano passou a correr pela Porsche no Mundial de Marcas, vencendo em Sebring, Nurburgring  e Zeltweg.

O seu melhor desempenho aconteceu em 1969, com vitorias no Mundial de Marcas, em Monza, Spa, Brands Hatch, Nurburgring, Seis Horas de Watkings Glen e GP da Áustria. Na temporada seguinte, venceu a Targa Florio, em Spa e Zeltweg. Em 1971, conquistou para a Porsche o tricampeonato mundial de marcas.

Ainda em 1971, disputou o Mundial de Pilotos pela BRM e venceu o GP da Áustria. No dia 24 de outubro, no auge da carreira, quando participava de prova em Brands Hatch, para festejar a conquista do título por Jackie Stewart, seu BRM saiu da pista, chocou-se com um barranco e incendiou-se, Siffert ficou preso entre as ferragens e morreu.  Seu funeral, na Suíça, teve o acompanhamento de 50 mil pessoas e um Gulf-Porsche 917, da equipe John Wyer, levou o caixão pelas ruas de Friburgo.

Siffert foi casado duas vezes e com a segunda mulher, Simon, viveu desde o início da carreira até a morte. Com ela, teve dois filhos, Véronique e Phillippe.

Uma extensa reportagem  sobre a morte de Siffert foi publicado em 2005, no jornal suíço Der Blick, por Roger Benoit. Na noite da véspera da morte, Benoit havia fotografado o piloto, sua mulher, a mãe dele e um amigo, na comemoração do título. Também fez a última foto de Siffert vivo, dentro da sua BRM, na quarta fila, cinco minutos da largada. Ainda em 2005, um documentário de 90 minutos sobre sua vida, “Jo Siffert, viveu rápido, morreu jovem”, foi feito pelo diretor de cinema suíço Men Lareida.