Publicidade

Jean-Pierre Beltoise

Nome

Jean-Pierre Maurice Georges Beltoise

Nacionalidade

Francês

Nascimento

26 de abril de 1037

Local

Paris

Carreira

1967-1974

Equipes

Mafra, BRM

Largadas

86 (em 88 corridas)

1ª corrida

GP de Mônaco de 1967

Última corrida

GP dos Estados Unidos de 1974

Pontos

77

Vitórias

1

Pódios

8

Primeira fila

2

Voltas+rápidas

4

2ºs lugares

3

3ºs lugares

4

4ºs lugares

3

5ºs lugares

10

6º lugares

5

Voltas na liderança

101

Km na liderança

378

Beltoise entrou para as corridas de automóveis em 1963, participando da Targa Florio, Nurburgring e das 24 Horas de Le Mans, com uma Bonnet. Em 1964, sofreu um acidente em Reihms, que o impediu de participar da F2, pela equipe da René Bonnet.

No ano seguinte, participou da F3, pela Matra, que tinha absorvido a equipe de Bonnet. Venceu em Rheims e Cognac; chegou em 2º  em Ruan, Magny-Cours e Monthery, tornando-se campeão francês.

Em 1966, passou para a F2, vencendo o GP da Alemanha e classificando-se em 2º lugar nos GPS da França e Le Mans, tornando-se também campeão francês a categoria.

Em 1967, participou da F3 da Argentina, vencendo 4 corridas e ganhando o apelido de “El Ganador”. Em 1968, foi campeão europeu da F2, cm vitórias em Hockenheim, Zandvoort e Tulin.

Em 1966, começou a participar também de corridas da F1, pela Matra, e, em 1968, foi o 9º colocado no mundial de pilotos, com 11 pontos. Mas só em 1969 definiu-se pela categoria principal, ainda pela Matra, em dupla com Jackie Stewart, classificando-se em 5º lugar na classificação final, com 21 pontos.

Com a saída de Stewart da Matra, Beltoise tornou-se o primeiro piloto, porém conseguiu apenas o 9º lugar no mundial de pilotos de 1970, com dois 3ºs lugares, dois 5ºs e um 6° e 16 pontos no total.

Em 1971, voltou a conciliar a Fórmula 1 com outras categorias e, em parceria com Henry Pescarolo e François Cevert, com os esportes-protótipos da marca francesa é que conseguiu suas maiores vitórias. Mas aí também passou pela sua maior tristeza, o acidente em que morreu o piloto italiano Ignazio Giunte, nos Mil Km de Buenos Aires. El foi considerado culpado, por ter empurrado seu caro sem gasolina pela pista, e suspenso por seis meses pela FIA.

A sua única vitoriana Fórmula 1 ocorreu no GP de Mônaco de 1972, coma BRM, debaixo de forte temporal. Venceu também em Brands Hatch, uma prova que não era válida pelo campeonato. No ano seguinte, sua melhor classificação foi o 4º lugar no GP do Canadá. Em 1974, chegou em 2º lugar na África do Sul e em 5º na Argentina e na Bélgica e depois abandou as pistas, aos 38 anos de idade.

Dos 86 GPS que disputou na Fórmula 1, Beltoise ganhou apenas essa corrida de Mônaco e conseguiu um 2º, três 3ºs, três 4ºs, dez 5ºs e cinco 6ºs lugares, fez 4 voltas mais rápidas e marcou 77 pontos. No mundial de pilotos, foi 9º, em 1968, com 11 pontos; 5º, em 1969, com 21 pontos; 9º, em 1970, com 16 pontos; 22º, em 1971, com 1 ponto; 11º, em 1972, com 9 pontos; 10º, em 1973, com 9 pontos, e 13°, em 1974, com 10 pontos.

Jean-Pierre Beltoise é casado com uma irmã de François Cevert e tem dois filhos, Anthony e Julian, ambos também pilotos.