Brendon Hartley

Perfil

 Nome Brendon Hartley
País Nova Zelância
Nascimento: 10 de novembro e 1989
Pais Brian Hartley
Altura: 1,84
Peso: 67 kg
Equipe Toro Rosso
Carro nº 28
Corridas F1 25

 

Carreira

Ano Categoria Equipe Corridas Vitoria Pole Pódio Volta Pts Pos.
2018 Fórmula 1 Toro Rosso 21 4 19º
 

 

2017

Fórmula 1 Toro Rosso 4  0 23º
Weather Tec Tequila 3 1 1 80 19º
24 h Le Mans Porsche 1 1 1
FIA Endurance Porsche 9 4 2 8 208
 

2016

Weather Tc Ganassi 27 27º
24 h Le Mans Porsche 1 13º
FIA Endurance Porsche 8 4 5 134,5
 

2015

United SportsCar Starworks 1 23 30º
24h Le Mans Porsche 1
FIA Endurance Porsche 8 4 5 6 166
 

2014

United SportCar Starworks 1 15 55
24 h Le Mans Porsche 1 N/c
FIA Endurance Porsche 8 1 3 64,5
 

 

2013

Fórmula 1 Mercedes Piloto de testes
24 h Le Mans 2 Murphy 1
Le Mans Europa Murphy 5 1 1 2 4 64
Rolex Sport Starworks 11 1 1 2 2 252 12º
 

 

2012

Fórmula 1 Mercedes Piloto de testes
24h Le Mans 2 Murphy 1 N/c
Les Mans  Euro Murphy 2 1 1 15 10º
GP2 Series Ocean 4 1 25º
 

2011

GP2 Séries Ocean 4 4 19º
Renault 3,5 Gravity 16 3 2 95
 

 

 

2010

Fórmula 1 Toro Ross

Red Bull

Piloto de testes e reserva
GP2 Séries Coloni 4 1 27º
Renault 3,5 Motorsport 2 50 10º
Tech 1 11 1 2
 

 

2009

Fórmula 1 Toro Rosso

Red Bull

Piloto de testes e reserva
Renault 3,5 Tech 1 13 1 1 3 26 15º
GP  de Macau Carlin 1 N/C
F3 Euro Series Carlin 16 1 1 15 11º
 

 

 

2008

Fórmula 1 Toro Rosso Piloto de testes
GP e Macau Carlin 1 1 1
F3 Masters Carlin 1
F3 Euro Series Motorsport 2 0 N/C
Carlin 6
F3  Britânica Carlin 22 5 5 11 4 208
 

 

2007

GP de Macau Carlin 1 12º
F3 Masters ASL Muke 1
Renault 2.0  Itália Epsilon 14 1 1 5 5 236
Renault 2.0 Euro Epsilon 14 6 4 8 4 134
2006/07 Toyota Séries Park Match 1 N/C
2006 Renault 2.0 Euro Arena 14 21 13º
Renault 2.0 NEC Arena 14 1 1 151 10º
2005/06 Toyota Séries Victory 12 8 711
2005 Toyota Séries GVI 15 3 1 2 7 807
2003/04 F Ford N.Zelan. 18 6 6 9 3 239
2002/03 F Ford N.Zelan 6 335

 

 História

Brendon Hartley nasceu, no dia 10 de novembro de 1989, na cidade de Palmerston North, na Nova Zelândia, numa família ligada aos esportes a motor. Seu pai, Brian Hartley competiu em várias formas do esporte. Aos seis anos, começou a correr de kart, seguindo o irmão Nelson, assim chamado em homenagem ao brasileiro Nelson Piquet. Aos oito anos, participou de sua primeira corrida de campeonato e diante de vários veteranos terminou a temporada no 7º lugar.

Aos 13 anos, subiu para os monopostos e obteve a sua primeira vitória importante, ganhando o Festival da Fórmula Ford da Nova Zelândia, o que lhe garantiu um carro para o campeonato do ano seguinte. Com um carro que tinha sido usado pelo irmão no anterior, começou quatro corridas e ganhou duas delas.  Depois de uma temporada da Fórmula Toyota na Nova Zelândia, como todo candidato a piloto profissional, aos 16 anos, Brendon decidiu ir para a Europa. Mas, ao contrário da maioria dos pilotos, que prefere os grandes centros do esporte a motor, preferiu a Alemanha Oriental. A partir de lá, passou a competir nos campeonatos alemão e europeu da Renault 2.0, da qual foi campeão em 2007, com três vitórias e três pódios, Nesse ano, Brendon estreou na F3 Masters, em corrida em Zolder, acabando em 4º. Também fez uma prova com a equipe da A1 da Nova Zelândia, que lhe valeu o título de calouro do ano. Ainda em 2007, correu o GP de Macau, terminando em12º, e disputou a Renault 2.0 Itália, sendo 3º.  Em 2008, competiu na Fórmula 3 britânica, pela Carlin Sport, ganhou cinco corridas e terminou em 3º lugar por ter maior número de abandonos; tinhas seis, enquanto Jaime Alguersuari e Oliver Turvey tinham apenas dois. O neozelandês participou também de 8 corridas da F2 Euroséries, chegando na zona de pontuação em duas, e foi 5º colocado na F3 Masters. Sua atuação mais destacada aconteceu na segunda intervenção no GP de Macau, no dia 16 de novembro. Após largar da 11ª posição, devido a acidente na classificação, fez a volta mais rápida e terminou no 3º lugar. A performance despertou o interesse da Red Bull, que o chamou para substituir Mark Webber, que estava machucado, num teste daquele ano. No ano seguinte, passou a ser piloto de testes e reserva da Toro Rosso e Red Bull, condição que manteve até 2010.

Em 2009, Brendon continuou na Carlin para disputar a F3 europeia, na qual terminou em 11º, por ter faltado a duas corridas, por compromissos com a Tech 1 Racing na Renault 3.5, onde obteve um 2º e um 5º lugares e foi 15º. Confirmando pela Tech 1 para uma temporada completa, em 2010, Brendon teve co o australiano e companheiro de Red Bull Júnior Daniel Ricciardo. Durante as férias de verão, soube que fora desligado da Red Bull Júnior, substituído pelo líder do campeonato da F2 britânica Jean-Eric Vergne. Sem o apoio da Red Bull, estreou, em Monza, na GP2, substituindo Vladimir Arabadzhievi, na equipe Coloni, sendo o 27º colocado no campeonato, com apenas um ponto marcado na etapa final em Yas Marina.

Em 2011, Hartley voltou à Fórmula Renault 3.5, correndo, ao lado de Jan Charouz, para a equipe Gravity-Charouz Racing. Também retornou ao GP2 para a oitava rodada da série no Spa-Francorchamps, substituindo Kevin Mirocha e dirigindo ao lado de Johnny Cecotto Jr. na equipe Ocean Racing Technology, para quem ele testou antes do início da temporada. Ele terminou em quinto lugar em sua primeira corrida com a equipe e 19º no campeonato geral.

Hartley começou a temporada de 2012 sem um carro, mas voltou para a Ocean para a segunda rodada do campeonato no Bahrain, no lugar de Jon Lancaster. Após duas rodadas, foi substituído por Víctor Guerin, e terminou 25º no campeonato. Ele também se juntou à equipe de carros esportivos Murphy Prototypes, na LMP2 na European Le Mans Series. Conduzindo o Oreca 03-Nissan da equipe, terminou em décimo no geral e o terceiro na classe LMP2 com seus colegas Warren Hughes e Jody Firth. O trio se juntou novamente para as 24 Horas de Le Mans, mas se retirou da corrida depois de completar 196 voltas do circuito. No mesmo anos, além de correr a GP2, não passando do 25º lugar, competiu na Le Mans europeia, na qual foi 10º, e voltou a ser piloto de testes, agora da Mercedes.

Em 2013, disputou a Le Mans da Europa, sendo o 5º colocado e as 24 Horas de Le Mans LMP 2, que terminou em 6º, e continuou como piloto de testes da Mercedes. Em 2014, ao lado da primeira tentativa malograda nas 24 horas de Le Mans, passou disputar o campeonato de Endurance da FIA, conseguindo a 9ª colocação. Em 2014 e 2015, Brendon correu pela Starworks Motorsport, as 24 horas de Daytona, e em 2016 defendeu, na mesma prova, a Ford Chip Ganassi Racing. Nesse ano, competiu na Endurance, 24 h de Le Mans e na temporada de Inverno, com resultados discretos, mas o seguinte foi seu ano de sorte. Conquistou os dois resultados mais expressivos da carreira até então, sendo campeão da Endurance, em parceria com Mark Webber e Timo Bernard, e vencendo as 24 horas de Le Mans, ao lado de Timo Bernhard e Earl Bamber.  O s dois feitos voltaram a chamar a atenção e em outubro Brendon foi chamado pela Toro Rosso para substituir Pierre Gasly nas últimas quatro corridas da temporada. Ele estreou no GP dos Estados Unidos, em 25 de outubro, e depois correu no México, Brasil e Abu Dhabi, sendo o 9º neozelandês a ingressar na Formula 1.

Na primeira corrida, como número 39 no carro, ele se classificou na 17ª posição depois de ser eliminado durante o Q1, mas começou da 19ª devido a punição por trocar de motor. Terminou a corrida no 13º lugar, uma volta atrás do vencedor da corrida, Lewis Hamilton. Em 26 de outubro, foi confirmado que Hartley continuaria sendo o piloto da Toro Rosso pelo resto da temporada, substituindo  a Daniil Kvyat e ele escolheu 28 como seu número de corrida. Em 16 de novembro de 2017, a Toro Rosso o anunciou como piloto titular, ao lado de Pierre Gasly para a temporada de 2018.

Brian Hartley, pai de Brendon, disse que a oficina que tem há mais de 20 anos sempre passou a ter um fluxo constante de simpatizantes assim que a notícia sobre seu ingresso na F1 circulou.