Publicidade

Bernd Rosemeyer

Piloto alemão que conseguiu se destacar rapidamente no cenário automobilístico Bernd Rosemeyer nasceu em Lingen, em 1909. Em apenas dois anos e meio como piloto conseguiu dez vitórias em Grandes Prêmios.

Sua carreira começou na Auto Union, equipe de origem alemã, que precisava de um corredor para completar seu quadro de pilotos. Logo nos primeiros testes, Rosemeyer demonstrou audácia e coragem,  qualidades que ele iria mostrar  mais uma vez em sua estréia em maio de 1935 no GP de Avus. Não teve muita sorte. Na prova seguinte, no GP de Eifel, em Nürburgring, o piloto alemão quase venceu o favorito Caracciola. Desta vez foi o motor do carro que não suportou o esforço exigido.

Pouco tempo depois, na Copa Acerbo, Rosemeyer foi jogado fora da pista mas conseguiu voltar e terminar a prova em segundo lugar. Esta façanha foi considerada extraordinária, elevando o piloto a categoria de novo ídolo.

No mesmo ano, em setembro, o piloto alemão consegue sua primeira vitória no GP da Tchecoslováquia. Um problema de saúde, porém, o tira das pistas no resto do ano.

Em 1936 volta a correr, em abril, no GP de Mônaco. O mau tempo e o difícil traçado da pista não favorecem o piloto que sofre um acidente e não termina a prova. Nos  Grandes Prêmios seguintes,  em Trípoli e na Espanha, o piloto alemão não conseguiu nenhuma vitória. Foi em Nürburgring que Rosemeyer conseguiu ultrapassar a Alfa Romeo de Nuvolari,  vencendo a competição.  Vence novamente a prova seguinte, o GP da Alemanha e depois os Gps da Suiça e da Itália.

Na temporada de 1938, a grande rivalidade entre duas grandes equipes alemãs, Mercedes e Auto Union, é a grande sensação. A Mercedes começa vencendo em Trípoli e em Avus. Rosemeyer só viria se realibilitar junto com seu Auto Union no GP de Eifel, em Nürburgring, conquistando sua terceira vitória consecutiva.

Outra vitória Rosemeyer conquistaria na Copa Vanderbilt, nos Estados Unidos, perdendo vários Gps na Europa no mesmo ano. Sua última vitória no ano seria em Donington, na Inglaterra.

Em 28 de janeiro de 1938, em uma tomada de tempo, Rosemeyer tentava bater o recorde de velocidade de 429 Km/h de seu compatriota e rival Rudolf Caracciola quando perdeu o controle de seu carro a mais de 400 Km/h, chocou-se com a proteção de pista e foi arremessado para fora do carro, tendo morte instantânea. Caracciola também sofreu com o forte vento e de tentar quebrar o recorde quando já estava em 404,00 km/h.