Publicidade

Lance Stroll

 

Perfil

 Nome Lance Stroll
País Canadá
Nascimento: 29 de outubro de 1998
Local Montreal
Pais Laurence Stroll/Claire–Anne Callens
Altura: 1,82
Peso: 70 kg
Hobbies Hóquei, golfe, surfe
Equipe Williams
Carro nº 18

 Desempenho

Estreia F1 GP da Austrália de 2017
Corridas 37
Títulos 0
Vitórias 0
Pódios 1
Voltas 0
Pontos 46
Ano Categoria Equipe Corridas Vitoria Pole Pódio Volta Pts Pos.
WeatherTech Jackie Chan 1 20 42º
2018 Fórmula 1 Williams 16 6 17º
2017 Fórmula 1 Williams 20 1 40 12º
2016 Fórmula 1 Williams Piloto de desenvolvimento
WeatherTech Ganassi 1
F3 Europa Prema 30 14 14 20 13 507
2015

 

 

Fórmula 1 Ferrari Piloto de desenvolvimento
Série Toyota M2 Competition 16 4 10 1 906
GP de Macau Prema 1
F3 Europa Prema 32 1 6 231
 

2014

F4 Itália Prema 18 7 5 13 11 331
Inverno Flórida 12 2
2013 Kart – KF3 Disputa o campeonato europeu; é 6º no campeonato mundial da CIK-FIA e disputa a SuperCopa da CIK-FIA
2012 Kart -KF3 Conquista o 4º título do Flórida Winter Tour; é 2º no Troféu Andrea Margutti, disputa campeonato europeu CIK-FIA,; é 4º no WSK Master;é 1º no MG Tires SKUSA Tag Júnior e a final da Copa do Mundo da CIK_FIA
2011 Kart- KF3 Participa da WSK Euro, campeonato alemão de juniores, Copa do Mundo da CIK-FIA, ESKUZA TAG Júnior, ERDF Master Júnior e Copa Bridgestone da Europa
2010 Kart – KF3 Disputa Flórida Winter Tour e ingressa na academia de jovens pilotos da Ferrari
2009 Kart É apontado como o piloto do ano pela Federação de Automobilismo de Quebec

E 2º colocado no Flórida Winter Tour

2008 Kart É eleito o estreante do ano da Federação de Automobilismo de Quebec

 História

 Lance Stroll nasceu em Montreal, no Canadá, em 29 de outubro de 1998, É o segundo filho do empresário e bilionário judeu Lawrence Stroll e da estilista belga Claire-Anne Callens. Sua avó materna, Anne, que é assessora de imprensa dele, já trabalhou com Ayrton Senna, enquanto este esteve na Williams

Lawrence Stroll fez fortuna na indústria de roupas, sendo apontado com o 722º homem mais rico do mundo.Apaixonado por automobilismo, é dono do circuito de Mont Tremblant, no Canadá. Com patrimônio de cerca de 2 bilhões de dólares, usou parte desse dinheiro para incrementar a carreira do filho. Além da uma pista própria, comprou também a equipe Prema, uma das melhores da categoria de base na Europa, e colocou o filho para correr nela na F4 italiana e na F3 europeia. Lawrence levou cerca de 35 milhões de reais ao time inglês para garantir um lugar para o filho como titular em 2015. Além disso, teria pagado por testes com o carro de 2014.

Lance Stroll começou a andar de kart aos cinco anos, com um presenteado pelo pai, Aos 10 anos, em 2008, iniciou a carreira oficial, com vitórias em corridas e campeonatos no Canadá e Estados Unidos. No primeiro ano de atividades, ganhou o prêmio de melhor calouro da temporada, da Federação de Esportes de Quebec.

Em 2009, aos 11 anos, ainda correndo de kart, Stroll ingressou no programa de preparação da Academia Ferrari, que deixou em 2015, quando saiu para entrar no programa de desenvolvimento da Williams e ser piloto reserva em 2016. A mudança provocou surpresa, porque o pai de Lance é apaixonado pela escuderia italiana, tendo patrocinado a equipe no tempo de Michael Schumacher, e ter uma coleção de carros da fábrica italiana.

Entre 2009 e 2011, Lance Stroll ganhou quatro títulos do Flórida Winter Tour de kart. Em 2011, participou da WSK Euro; do campeonato alemão de juniores; da Copa do Mundo da CIK-FIA; ESKUZA TAG Júnior, ERDF Master Júnior e Copa Bridgestone da Europa. Em 2012, foi 2º no Troféu Andrea Margutti; disputou o campeonato europeu CIK-FIA; foi 4º no WSK Master; 1º no MG Tires SKUSA Tag Júnior e correu a final da Copa do Mundo da CIK_FIA.  Em 2013, disputou o campeonato europeu; foi 6º no campeonato mundial da CIK-FIA e correu a SuperCopa da CIK-FIA

Com a mudança para o Campeonato Italiano de Fórmula 4 em 2014, o canadense acrescentou outro título ao seu currículo. , Foi campeão da Fórmula 4 Italiana, em sua edição inaugural, com 7 vitórias, 5 poles, 13 pódios, 11 voltas e 331 pontos, em 18 corridas. Ainda nesse ano, participou de 12 corridas do Flórida Winter Tour, ao lado de Max Verstappen, com um pódio.

Em 2015, foi campeão da Toyota Racing Séries, na Nova Zelândia, com 4 vitórias, 10 pódios, 1 volta rápida e 906 pontos, em 16 corridas. Também nesse ano, foi alvo de muitas críticas, por seu desempenho agressivo no campeonato da Fórmula 3 Europeia, que disputou pela equipe Prema. Em duas ocasiões se envolveu em acidentes ao tentar pressionar os adversários para fora da pista. Primeiro em Spa, na Bélgica, tirou outros dois pilotos da prova; depois em Monza, provocou um acidente impressionante e acabou punido pela manobra que deu origem à batida.  Na “rádio paddock” corria que ele só estava na competição por que o pai teria comprado a equipe Prema Powerteam. Nas 37 provas do campeonato, venceu uma e fez 6 pódios, ficando em 5º na classificação final, com 231 pontos. Em 11 de novembro de 2015, foi confirmado que Stroll deixaria a Ferrari para servir como piloto de testes da Williams.
O canadense começou 2016 com a 5ª colocação no WeatherTech Rolex 24,  em Daytona, num Ford Chip Ganassi Racing e entrou no Ford EcoBoost Prototype,  para se tornar o mais jovem finalizador geral mais bem colocado na história do evento. Ele permaneceu na Prema Powerteam, pelo terceiro ano consecutivo, para disputar a Série Euro F3 pelo segundo ano. Em 30 corridas, obteve 14 vitórias, 14 poles, 20 pódios e 17 voltas mais rápidas, e foi campeão com 507 pontos, mais de 100 à frente do segundo colocado, Maximilian Gunther. Com isso, quebrou o recorde de mais jovem campeão da categoria.

Em 3 de novembro de 2016, a Williams Martini Racing anunciou que o Stroll seria seu piloto em 2017, tornando-se  o primeiro piloto de Fórmula 1 do Canadá, desde o campeão mundial de 1997, Jacques Villeneuve, que também iniciou sua carreira na Williams. O piloto teria coseguido esse espaço pelo grande financiamento de seu pai, o que fez sua permanência na F1 foi muito questionada.

Como piloto titular da Williams, Stroll conquistou seu primeiro pódio, um terceiro lugar, no Grande Prêmio do Azerbaijão 2017, tornando-se o segundo piloto mais jovem a terminar uma corrida de F1 no pódio e o mais novo a fazer isso na temporada de estreia. Depois de três abandonos, o jovem piloto fez a primeira corrida completa na quarta etapa, na Rússia, onde terminou em 11º, apesar de rodar na primeira volta. No Grande Prêmio da Espanha, Stroll terminou em 16º  e último dos pilotos que terminaram a corrida. Duas semanas depois, em Mônaco, deixou a pista  após falha de freio, mas ainda se classificou em 15º,  por ter completado 90% do percurso. Por coincidência, seus primeiros dois pontos foram conseguidos pelo 9º lugar na corrida “em casa”, Montreal.  O primeiro pódio foi obtido com o terceiro no Grande Prêmio do Azerbaijão 2017, e, com a idade de 18 anos e 239 dias, tornou-se o mais jovem piloto novato a subir em um pódio de Fórmula 1. Além disso, Stroll ganhou mais posições na volta de abertura do que qualquer um dos seus rivais na temporada.
No dia 2 de setembro de 2017, o Stroll registrou o quarto melhor tempo durante uma sessão de classificação em pista molhada para o Grande Prêmio da Itália. Devido a ambos os pilotos da Red Bull, Daniel Ricciardo e Max Verstappen (respectivamente, 3º e 2º),terem sido eliminados, Stroll foi promovido ao 2º lugar no grid de largada, fazendo dele o mais jovem piloto de Fórmula 1 a começar na primeira fila da corrida, com a idade de 18 anos e 310 dias. Terminou em 7º na corrida.
Na antepenultima corrida da temporada 2017, o Grande Prêmio do México, no dia 29 de outubro, em que completou 19 anos,  Stroll chegou em 6º, depois de largar da 11ª posição do grid,  colocando-o à frente do companheiro de equipe Felipe Massa em pontos marcados,  pela primeira vez na  temporada. Mas no final, com 40 pontos, Lance Stroll foi 12º colocado, uma posição atrás de Massa, que fez 43 pontos.
Em 2018, depois de o pai dele passar a fazer parte do grupo que comprou a Force India, surgiram especulações de que Lance Stroll poderia se transferir para a equipe em 2019, ou até mesmo antes disso, já em 2018.