15/04/19

Wolff explica e comemora parada simultânea

Na volta 37 do GP de Xangai, Lewis Hamilton e Valtteri Bottas foram chamados aos boxes ao mesmo tempo e um entrou na pit lane logo atrás do outro. Assim que Hamilton foi liberado, Bottas entrou no pit, na manobra mais sensacional da corrida e talvez da F1.
O chefe da Mercedes Fórmula 1, Toto Wolff, disse que a equipe optou por empilhar (chamar os dois ao mesmo tempo) seus pilotos durante o Grande Prêmio da China porque não queria “interferir” na ordem da corrida.
Com Lewis Hamilton liderando confortavelmente a 1000ª corrida Campeonato Mundial de F1 a Mercedes optou por chamar seus dois pilotos para o pit lane na 37ª etapa da corrida, definindo-se por uma estratégia de duas paradas.
Wolff disse que a decisão de fazer a parada dupla foi tomada a fim de encobrir a ameaça de Bottas vir a ser potencialmente prejudicado por Sebastian Vettel, da Ferrari. “
O “double-stack” foi particularmente um momento de orgulho porque tínhamos tudo a perder em P1 e P2 e estávamos pensando em perder a posição se tivéssemos que apostar por um dos dois, e empilhar (como ele se refere à parada dupla) funcionou de forma brilhante”, disse Wolff à Sky Sports.
Falando depois em uma sessão de mídia Wolff acrescentou: “Foi uma situação interessante porque ficou claro que Valtteri naquela situação estava sob pressão de Sebastian. Então, se Sebastian tivesse parado, ele teria minado Valtteri. A escolha lógica era parar Valtteri primeiro. Mas se tivéssemos parado Valtteri, ele teria prejudicado Lewis. Então, nós não quisemos interferir, por isso decidimos empilhar. Sabíamos que poderíamos ter um buraco para empilhá-los adequadamente. Nós nos comprometemos com Valtteri que não perderíamos qualquer momento, e foi realmente impressionante como os caras fizeram isso. Foi uma coreografia para todos que entendem que a Fórmula 1; foi realmente impressionante. Até Dieter Zetsche convocou todos os mecânicos e disse que nunca tinha visto nada parecido antes, e deu parabéns. ”
Hamilton voltou ao circuito na liderança da corrida, enquanto Bottas emergiu em terceiro lugar atrás de Charles Leclerc, mas, depois de ficar preso atrás do piloto da Ferrari por quase duas voltas, ele fez uma ultrapassagem assistido por DRS na curva 14.
Wolff acrescentou que a equipe não tinha certeza se a estratégia de uma parada ou de duas paradas era o caminho certo a seguir, mas disse que a decisão da Red Bull de deter Max Verstappen acabou por desencadear a reação em cadeia entre as três principais equipes.
“Max foi quem em ambos os casos desencadeou as paradas”, explicou Wolff. “Ninguém tinha certeza de que seria uma parada (one-stop) ou duas paradas (two-stopper). Queríamos ter certeza de que Valtteri não perderia com a parada, e Lewis não perderia para o Valtteri. É por isso que o empilhamento, que é uma manobra extremamente complicada, foi a única solução. Você não consegue treinar muito. A primeira linha de ataque precisa estar fora do caminho para o segundo grupo colocar os pneus. Como isso funcionou hoje, eu só posso tirar meu chapéu para a mecânica e todos os envolvidos nas paradas”, completou Wolff.

A Mercedes revelou que quebrou seu próprio recorde de pit stop no GP da China, em uma parada que contribuiu para que Valtteri Bottas tirasse a liderança de Sebastian Vettel.
Bottas superou Vettel quando parou na 19ª volta, e ele passou com sucesso o piloto da Ferrari, que foi para o pit uma volta mais tarde.
O tempo oficial de parada para o finlandês foi de 2s15 – que ganhou o prêmio de pit mais veloz – mas a Mercedes diz que em sua medida interna a parada foi ainda mais rápida.
“Estávamos 3s3 atrás de Sebastian quando entramos no pit lane”, disse o estrategista-chefe James Vowles em um vídeo da Mercedes.
“Algumas coisas vieram em nossa direção perfeitamente todas juntas e ao mesmo tempo. O primeiro foi que nosso pit stop foi incrível. Nessa nova era, fizemos um tempo de 1s83, baseado em nosso sistema de semáforo. Isso é muito rápido. Desde Austin em 2016, com as rodas e pneus menores, nós não fazíamos algo assim. E a parada de Sebastian foi em torno de 0s9 mais devagar. Se você medir em todo o pit lane, o pit stop ficou em torno de 0s7 disso. Então, logo tiramos uma margem dele.”
Vowles salientou que Bottas também fez uma grande contribuição para a ultrapassagem após o pit.
“A volta de Valtteri foi extraordinária. Temos várias mensagens que demos a Valtteri para termos a certeza de que ele sabia o que precisava fazer. Foi como uma volta de qualificação: ele a executou com perfeição, e não cometeu erros. Isso contribuiu para alguns segundos ganhos. O elemento final foi na volta de retorno. Você pode ver Sebastian realmente lutando com os pneus macios velhos. Eles ainda estavam em bom estado, eles não estavam completamente perdidos, mas você pode ver a perda de alguns décimos. Tudo isso aconteceu de maneira ótima para permitir que Valtteri saísse por volta de 0s7 à frente de Sebastian. Foi um bom pit stop e foi uma saída fantástica de Valtteri.”