21/04/19

Wolff descarta Racing Point como equipe B

No início da semana do Grande Prêmio da China, foi anunciado que a Racing Point usaria o túnel de vento da Mercedes, abandonando a Toyota, localizada em Colônia, alegando que as questões logísticas eram a principal razão para a mudança.
Além disso, a equipe de Sergio Perez e Lance Stroll faz uso da unidade de potência, caixa de velocidades, hidráulica e alguns componentes eletrônicos comuns da campeã das construtoras, a Mercedes.
Mas Toto Wolff não espera que essa ligação vá mais longe, para converter Racing Point em um time B da Mercedes.
“Em primeiro lugar, não vamos propor um modelo como Haas e Ferrari, porque Haas era um novo participante, uma equipe criada a partir do zero. Esses caras existiram há muito tempo “, confessou Wolff em uma entrevista coletiva. “Nosso modelo é muito diferente. Andy e sua equipe sabem muito bem o que querem alcançar com o carro, eles têm um grupo técnico sólido e vão nessa direção. Eles vão usar parte de nossa infraestrutura e vamos ver aonde isso nos leva no Regulamento de 2021. Uma vez estabelecido, vamos decidir em que áreas nós queremos trabalhar com eles e sempre que possível, tendo em conta as regras”.
Outros líderes de equipe, como Cyril Abiteboul, têm criticado a existência de equipes B na Fórmula 1 e sua filosofia operacional, garantindo que minam os esforços de equipes e fabricantes como Renault.
No entanto, o chefe da Mercedes destaca aspectos positivos dessas colaborações técnicas.
“A verdade é que não vejo o que há de errado com o modelo da Haas e da Ferrari. Nós treinamos alguém que queria entrar na Fórmula 1 para estabelecer uma equipe. Com a colaboração da Ferrari, ele avançou muito bem e lutou solidamente na zona intermediária. Acho que isso é bom para a Fórmula 1 “, concluiu Wolff.
Andy Green, da Racing Point, enfatizou o fato de que o uso do túnel de vento da Mercedes é por “questões de eficiência pura”, negando qualquer intenção adicional.
“Nosso departamento de aerodinâmica está localizado em Brackley. O túnel de vento da Mercedes está localizado em Brackley, é muito mais fácil fazer o teste em Brackley do que em Colônia, por isso, quando oferecida a oportunidade de fazer o teste foi uma escolha óbvia. Usamos sua caixa de engrenagens e hidráulica. Eu gostaria que fosse assim, acho que é tudo o que está sendo discutido para 2021, acho que é tudo o que está no programa. É para onde estamos indo para a frente como um time, pensando à frente em 2021. Queremos que a nossa equipe seja mais eficiente, baseada nesse regulamento. Conforme seja definido teremos uma ideia clara do que precisamos fazer” afirma Green.
E a mídia internacional volta a publicar que Toto Wolff não acha necessário mudar de pilotos no ano que vem. Ele considera que Valtteri Bottas e Lewis Hamilton são adequados para a posição e que conseguiram um ótimo trabalho, depois de conseguir três dobradinhas consecutivas.
“Acabamos de fazer três dobradinhas consecutivas, que não eram vistas na F1 desde 1992, com a Williams-Renault, e não faz sentido considerar qualquer mudança na programação para a próxima temporada “, disse o austríaco.
“Para o período após 2020, primeiro vamos iniciar conversações com Valtteri e Lewis, e somente após a conclusão dessas discussões podemos considerar outras opções. Mas do meu ponto de vista, não temos razão para mudar o par de pilotos que temos atualmente”, repetiu Wolff o que alguns sites já haviam divulgado na véspera.