07/09/19

Vettel reclama da falta do vácuo de Leclerc

Após a suspensão da bandeira vermelha devido ao acidente de Raikkonen, o plano da Ferrari era reverter as posições, o que significa que Leclerc deveria ter puxado Vettel. Leclerc explicou que, na primeira tentativa, Vettel o ajudou e, na segunda, como o planejado que o alemão deveria se beneficiar o vácuo dele. No entanto, diante da situação isso não foi possível e Vettel reclamou que Leclerc deveria estar à frente durante toda a volta.
“Não estou feliz com isso, não é o que pretendemos fazer. Leclerc deveria estar à frente o tempo todo. De qualquer forma, estou feliz com o carro, a classificação correu bem, o carro correu muito bem. Tivemos uma volta muito boa, eu simplesmente não tive vácuo, então essa é a diferença hoje entre poles e poles”, declarou o alemão.
Charles Leclerc foi acusado de tentar impedir que os outros pilotos marcassem seu tempo. O monegasco, no entanto, argumenta que não tinha nada a ver com o caos da Q3.
Charles Leclerc foi apontado por Lewis Hamilton como responsável pelo caos, no entanto, para não ter concorrente à pole, mas o piloto da Ferrari nega que tenha agido de propósito.
“Definitivamente, não foi intencional da nossa parte. A maioria dos pilotos atrás quis ultrapassar, mas não teve oportunidade. Havia dois carros emparelhados que percorriam 20 k/h e não conseguimos ultrapassá-los. Definitivamente, acredito que essas situações não devem acontecer”, disse Leclerc em declarações ao portal F1i.com.
Hamilton culpou abertamente a Ferrari e, especificamente, Charles Leclerc por bloquear o restante dos pilotos para evitar que melhorassem seu tempo em uma segunda tentativa.
“Basicamente, a Ferrari marcou a pole e, em seguida, cuidou do nosso tempo acabar. É um pouco estranho o que aconteceu. Todo mundo tenta adiar e ter espaço para o vácuo. A instalação foi muito perigosa para todos. Você não sabe quem está à frente ou quem está por trás. Se todo mundo sai tão tarde, ainda haverá um problema nos lugares onde você precisa de um vácuo. Até que alguém sofra um acidente, as coisas vão mudar”, reclamou o pentacampeão pelo o site Motorsport.com.

Valtteri Bottas diz que não levou a pole-position por azar e por ter sido a “tirar o pé” depois do acidente de Kimi Raikkonen, que forçou a agitação de bandeiras amarelas no último setor.
“Eu fui um pouco azarado lá com a bandeira amarela na minha volta, porque eu tive de tirar o pé e perdi a pole por causa disso”, disse Bottas.
Depois da primeira tentativa frustrada, Bottas ainda teria uma segunda mas acabou se envolvendo no bolo de pilotos que perdeu tempo demais na volta de saída dos boxes, o que significou não conseguir cruzar a reta principal a tempo de abrir uma volta rápida.
“A última volta foi uma bagunça para todo mundo, mas ainda estamos na frente e é isso que conta. Sempre é divertido aqui e eu certamente vou aproveitar amanhã”,

Raikkonen admitiu seu erro:
“Paguei o preço pelo meu erro, o que é uma pena, pois o carro estava se comportando bem. O dano foi grande, então temos de ver onde vou começar amanhã, mas talvez o clima ajude e, em condições mistas, ainda possamos conquistar um bom resultado. Vou tentar o meu melhor para me recuperar na corrida”.
Stroll acha que todo mundo deveria ter deixado os boxes um pouco mais cedo.
“Estou feliz por voltar ao Q3. No entanto, foi uma pena não podermos marcar um tempo e terminar lá. Acho que todo mundo subestimou o tempo de passar pela linha de chegada, todo mundo foi muito ganancioso buscando pelo vácuo e, no fim, ninguém conseguiu. Tiro o chapéu para Sainz: ele avaliou o momento corretamente”, disse.