07/09/19

Três pilotos advertidos por lentidão na Q3

Nico Hulkenberg, Lance Stroll e Carlos Sainz Jr foram repreendidos por correrem em ritmo lento à frente do pelotão, o que impediu a oito pilotos estabelecerem tempo na Q3 da qualificação. Os os comissários de corrida observaram que os três dirigiram “desnecessariamente devagar” durante as voltas, porque queriam obter vácuo de outros carros. Eles decidiram que os três “tiveram um papel significativo na movimentação dos carros em um estágio crítico da última volta para da Q3”.
Os administradores acrescentaram que “recomendam fortemente que a FIA acelere uma solução para esse tipo de situação”.
Hulkenberg disse que a situação surgiu porque todos os pilotos estavam tentando se posicionar para aproveitar o vácuo de outro carro.
“Estamos todos procurando um reboque, obviamente, porque se você quiser fazer o melhor e mais rápido tempo, é isso que precisa por aqui. Quando você dirige por conta própria, você perde nas retas e não consegue compensar esse tempo nas curvas, basicamente. Por isso, acabamos com essas condições. Até certo ponto, é só nos carros, porque o efeito do vácuo é enorme. Mas é claro que foi um pouco esquisito e estranho, com certeza, essa última volta”, afirmou Hulkenberg.
O piloto alemão da Renault, escapou, porém, de penalidade por cortar, sem razão justificável, uma curva durante a qualificação. Ele tinha sido acusado de segurar outros carros, cortando a chicane depois de deixar os boxes à frente de seus oito rivais no início das rodadas finais da Q3.
“O motorista afirmou que estava concentrando sua atenção nos carros que estavam atrás dele e deixou para virar a curva tarde demais, por isso teve de seguir em frente na chicane. Os comissários notaram que ele entrou na curva na mesma velocidade que na volta rápida anterior. Ele também estava na terceira marcha em vez da segunda marcha que usou na volta anterior. Os administradores observam que o regulamento se refere a ‘deliberadamente’ deixar a pista e, neste caso, não podemos determinar que o motorista deixou deliberadamente a pista”, diz o relatório da comissão de corridas. .

Na mesma reunião, a comissão de corrida decidiu não punir Sebastian Vettel, investigado por supostamente ter ultrapassado a linha branca com as quatro rodas, na saída da Parabólica, na primeira volta lançada da Q3. Depois de examinarem as imagens da TV, os comissários mantiveram a 4ª posição no grid obtida pelo piloto alemão da Ferrari.

Nico Hulkenberg, Lance Stroll e Carlos Sainz Jr foram repreendidos correrem em ritmo lento a frente do pelotão, o que impediu a oito pilotos estabelecerem tempo na Q3 da qualificação. Os os comissários de corrida observaram que os três dirigiram “desnecessariamente devagar” durante as voltas, porque queriam obter vácuo de outros carros. Eles decidiram que os três “tiveram um papel significativo na movimentação dos carros em um estágio crítico da última volta para da Q3”.
Os administradores acrescentaram que “recomendam fortemente que a FIA acelere uma solução para esse tipo de situação”.
Hulkenberg disse que a situação surgiu porque todos os pilotos estavam tentando se posicionar para aproveitar o vácuo de outro carro.
“Estamos todos procurando um reboque, obviamente, porque se você quiser fazer o melhor e mais rápido tempo, é isso que precisa por aqui. Quando você dirige por conta própria, você perde nas retas e não consegue compensar esse tempo nas curvas, basicamente. Por isso, acabamos com essas condições. Até certo ponto, é só nos carros, porque o efeito do vácuo é enorme. Mas é claro que foi um pouco esquisito e estranho, com certeza, essa última volta”, afirmou Hulkenberg.
O piloto alemão da Renault, escapou, porém, de penalidade por cortar, sem razão justificável, uma curva durante a qualificação. Ele tinha sido acusado de segurar outros carros, cortando a chicane depois de deixar os boxes à frente de seus oito rivais no início das rodadas finais da Q3.
“O motorista afirmou que estava concentrando sua atenção nos carros que estavam atrás dele e deixou para virar a curva tarde demais, por isso teve de seguir em frente na chicane. Os comissários notaram que ele entrou na curva na mesma velocidade que na volta rápida anterior. Ele também estava na terceira marcha em vez da segunda marcha que usou na volta anterior. Os administradores observam que o regulamento se refere a ‘deliberadamente’ deixar a pista e, neste caso, não podemos determinar que o motorista deixou deliberadamente a pista”, diz o relatório da comissão de corridas. .

Na mesma reunião, a comissão de corrida decidiu não punir Sebastian Vettel, investigado por supostamente ter ultrapassado a linha branca com as quatro rodas, na saída da Parabólica, na primeira volta lançada da Q3. Depois de examinarem as imagens da TV, os comissários mantiveram a 4ª posição no grid obtida pelo piloto alemão da Ferrari.