16/01/19

Teste da Racing reprova as novas regras

Andy Green, diretor técnico da Racing Point, relata perda significativa de performance e poucas melhorias na dinâmica de corrida com o novo regulamento da F1 para 2019. A equipe informou que as primeiras simulações das mudanças de regulamento da F1 para 2019 mostraram perda de “alguns segundos em tempo de volta” e produziram “o pior resultado possível”.
As regras que simplificam as asas dianteira e traseira serão introduzidas em 2019 com o objetivo de melhorar a ação na pista e diminuir a perda de performance com a turbulência que atrapalha um carro de seguir o outro de perto.
Porém, enquanto ainda não se sabe se isso irá melhorar a qualidade das corridas e as ultrapassagens, Andy Green diz que as mudanças “relativamente pequenas” impactaram “muito” na performance e no equilíbrio do carro.
“Foi um grande golpe”, disse ao Motorsport.com. “Quando colocamos o carro no túnel de vento, há alguns meses, perdemos alguns segundos em tempo de volta, além de um carro com equilíbrio ruim. Foi o pior resultado possível. Espero que ele tenha pontos positivos no que diz respeito às corridas. Nós, assim como todos os outros, estamos tentando nos arrastar para fora do buraco em que nos metemos com essas novas regras. É significativo – não é uma mudança completa no carro, mas está bem perto.”
Green disse que, durante a criação do carro de 2019, a equipe incluiu “novidades a todo momento para tentar manter o controle sobre a mudança de performance do modelo”. E ele duvida que a Force Índia (antecessora da Racing Point), conseguiria lidar bem com essa mudança de regulamento com seus recursos financeiros escassos.
“Tem sido um desafio. Acho que a antiga Force Índia teria realmente tido dificuldades. Mudanças significativas precisariam de desenvolvimento durante a temporada, e estaríamos em dificuldades. Estamos em uma situação muito melhor agora e isso está nos ajudando.”