24/05/19

Suspensão dianteira, o segredo da Mercedes

Segundo Franco Nugnes, do site https://it.motorsport.com/f1, a suspensão dianteira é o segredo da superioridade da Mercedes sobre as rivais da Fórmula 1. Como resultado de um sistema de trabalho que permite otimizar cada parafuso, a equipe de conseguiu uma peça que explora ao máximo o comportamento dos pneus, conforme o analista.

Em resumo, Nugnes diz o seguinte sobre a nova suspensão:
“Em busca da aderência máxima dos pneus Pirelli e das vantagens aerodinâmicas, os técnicos da Mercedes equiparam o W10 como uma suspensão dianteira que é uma verdadeira obra-prima. O esquema push rod com dois pivots não é mais um segredo para ninguém, mas o que é surpreendente é a incrível complicação de um sistema que permite que a Mercedes adapte a suspensão na frente de qualquer tipo de circuito para explorar plenamente o potencial dos pneus. O suporte ligeiramente inclinado para a frente não se fixa diretamente ao cubo. Foi projetada para abaixar a frente quando o piloto dirige. Dois efeitos positivos: primeiro, quanto mais a asa dianteira toca o solo, gera mais carga; em segundo lugar, reduz a subviragem em velocidades mais baixas (…) Os técnicos ergueram o triângulo superior e o moveram para trás em relação ao inferior. Os observadores explicaram que esta solução permitia vantagens aerodinâmicas com braços de seção menores e colocados na altura certa para serem os primeiros desviadores de fluxo. Para a função aerodinâmica é adicionado um segundo fator, talvez mais importante, de natureza mecânica: a geometria diferente da suspensão, de fato, permitiria uma maior superfície de contato dos pneus dianteiros. Isso explicaria, porque o W10 é capaz de acionar a temperatura dos pneus, mantendo-os na janela de operação correta, enquanto a Red Bull e a Ferrari são muito mais difíceis”.

Caixa de câmbio não terá fornecedor único

A FIA divulgou nesta sexta-feira comunicado suspendendo a decisão de licitar o fornecimento, a partir de 2021, da caixa de câmbio dos carros da F1. A entidade liberou as equipes para construírem o equipamento, que não terá um fornecedor único. Eis a integra do comunicado da FIA:
“Após análise detalhada pelo Departamento Técnico da FIA de submissões para um processo de licitação lançado em 18 de fevereiro de 2019 para o fornecimento único da caixa de câmbio no Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 2021, o Conselho Mundial de Automobilismo aceitou por maioria a recomendação de não nomear um único fornecedor para este componente.
A decisão do Conselho foi baseada na consideração de informações técnicas e financeiras disponibilizadas por equipes e fornecedores. Os dados técnicos fornecidos revelaram que a tecnologia de caixa de câmbio na Fórmula 1 convergiu amplamente e que, como resultado, há pouca diferenciação de desempenho no momento. Também foi notado que, devido à complexidade dos componentes, as caixas de engrenagens continuam a ser um assunto sensível em termos de confiabilidade, e isso foi levado em conta nas avaliações do Departamento Técnico da FIA.
Com relação às implicações financeiras do processo de licitação, dados financeiros detalhados foram solicitados aos concorrentes da F1 e várias equipes que operam diferentes modelos de negócios forneceram informações relevantes à FIA. A análise disso revelou que economias financeiras semelhantes poderiam ser feitas por outros meios que não a especificação de um único fornecedor. Esses métodos estão sendo discutidos com as equipes de Fórmula 1 e serão incluídos no pacote regulatório a ser apresentado até o final de junho”.