09/05/19

Renault também trocará motor em Barcelona

Assim como a Ferrari, a Renault apresentará uma nova unidade de potência no Grande Prêmio da Espanha. Enquanto a equipe italiana estará focada em um aumento de potência e desempenho, a francesa pode estar procurando por mais confiabilidade.
Ao colocar uma nova fonte de energia na parte de trás dos carros de Daniel Ricciardo e Nico Hulkenberg, a Renault está quase chegando ao limite das peças do motor a serem usadas. Durante o GP de Silverstone, a equipe provavelmente instalará uma nova fonte de energia e receberá sua primeira penalidade de grid.
Como a Haas, sua rival no meio do grid, a Renault também enfrenta grande dificuldade em administrar os pneus e em Baku teve desempenho preocupante reduzindo as esperanças de reduzir a diferença para as três melhores equipes da F1 nesta temporada.
A baixa confiabilidade do motor também provou ser o calcanhar de Aquiles para a Renault, que sofreu vários problemas nas primeiras corridas, particularmente em relação ao seu MGU-K. Essa é uma área que a equipe precisa superar rapidamente se quiser se recuperar do início de uma temporada decepcionante.

Ferrari usa um novo capô

A Ferrari mostrou em Barcelona um novo capô facilmente reconhecível em comparação com o de Baku porque a aleta estabilizadora não alcança a área da barra de rolagem, mas é significativamente mais curta. A nova capota do motor reduz ainda mais a resistência ao ar e também melhora a eficiência aerodinâmica da asa traseira.
Além do capô e de um novo motor, a Ferrari introduzirá um novo pacote aerodinâmico na corrida que abre a temporada de Fórmula 1 europeia. Os homens de Mattia Binotto estão dispostos a desafiar a Mercedes com inovações técnicas totais.
A equipe de trabalho antecipou a introdução de seu motor “spec two” 2019 em quatro semanas, com o objetivo de reduzir a diferença para a Mercedes. No entanto, o chefe da equipe Haas, Guenther Steiner, confirmou que o novo motor não está disponível para eles neste fim de semana.
“Nós não somos capazes de tê-lo. Acabei de ouvir o que eles estão fazendo, eu não sabia o que estão fazendo porque, como você sabe, eles não me dizem o que estão fazendo. No momento, acho que planejamos colocar o motor em Monte Carlo ou no Canadá.”
A decisão marca uma mudança em relação às temporadas anteriores, quando as equipes de clientes da Ferrari rodaram a nova unidade de potência primeiro. “
No ano passado, acho que colocamos antes deles”, disse Steiner. “Foi o contrário e todos disseram ‘Por que você faz isso?’. Fazer isso ao mesmo tempo é sempre logisticamente muito difícil para eles, por uma razão ou outra, dependendo da atualização, eles nos perguntam se estamos bem e estamos bem com isso. Eles precisam gerenciar o motor, a quilometragem e todas essas coisas, não adianta interferirmos e ficamos muito felizes com o que eles sugeriram.”
Steiner também confirmou que a Haas usa uma especificação diferente de combustível Shell diferente da Ferrari.