13/03/19

Raikkonen defende diversão entre corridas

No podcast oficial da Fórmula 1 “Além da grid”, Kimi Raikkonen admitiu que fazer o que quiser entre as corridas faz dele um piloto mais forte: “Às vezes isso é uma piada, para ser honesto. Mas é verdade: se eu fizer o que quero entre as corridas, isso me faz um piloto melhor’”, confessou o piloto da Alfa Romeo.
“Obviamente tem sido muitas vezes uma piada, mas realmente acho que é mais verdade que muitas vezes eu dirigi melhor depois de fazer o que eu quisesse entre as corridas me divertindo, bebendo e outras coisas”, disse Räikkönen.
“Existem muitas teorias comprovadas … talvez você trabalhe melhor depois de se divertir um pouco. Em 2013, o verão inteiro consistiu em mais ou menos de corridas e festas. Não é novidade, para mim é normal; de fora pode parecer um pouco estranho, mas para mim, no passado, era uma história muito normal. Eu sempre achei que precisava esforçar-me mais para me concentrar na pista, porque era um pouco inseguro, mas o resultado final era melhor. Antes eu sempre brincava: quando você passa mais dias bebendo do que de ressaca, está tudo bem. Eu me divirto, senão não estaria aqui hoje. Acho que gosto da velocidade, mas nunca pensei muito sobre isso. Eu gosto de corridas, os testes são ótimos, é sempre emocionante ver o novo carro. O principal é a competição, lutar contra os outros e fazer tudo o melhor que puder. Às vezes é doloroso quando você comete erros ou não consegue exatamente o que quer, mas entendo que esse desafio também é recompensador “, concluiu.
As declarações de Raikkonen provocaram comentários, lembranças e comparações entre pilotos. Um desses comentários diz que a vida dos atuais pilotos está longe dos circuitos e a competição está longe de ser igual a de alguns dos pilotos de antigamente. Anteriormente, o grid estava focado no carro e nas corridas. O resto do tempo era dedicado à vida pessoal, embora sempre houvesse exceções.
Um dos mais conhecidos nesse sentido foi James Hunt, cuja vida de excessos o levou à morte aos 45 anos após um ataque cardíaco.
Raikkonen é apontado como um James Hunt moderno. No ano passado, em sua biografia, revelou que esteve bêbado todos os dias durante duas semanas antes do GP de Espanha de 2013. E na gala da FIA em dezembro, o mundo inteiro podia ver que aparentemente ele tinha bebido muito de vodca.