22/02/19

A Pirelli faz balanço positivo dos testes

A Pirelli faz um balanço positivo dos primeiros dias de testes da pré-temporada. Segundo o site da revista alemã Auto Motor um Sport, o diretor da Pirelli Motorsport, Mario Isola, tinha um sorriso no rosto durante a coletiva de imprensa no último dia de testes da primeira semana do Barcelona. As primeiras voltas do ano no Circuito da Catalunha proporcionaram aos engenheiros de pneus dados utilizáveis. Nenhuma comparação com a situação há 12 meses, quando o frio e a neve reduziram a quilometragem e falsificaram as medições.
Depois de reduzir o número de pneus de sete para apenas cinco, os italianos estavam curiosos para saber como as distâncias se desenvolveriam. Agora as primeiras medições estão concluídas. Por exemplo, a distância entre os dois graus mais difíceis C1 e C2 é entre oito décimos e um segundo.
“O C1 é um pouco difícil para essas condições. Para ele, é um pouco frio demais. Sua janela de temperatura é um pouco mais alta. Se voltarmos à corrida aqui, deve funcionar muito melhor e o delta deve ser menor “, ressalta Isola.
Para as variedades mais suaves, os números são um pouco mais significativos. Existem sete décimos entre C2 e C3. As misturas muito suaves C4 e C5 são cada uma a 0,6 segundo da próxima classe mais dura. “O C5 também não é ideal para esta faixa. Ele é um pouco mole demais. Além das curvas rápidas, o asfalto mais agressivo é adicionado, o que é muito mais complicado do que há um ano “, diz o engenheiro.
No geral, no entanto, Isola tirou uma conclusão positiva. “Planejamos com intervalos de 0,8 a 0,9 segundos entre cada mixagem. Com um delta médio de 0,7 segundo, estamos indo bem – especialmente considerando que é uma rodada relativamente curta aqui. Parece o spread que escolhemos. ”
Houve problemas com granulação apenas no primeiro dia, quando ainda havia pouca borracha na pista. Especialmente o pneu dianteiro esquerdo tendia a granular nas horas frias da manhã. “Isso não foi uma surpresa sob essas condições”, diz Isola.
Ainda existem alguns pontos de interrogação. No que diz respeito ao desgaste, a Pirelli ainda não pode fornecer números. “Temos que esperar pela segunda semana de testes, pois as equipes lançam mais stintis e simulações de corrida com muito combustível. Nós simplesmente não temos mais nenhum dado “.

Um pouco surpreso Isola mostra a velocidade dos carros: “Na verdade, os tempos de volta com os novos pacotes aerodinâmicos e o aumento do peso do veículo devem subir de um segundo a um segundo e meio. Mas esse não foi o caso. O campo também parece estar um pouco mais próximo quando você olha para os tempos de volta. Mas agora você tem que esperar e ver se há alguns que ainda escondem algum desempenho “.
Além de seus próprios dados, a Isola quer se concentrar mais nos desejos dos pilotos na escolha das variedades no futuro.
“Nós teremos mais reuniões. Estou sempre muito interessado na opinião dos pilotos. Funciona melhor quando falamos diretamente após o briefing do piloto em um Grand Prix. Não é assim tão fácil reunir todo mundo. Mas, mesmo fora da linha, convido calorosamente todos os pilotos a virem direto para mim se houver motivo para reclamar dos pneus. ”
“Já estamos começando a planejar os testes de pneus para 2020. Nós estaremos empurrando isto muito intensivamente com vários carros até setembro de forma que nós podemos mudar nosso foco para o desenvolvimento dos pneus de 18 polegadas tão cedo quanto a segunda metade do ano. ”
A transição de 13 polegadas para pneus de baixo perfil de 18 polegadas é um projeto gigantesco para a Pirelli. “Estamos atualmente em discussões com as equipes sobre quem pode nos fornecer um carro personalizado. Nós definitivamente precisamos de um carro que se encaixe no modelo de 18 polegadas e que nos forneça dados representativos. Mas primeiro temos que saber que tipo de níveis de desempenho são esperados para 2021. ”