27/01/19

Paul Ricard passa por reformas para 2019

A administração do autódromo de Paul Ricard, local do GP da França, aproveitou o inverno europeu para recapear 60% do asfalto e reconfigurar tanto a entrada quanto a saída dos boxes.
O asfalto trouxe avaliações mistas em 2018. O material causava desgaste acima da média, além dos ‘remendos’ em determinadas curvas, embora alguns trechos tivessem um nível inesperadamente alto de aderência. Os pilotos consideraram a entrada da pit lane perigosa, por tirar os carros do traçado em um ‘S’ de alta velocidade.
“O asfalto nos parece ser de qualidade única, então temos bons motivos para acreditar que esse é o fim dos problemas”, disse Stéphane Clair, diretor-geral de Paul Ricard. “Na prática, todas as curvas foram refeitas. Só as retas seguem do jeito que eram, mas a mudança mais importante de todas é a relacionada ao pit lane. Agora, entrada da pit, os pilotos precisam ir para a rota de acesso antes da veloz penúltima curva, não atrapalhando aqueles que estão em volta rápida”, explicou.
Os organizadores do GP da Rússia estão analisando maneiras de melhorar a ação na pista de Sochi. Alexey Titov, CEO da companhia promotora Rosgonki, diz que o traçado do circuito de Sochi não será alterado.
“Nós estamos dentro do Parque Olímpico e cercados por paisagens incríveis. Alterar a rota dentro do Parque Olímpico é bastante difícil. Contudo, tentaremos buscar algumas opções para mudar a abrasividade do asfalto. Estamos explorando isso em detalhes”, informou Titov.
Segundo ele, o asfalto de Sochi poderia ser jateado ou quimicamente tratado, o que aumentaria a abrasividade e forçaria os pilotos a fazer pit stops a mais.
E o Autódromo de Monza, o mais veloz de todo o calendário da Fórmula 1, se depender de seus administradores, deve ficar ainda mais rápido: em 2022, quando completará seu centenário. Estão previstos investimentos de 100 milhões de euros (cerca de R$ 441 milhões) para reformas que devem modificar o traçado para torná-lo mais veloz.
Segundo o jornal “La Gazzetta dello Sport”, uma das duas primeiras chicanes – provavelmente a segunda, a Variante Della Roggia – será eliminada. Além disso, a segunda parte da Curva Lesmo voltará a ser mais aberta, o que deixaria o seu contorno mais veloz. As obras também contemplariam o entorno da pista, para facilitar o acesso do público.