14/03/19

Michael Masi vai substituir Charles Whiting

A FIA já designou o australiano Michael Masi como diretor de prova em Melbourne, para substituir Charles Whiting, que morreu ontem. A posse imediata do antigo diretor de corridas dos Supercars V8 australianos, será imediata, segundo comunicado da entidade máxima da F1.
”O senhor Michael Masi será o diretor de corrida, delegado de segurança e iniciador permanente para este evento” diz o comunicado, baseado no artigo 11.9,3b do código esportivo, e corroborado por Nish Shetty, Dennis Dean, Danny Sullivan e Steve Chopping, dirigentes do fim de semana ao lado de Mais.
Charlie Whiting, morreu nesta quarta-feira, na Austrália, aos 66 anos de idade. Ele estava no país para atuar neste final de semana na abertura da temporada 2019 da Fórmula 1, em Melbourne.
Um comunicado oficial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) diz que o britânico teve uma embolia pulmonar um dia antes do início das atividades de pista do GP da Austrália.
Antes de atuar como diretor de provas na F1 em 1997, ele trabalhou nas equipes Hesketh e Brabham – onde participou dos títulos mundiais de Nelson Piquet em 1981 e 1983.
A FIA disse: “o diretor da FIA na Fórmula 1, Charlie Whiting, faleceu nesta manhã (14 de março de 2019), em Melbourne, aos 66 anos, como resultado de uma embolia pulmonar, três dias antes do GP da Austrália, que abrirá a temporada de F1”.
“Ele começou sua carreira na F1 em 1977, trabalhando na equipe de Hesketh, e depois na década de 1980 na Brabham. Ele tem sido parte integrante da organização do Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA desde que ingressou na Federação em 1988, e é diretor de provas desde 1997.”
Presidente da FIA, Jean Todt lamentou a perda de Whiting.
“É com imensa tristeza que fiquei sabendo da morte repentina de Charlie”, disse ele.
“Conheço Charlie Whiting há muitos anos e ele tem sido um grande diretor de prova, uma figura central e inimitável na Fórmula 1, que incorporou a ética e o espírito deste esporte fantástico.”
“A Fórmula 1 perdeu um amigo fiel e um embaixador carismático em Charlie. Todos os meus pensamentos, os da FIA e de toda a comunidade do automobilismo vão para sua família, amigos e todos os amantes da Fórmula 1.
Na conferência de imprensa desta quinta-feira, em clima de consternação, com os pilotos chocados pela morte repentina do dirigente. Lewis Hamilton, Sebastian Vettel, Daniel Ricciardo, Max Verstappen e Robert Kubica falaram sobre o adeus a Whiting.

Hamilton ressaltou a importância do diretor de corridas para a F1. “Conheci Charlie desde que comecei, em 2007. Fiz alguns comentários no Instagram e é triste ouvir essa notícia nesta manhã. Ele fez muito pelo esporte. O que ele fez para este esporte… ele realmente era um pilar”.
Vettel lembrou que esteve com Whiting horas antes da sua morte, quando fez o passeio pela pista ao lado do diretor da FIA.
“Estou chocado com tudo isso. Falei com ele ontem e caminhei as primeiras curvas da pista com ele. Difícil de entender. Ele era o cara dos pilotos. Ele estava aberto a todos, a qualquer momento. Era um competidor, um cara formidável”, disse o tetracampeão do mundo.
Ricciardo destacou a postura de Whiting com os pilotos. “Ele estava sempre lá por nós. Sempre o pressionamos e fazíamos trabalhar. Como um disco quebrado, sempre reclamávamos de coisas, e ele nunca nos calou”, recordou o piloto.
Robert Kubica disse que chegou a ver Whiting na quarta-feira caminhando ao lado de Vettel, mas preferiu esperar mais um dia para falar com o dirigente. “É um momento difícil. Vi Seb caminhando com Charlie ontem e não queria incomodá-los… porque pensei que o veria no briefing de sexta-feira e. Ele era um competidor. É um momento muito triste”.