04/03/19

Magnussen e Perez aprovam as mudanças

Um dos grandes pontos de discussão dos testes de pré-temporada de 2019 foi se os pilotos sentiriam os efeitos das asas dianteiras revisadas, introduzidas este ano com a intenção de melhorar a capacidade dos carros de seguirem de perto um ao outro. Pelo menos dois deles, Kevin Magnussen e Sergio Perez aprovaram os novos regulamentos aerodinâmicos.
Magnussen, da Haas, que disse à imprensa que, dirigindo na esteira de outros carros em Barcelona, tinha se sentido “muito melhor do que no ano passado”.
As novas e simplificadas asas dianteiras oferecem uma solução dupla para lidar com os problemas dos carros que se sucedem, com a asa dianteira do carro principal agora criando menos ‘ar sujo’, enquanto asa mais alto e mais larga também ajuda o carro que persegue a criar níveis mais altos de downforce, ajudando a manter os níveis de aderência ao seguir um rival.
“[Os carros] ainda são muito, muito divertidos de dirigir. E eu diria, eu segui um carro hoje e realmente me senti muito melhor do que no ano passado. Muitas pessoas estavam dizendo que não faria qualquer diferença. Não é uma grande diferença, mas eu poderia seguir, então será interessante ver. Eu era muito mais rápido do que o cara que eu estava seguindo, e na volta que eu o peguei, passei por ele. Eu devo ter ficado cerca de dois segundos mais rápido – e nesse caso também teria passado no ano passado, eu acho – mas sentir o carro atrás do outro carro parecia diferente, muito melhor … do que no ano passado, eu diria. O carro todo parece mais consistente e estável atrás de outro carro”, afirmou Magnussen
Indagado como estava o sentimento no cockpit enquanto perseguia outro carro, Magnussen respondeu:
“O carro todo parece mais consistente e estável atrás de outro carro, então estou ansioso para ver se as outras pistas são iguais. Há sempre diferentes fatores que você pode ter esquecido, então você vai para outra pista e é diferente. Mas os primeiros sinais são bons, eu diria, neste aspecto seguinte. ”
Sergio Perez elogiou a Fórmula 1 pelos novos regulamentos aerodinâmicos, afirmando que eles permitem que os carros sigam um ao outro mais de perto, mas admitiu que uma visão verdadeira não será possível até depois do primeiro fim de semana de corrida em Melbourne.
“Certamente parece que você perde menos downforce. Até agora eu diria que a Fórmula 1 fez um trabalho incrível com as regras. Vamos ver como será em Melbourne, correndo com outros carros ao seu redor com ritmo semelhante. Mas eu realmente espero que o show seja melhor. ”
Parte das mudanças aerodinâmicas para a próxima temporada significa que o Sistema de Redução de Arrasto (Drag Reduction System – DRS) será mais poderoso devido a mudanças na asa traseira
“Eu acho que o delta para ultrapassar um carro deve ser reduzido um pouco, pois você pode seguir mais e obter a vantagem do DRS. Então eu espero que a corrida seja muito mais divertida para os fãs e os pilotos”, concluiu Perez.
Problemas de Magnussen
Não foi tudo positivo para Magnussen nas duas semanas de testes em Barcelona. Ele foi prejudicado por um encosto de cabeça mal ajustado do seu Haas VF-19, que empurrava sua cabeça para frente desconfortavelmente durante a frenagem. Mas Magnussen ficou feliz com a introdução de outro novo regulamento para 2019, o que aumenta o peso mínimo dos pilotos para 80kg, totalmente equipados e incluindo seu assento, e permitiu que ele aumentasse sua massa muscular durante o inverno para ajudar a fazê-lo mais robusto no cockpit.
“Eu tenho um problema com o meu pescoço, porque o apoio para a cabeça está empurrando meu pescoço muito para frente”, explicou Magnussen, “por isso estou em uma posição desconfortável para a frenagem, minha cabeça está caindo para a frente.
“Fizemos algumas alterações e está muito melhor, ainda tenho que sentar com a cabeça um pouco para a frente, que não é ótimo para a força durante a frenagem. Mas eu posso sentir nas laterais [do meu pescoço] que estou forte. E, então, é bom sentir essa melhora no meu corpo. Ganhei quatro quilos, e esses quatro quilos valeram a pena”.