01/09/19

Hamilton queria pelo menos mais 2 voltas

Lewis Hamilton, que nas voltas finais pressionou Charles Leclerc, aproveitando o desgaste dos pneus do monegasco, sugeriu que talvez algumas voltas a mais poderia ter vencido o GP da Bélgica.
Assim que saiu do carro, Lewis sublinhou a diferença de velocidade máxima com os carros da equipe italiana: “Eu dei absolutamente tudo o que tinha, mas foi uma corrida muito difícil, porque os Ferraris eram simplesmente muito rápidos na reta, então foi muito difícil buscá-los. Talvez, com mais duas voltas extras eu tivesse conseguido ultrapassar Charles. 44 é o meu número da sorte, mas talvez desta vez eu precisasse de mais duas ou três voltas “.
Sebastian Vettel se mostrou conformado com a perda do pódio e confirmou que a essa foi uma escolha estratégica, para proteger Leclerc:
“Obviamente, antecipamos a parada para tentar ficar à frente de Lewis. Em retrospectiva, entramos cedo demais, mas naquele momento eu estava tentando proteger o carro pela frente. Mesmo depois, ficou claro que, com os médios, eu não teria conseguido manter o segundo lugar e simplesmente tinha que tentar bloquear o Mercedes o máximo possível. Não tinha ritmo, não me sentia confortável no carro. Eu estava gastando os pneus rápido demais. Não foi um bom dia para mim, mas foi para a equipe “.
Quando percebeu que as esperanças de sucesso haviam acabado, Vettel se sacrificou para permitir que a equipe atingisse a cobiçada primeira vitória da temporada.
“Hoje eu era jogador de equipe. Após as primeiras voltas, percebi que não era capaz de lidar com os pneus como gostaria e, a partir daí, fiquei na pista apenas para ajudar a equipe e consegui “.
Com o dedo levantado para o céu, depois de cruzar a linha de chegada, e mostrando o adesivo “Racing for Anthoine” no carro, Charles Leclerc quis deixar claro que a vitória era dedicada ao amigo falecido na véspera.
“Por um lado, um sonho desde criança se tornou realidade hoje. Por outro, vivemos dois dias muito difíceis, porque ontem perdemos um amigo”, disse Leclerc, lembrando Hubert, com quem corria desde o kart.
“Gostaria de dedicar minha primeira vitória a ele: crescemos juntos com Anthoine, Esteban (Ocon), Pierre (Gasly) e é realmente uma pena o que aconteceu ontem, então não posso desfrutar plenamente da minha primeira vitória na Fórmula 1, mesmo que vencer hoje seja uma lembrança que guardarei no meu coração. Foi uma corrida muito difícil, porque lutamos muito com os pneus, especialmente no final. Da minha parte, no entanto, estou muito feliz com o que fiz em comparação com Budapeste. Consegui gerenciar os pneus melhor e, mesmo que a Mercedes tenha sido muito rápida na corrida, como esperávamos ontem, foi um ótimo final de semana, com pole position e primeira vitória, então estou satisfeito