07/05/19

Hamilton não se preocupa com o ponto extra

O ponto extra para as voltas mais rápidas pode ser útil na luta pelo título, mas Lewis Hamilton não está preocupado com isso. Ele não dá muita atenção ao bônus concedido por definir a volta mais rápida da corrida na Fórmula 1 deste ano.
Valtteri Bottas, Pierre Gasly e Charles Leclerc conseguiram um ponto extra nas quatro primeiras corridas do ano. Tanto na China quanto no Azerbaijão, o piloto que corria na parte de trás do primeiro grupo de carros optou por pegar um pneu novo antes de ir para a volta mais rápida, aproveitando ao máximo um pit stop a mais.
Hamilton disse que o bônus é para os pilotos que empregavam essa estratégia nas corridas, sendo inútil tentar prestar atenção a ela enquanto lutava na frente do pelotão.
“Eu não pensei nisso. Concentro-me apenas em tentar obter o máximo de pontos de corrida. Eu não acho que isso vai ser um foco para mim durante o resto do ano.”
Hamilton está atualmente em segundo lugar no campeonato de pilotos de F1, um ponto atrás do companheiro de equipe da Mercedes, Bottas, que pegou o bônus de volta mais rápido na abertura da temporada na Austrália. Ele não acha que o campeonato será decidido por quem registrar as voltas mais rápidas.
O piloto da Red Bull, Max Verstappen, também não considera que o ponto de volta mais rápido tenha sido uma boa adição na F1.
O piloto holandês acredita que isso aumenta a diferença entre as grandes e pequenas equipes no grid.
“O problema é que, na maior parte do tempo, as três principais equipes, um de seus carros terá um problema em um ponto ou é um pouco mais lento e eles podem sempre apostar, porque a diferença é tão grande. Isso faz com que a diferença para as equipes atrás de você seja ainda maior se você continuar adicionando um ponto às equipes de ponta. Eu não vejo o benefício disso porque, assim que um dos dois primeiros está levando o ponto, o cara em sexto está jogando muito e aquela equipe em particular não está entendendo”, ponderou Verstappen.