18/03/19

Hamilton fica aliviado ao saber do defeito

Lewis Hamilton admitiu ter ficado aliviado ao saber que danos no assoalho do carro foram a causa de suas dificuldades no GP da Austrália. Ele sofreu problemas de equilíbrio já a partir da quarta volta e viu seu companheiro de equipe Valtteri Bottas se distanciar gradualmente. Mas foi só depois da corrida que a Mercedes pôde confirmar que o assoalho estava danificado, o que possivelmente foi causado por destroços dos incidentes na primeira volta.
“Eu não tinha maneira de saber que era o assoalho. Algo não estava certo, mas você não pode ficar lamentando. Só precisa tentar trabalhar com o que tem, e eu estava acompanhando Valtteri facilmente até então. Depois, comecei a enfrentar sérias dificuldades com a traseira. Desde a quarta volta, foi quando os danos ocorreram. Não sei como aconteceu, porque eu não escapei em lugar nenhum”.
Ao ser questionado se podem ter sido destroços, ele disse: “Potencialmente, sim. Foi numa parte bastante sensível do assoalho. Eu senti que tinha um bom ritmo neste fim de semana, e nós fizemos nosso trabalho normal em termos de acerto. De repente, o carro ficou completamente diferente comparado às voltas de formação e ao que tivemos nos stints longos. Portanto, é ótimo ver que havia uma razão para o inesperado”.
A imagem inserida mostra onde a peça ausente deveria estar. Embora esta peça seja bastante pequena, é essencial para o desempenho do difusor, pois ajuda a controlar a direção do fluxo de ar ao redor do pneu traseiro – e, especialmente, impede que o fluxo de ar seja derramado no caminho do difusor.
O provável impacto da peça em falta é que ela teria tornado o carro muito desequilibrado, pois o fluxo de ar em ambos os lados do carro teria sido diferente. Isso não só teria impactado o equilíbrio do carro, e a capacidade de Hamilton de acelerar, mas também teria atingido a gestão de pneus.
Além do problema no assoalho, Hamilton teve também as dificuldades criadas pela parada antecipada, que o obrigou a fazer 43 voltas com o mesmo jogo de pneus.
“Eu naturalmente tinha muito mais ritmo no carro. Mas aqui você precisa de um delta de 1,8s para ultrapassar o carro à frente. Então, assim que terminei a 1ª rodada, estava planejando apenas ficar por perto – dois, três segundos. Então, obviamente, tive o problema com o carro e a diferença começou a aumentar lentamente. Eu estava tentando cuidar dos pneus, mas parei super cedo em reação às Ferraris. A partir de então, soube que a corrida estava terminada. Eu sabia que estaria com problemas a longo prazo.”