22/03/19

FIA busca melhorar visibilidade na largada

O Grupo da Fórmula 1 da FIA trabalha na busca de uma solução para os problemas de visibilidade enfrentados por alguns pilotos na largada do GP da Austrália, principalmente Robert Kubica e Pierre Gasly, que começaram do fundo do grid.
Os semáforos são colocados na mesma altura em todos os circuitos. Como houve problemas em Albert Park, a Federação acredita que eles podem se repetir em qualquer outra pista da Copa do Mundo, porque os spoilers traseiros estão mais altos este ano. Por isso, eles querem resolver esse problema para a carreira do Bahrein, de acordo com o portal da web GP Blog.
Uma alternativa é colocar outra fileira de semáforos no meio do grid, para que os pilotos atrás possam vê-la. A F1 já teve isso em 2009, quando o problema surgiu pela última vez, mas a fileira foi removida, com a introdução de asas mais baixas em 2017. No ano passado houve mudanças a esse respeito devido à introdução do halo. Novos semáforos foram instalados a cinco metros abaixo dos principais, à esquerda, para que não houvesse problemas de visibilidade. Estes foram mantidos para esta temporada.
Gasly reclamou que suas opções de recuperação foram frustradas nos primeiros metros devido à falta de visibilidade das luzes. “Com os maiores spoilers traseiros, não consegui ver os semáforos, por isso tive de reagir aos outros carros junto de mim e perdi algumas posições”, explicou o piloto.
“Quando parei no grid, não consegui ver os semáforos. Eles estavam sendo bloqueados pela asa traseira da McLaren de Carlos Sainz, então eu podia ver o primeiro bloco de luzes e não o resto. Precisei me movimentar para a esquerda”, revelou Kubica sobre a sua experiência na Austrália.