30/04/19

FIA abre licitação de freio e roda padrão

A FIA abriu licitação para peças padrão de freios e rodas para as equipes de Fórmula 1, a partir de 2021. O prazo, em ambos os concursos, para as partes interessadas é 22 de maio, com a FIA prometendo o resultado para 14 de junho. As licitações cobrem os anos de 2021 a 2024, embora também possam chegar a 2025, dependendo do resultado das discussões comerciais que ainda estão em andamento.
A proposta sobre freios delineia que “o objetivo do fornecimento de fonte única é reter os níveis atuais de desempenho de frenagem a um custo muito reduzido, ao mesmo tempo em que elimina a exigência de que os competidores projetem ou forneçam seu próprio sistema hidráulico de freio. Os componentes podem ser usados em várias temporadas, eliminando assim a necessidade de um desenvolvimento de desempenho contínuo dispendioso”.
A FIA destacou que o “sistema hidráulico de freio consiste de pinças de freio dianteiro e traseiro, um cilindro mestre e um sistema de freio por fio”. Esses componentes serão utilizados em conjunto com os esquemas específicos de linhas de freio, mangueiras e reservatórios projetados pelas equipes. O segundo aspecto da proposta de freios gira em torno de discos e pastilhas de fonte única.
No que diz respeito aos aros das rodas, a FIA salientou que o design será para as rodas de 18 polegadas, que deverão estar prontas para introdução em 2021. Cada equipe receberá um mínimo de 60 aros para seus respectivos pilotos durante a temporada.
Com a F1 se preparando para uma nova geração de carros e uma revisão mais ampla do esporte, há um desejo de controlar áreas onde as equipes gastam muito dinheiro fazendo suas próprias peças para ganhos mínimos de desempenho.
No início deste ano, foi lançada uma concorrência para câmbios padrão, e agora mais duas para interessados em fornecer peças de freio e aros de rodas. Todas as propostas exigem que as peças atinjam o desempenho esperado atualmente na F1 e que todas as equipes recebam especificações iguais.
O diretor esportivo da F1, Ross Brawn, sugeriu que o escopo para peças padronizadas se estenderá. Falando ao site oficial da Fórmula 1 no início deste ano, ele disse:
“Queremos que todas as equipes tenham o mesmo equipamento. Há muitas coisas que temos em comum. Há algumas coisas que todos concordamos que não devem mudar e há coisas no meio sendo discutidas. Todo mundo faz seus próprios extintores de incêndio. É um bom desafio técnico, mas não adiciona desempenho. Podemos padronizá-los e ajudar a reduzir os custos.”
Em teoria, a FIA tem até o final de junho para finalizar os regulamentos técnicos de 2021, embora haja alguma discussão entre as equipes sobre o possível adiamento até o final do ano.
Em Baku, na conferência dos diretores das equipes, foi discutido o estado das negociações entre a Liberty Media, equipes e a FIA, para alcançar a síntese definitiva das regras técnicas e esportivas. Sobre o assunto, Otmar Szafnauer, diretor da equipe Racing Point, comentou:
“A FIA pediu feedback às equipes e nós as demos. Ainda existem alguns pontos muito importantes em alguns componentes que podem ou não ser fornecidos. Algo deve ser publicado no meio do ano”.