17/03/19

Ferrari explica a ordem de equipe a Leclerc

 

Na sua estreia pela Ferrari, no GP da Austrália, Charles Leclerc ficou em quinto e já teve de lidar com as famosas ordens de equipe da Scuderia. Ele tinha ritmo melhor que o companheiro Sebastian Vettel quando recebeu a ordem para não ultrapassar, porque “não havia razão” de correr o risco pelo quarto lugar. Leclerc perguntou se deveria ficar atrás e ouviu: “Sim, e volte a ter alguma margem”.
O chefe da equipe italiana, Mattia Binotto, tentou explicar:
“Quando Seb apostou nos pneus médios, não teve o controle que esperava. Ele foi ultrapassado por Max Verstappen, então decidimos trazer o carro para casa. Ele estava administrando os pneus até o final. Faltando 10 voltas para o final, decidimos não correr riscos e manter posições para garantir os pontos”.
O novo chefe da equipe também disse que instruir seus pilotos a manterem posições não foi nem “difícil” nem uma “decisão”, porque não fazia sentido deixá-los correr o risco quando não era pela vitória.
“Como eu disse, Sebastian estava controlando seu ritmo por causa da falta de aderência e trazendo o carro para casa. Charles teve um ótimo segundo stint, mas não havia razão para arriscar a 10 voltas do final. Eles não estavam lutando pela primeira posição”.
Na largada, os dois pilotos da escuderia quase se tocaram: na primeira curva, Leclerc tentou ultrapassar Vettel por fora, mas o alemão fechou a porta e o monegasco teve que ir para a grama a fim de evitar uma colisão.
Outra decisão controversa de Binotto foi a de não promover a troca de pneus de Leclerc no fim da prova, quando o novo piloto da equipe estava bem distante de Kevin Magnussen, da Haas, e poderia ter tentado o ponto extra pela volta mais rápida. O chefe da Ferrari foi conservador novamente.
“Eu acho que nessa fase, sempre que você para, pode ser um risco. Foi mais importante para nós trazer o carro para casa, marcar os pontos. Em corridas nas quais você não é o melhor, ainda é importante marcar pontos. Essa foi a nossa escolha. Vamos rever a corrida e, eventualmente, a decisão, mas esse foi o motivo.”
Leclerc disse que tentou fazer voltas velozes para conquistar a pontuação extra mesmo com pneus velhos, mas não conseguiu bater a marca de Valtteri Bottas, da Mercedes. “Tentamos na última volta, mas não foi suficiente”, disse Leclerc. “Não queríamos correr o risco de fazer um pit stop. Só queríamos terminar esta corrida limpa. Eu tentei, mas fiquei longe por uma grande margem”.
Fazendo um retrospecto da sua corrida, Leclerc admitiu ter errado na largada, o que permitiu a Verstappen ultrapassá-lo:
“Fiz um bom começo, consegui chegar a Verstappen e me vi ao lado de Sebastian, que lutava contra um Mercedes. Tive que colocar minhas rodas na grama na saída da primeira curva, o que permitiu que Max me alcançasse novamente. No início, o carro não era tão fácil de dirigir e isso me levou a cometer um pequeno erro na primeira curva, o que me custou alguns segundos. Decidimos colocar os pneus duros na parada e devo dizer que a partir daquele momento o carro melhorou muito e fui capaz de acelerar. No final eu me aproximei de Sebastian, mas a equipe decidiu manter nossas posições, pois os três primeiros lugares não eram mais possíveis. Agora, vamos trabalhar com os engenheiros para tentar entender por que não fomos tão fortes quanto esperávamos, embora tenhamos trazido para casa um bom número de pontos. “