25/05/19

Um erro da Ferrari joga Leclerc à 16ª posição

Um erro de estratégia da Ferrari causou a eliminação de Charles Leclerc já na primeira fase da qualificação, que ele terminou na 16ª posição. Graças a punição a Antonio Giovinazzi, porém, o monegasco ganhou uma posição e larga da 15ª. Os engenheiros da equipe italiana acharam que o piloto já tinha tempo suficiente para passar à fase seguinte e não o mandaram de volta à pista no final da Q1. Quando viram que a marca não era suficiente era tarde para corrigir o erro.
“Estou mais desapontado do que zangado. É muito decepcionante que isso aconteça em casa. Não podíamos nos dar ao luxo de estar fora desta corrida. Eu perguntei se era necessário sair de novo, mas não tive uma resposta, e quando faltava um minuto, os engenheiros perceberam que o tempo não era suficiente para passar”, lamentou o piloto.

De uma possível corrida como protagonista, Leclerc está agora tendo que preparar uma corrida de recuperação, num circuito onde é quase impossível ultrapassar.
Ao contrário de Leclerc, Sebastian Vettel, passou da decepção do acidente na St. Devote, pela manhã, com o risco de uma exclusão da Q1, até uma volta com o qual ele conseguiu a 4ª posição. Mas lamentou a eliminação do companheiro.
“Estar em quarto lugar em Mônaco é uma boa notícia, enquanto começar por trás não é. Sabíamos que a maior parte do trabalho tinha que ser feita hoje e tentamos fazer o melhor possível. O que aconteceu na Q1 foi uma pena”.
Vettel mais uma vez indicou que o ponto fraco da Ferrari foi a falha em conseguir a temperatura ideal do pneu.
“Não tivemos velocidade. O que aconteceu esta manhã não tem nada a ver com o que aconteceu na qualificação. Infelizmente nos esforçamos para fazer os pneus funcionarem e não consegui encontrar as reações que preciso. A frente não funciona. Temos que cerrar os dentes para tentar entender tudo o que é possível “.
O alemão assumiu a responsabilidade pelo acidente da manhã, quando bateu no muro e quebrou a suspensão dianteira direita do SF90. E elogiou o trabalho feito pelos mecânicos, que recuperaram o carro em tempo recorde.
“Não me sinto desapontado com este resultado ou traído pela equipe. Os meninos fizeram um trabalho fantástico de consertar o carro depois que eu os traí hoje de manhã. No momento não estamos na forma que gostaríamos e é fácil criticar, mas quando você está no limite acontece de cometer erros. Quando você tem mais margem, as coisas chegam mais naturalmente. Esta não é a nossa situação, é a que os outros têm e cabe a nós trabalhar para alcançá-los “, afirmou Vettel.