09/02/19

Em 2021, F1 terá uma revolução nas regras

Andy Green, diretor técnico da Racing Point, destaca que a nova regulamentação que será introduzida em 2021 será a maior revolução na Fórmula 1 desde a entrada do efeito solo. Ele comentou que as mudanças de 2019 não terão nada a ver com o que será visto em dois anos.

Os carros terão nesta nova temporada asas dianteiras e traseiras, dutos de freio e laterais simplificados, numa tentativa de evitar tantas diferenças no desempenho entre as equipes. O engenheiro britânico comentou que as mudanças neste ano não têm nada a ver com o regulamento que será introduzido em 2021. E classificou as novas regras como a maior revolução aerodinâmica da história da categoria.

“Em 2021 teremos o maior mudança aerodinâmica da história. Algo como o que aconteceu quando desapareceu o efeito solo. Eu não posso esperar para vê-lo. As mudanças de 2021 não têm nada a ver com as mudanças de 2019. É algo completamente diferente”, disse à Autosport.com, portal britânico.

O efeito solo foi introduzido pela equipe Lotus em 1977, marcando uma nova era na Fórmula 1. Colin Chapman e o aerodinâmicista Peter Wright acharam a chave por acaso, criando níveis sem precedentes de carga no Lotus 78.

A idéia principal para a temporada 2021 é introduzir mudanças que melhorem o show, mas também o aspecto visual da Fórmula 1. Para isso, a categoria desenvolveu três modelos diferentes que foram testados no túnel de vento com a colaboração dos 10 equipamentos

“Nem tudo vai dar certo, mas é um grande passo na direção certa, acho que os carros de 2021 são um conceito totalmente diferente. Não posso esperar, vai ser ótimo, os carros de 2021 eu acho que farão uma grande diferença na competição e no mundo das corridas, será um grande passo de onde de estamos agora”, concluiu Green.