26/03/19

Em 2020, a FIA vai reduzir a queima de óleo

A FIA informou às equipes sobre uma nova redução do limite e repressão mais rigorosa à queima de óleo, em vez de gasolina, para aumentar a potência do motor, na temporada de 2020.
A era híbrida teve uma grande limitação no uso de combustível, por isso alguns fabricantes viram na queima de óleo um grande aliado para melhorar seu desempenho. Logo a FIA percebeu e decidiu parar essas práticas.
Atualmente, o consumo de petróleo é limitado a 0,6 litros por 100 quilômetros. Além disso, para este ano, foram introduzidos novos controles de peso dos carros, antes e depois das corridas, para monitorar o consumo de combustível.
Apesar de todas essas medidas recentemente, a Federação acredita que os limites não são respeitados, então a partir de 2020, o limite será de meio, 0,3 litros por 100 quilômetros, de acordo com o portal norte-americano Motorsport.com.
Nikolas Tombazis, diretor da FIA, diz que tentar aumentar o desempenho através da queima de petróleo não é aceitável. “A questão do petróleo é simples, as regras dizem que o único combustível que pode ser queimado é a gasolina, o petróleo deve ser apenas um lubrificante. Sabemos que há consumo de petróleo, mas em alguns casos isso pode ajudar no desempenho e não vemos que isso seja a coisa certa a se fazer. Nós intervimos e reduzimos o consumo de 0,6 litros por 100 quilômetros, mas para o próximo ano, queremos diminuir ainda mais. Com esse consumo baixo, fica claro que não há necessidade de um tanque auxiliar na qualificação, essa a novidade de 2019 “, disse Tombazis para finalizar.
Em particular, as equipes não podem mais adicionar óleo ou transferir óleo de um tanque auxiliar para qualquer parte do sistema de lubrificação durante a qualificação.
As equipes foram informadas de que a FIA baseará o consumo de óleo em qualquer distância feita como um múltiplo de uma volta para garantir que não estejam queimando mais óleo durante fases específicas do evento.