06/04/19

Brawn: Bahrein foi alerta para a Mercedes

O chefe esportivo da Fórmula 1, Ross Brawn, acha que o Bahrein serviu como um “alerta” para a Mercedes, depois de sua fortuita dobradinha. O dirigente afirma que a Mercedes fez a dobradinha e ampliou sua liderança na tabela de pilotos e construtores, apenas devido aos infortúnios da Ferrari. Charles Leclerc vencia a corrida, antes de cair para o terceiro lugar, com um problema de motor, enquanto Sebastian Vettel rodou com o SF90 durante uma batalha com o atual campeão Lewis Hamilton.
A Scuderia dominou todo o final de semana da corrida e Brawn acredita que o ritmo é uma mensagem forte à Mercedes, que domina o esporte desde o início da era turbo-híbrida em 2014.
“Se você consegue duas dobradinhas nas duas primeiras corridas, deve estar no sétimo paraíso, acreditando que deu um duro golpe nas esperanças de seus rivais. No entanto, no domingo, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, admitiu abertamente que, apesar de ter terminado um pouco inesperadamente à frente dos demais em Melbourne, praticamente sem contestação, seria uma história muito diferente no Bahrein. Se não fosse pela perda de potência de Leclerc, Hamilton não teria chance de atacar a Ferrari, nem Bottas teria terminado em segundo. A Mercedes está ciente da situação real e eles têm que lutar contra uma Ferrari muito competitiva este ano. Se você ganhou tudo desde 2014, há o risco de descansar nos louros, mas o Barein terá sido uma chamada de alerta que não será ignorada”, comentou Brawn.
O dirigente da Liberty Média ficou muito impressionado com o desempenho de Leclerc e previu que o jovem de 21 anos voltará ao topo muito em breve.
“A F1 pode ser um esporte realmente cruel. No Bahrein, depois de ser o mais rápido em quase todas as etapas do fim de semana – com a exceção de um curto período após o início da corrida, Charles Leclerc estava vivendo o sonho. Mas então, faltando apenas algumas voltas, sua unidade de potência começou a falhar, ele desacelerou e ambas as Mercedes passaram por ele. Foi um golpe devastador tanto para o piloto quanto para o time, mas especialmente para o Charles. No entanto, sua queda para o terceiro lugar não tira o que foi uma performance brilhante do talentoso jovem monegasco. A maneira como ele recuperou a liderança depois de algumas voltas; a habilidade com a qual ele usou seus pneus no que era uma corrida particularmente difícil devido às condições arenosas e tempestuosas, foi majestosa. Eu também gostei de como ele estava envolvido em lidar com o que aconteceu no final da corrida. Isso mostrou uma grande maturidade, uma característica que vai ajuda-lo bastante”, completou Brawn.