14/04/19

Binotto defende ordem de equipe da Ferrari

Mattia Binotto defende as ordens dadas pela Ferrari no Grande Prêmio da China. O chefe da equipe de Maranello alegou que Sebastian Vettel era “mais rápido” do que Charles Leclerc, então eles não hesitaram em liberá-lo para tentar caçar a Mercedes. Binotto, insiste que a decisão de trocar seus pilotos de posição não foi feita para beneficiar Sebastian Vettel.
“Sebastian era um pouco mais rápido e fizemos todo o possível para que eles pudessem manter o ritmo. Nós demos a Sebastian uma chance de ver se ele poderia fazer isso, ele não foi capaz de fazer isso, mas nós tentamos”, justificou.
“Temos que fazer melhor, isso significa que temos que desenvolver o carro, ver o que fizemos neste fim de semana e ser mais fortes nas próximas corridas”, acrescentou Binotto.
O chefe da Ferrari ressalta que duas semanas atrás eles mostraram um bom ritmo no Bahrein, a temporada é longa e a chave é manter a linha de trabalho e não cair na histeria. O carro é muito parecido com o que tínhamos há duas semanas, nosso carro era o pacote mais forte – no Bahrein – e agora simplesmente temos que continuar trabalhando como temos feito. É uma temporada muito longa, agora temos 18 corridas para melhorar o carro, entender onde estão seus limites e eliminar qualquer problema que possa surgir”, afirmou Binotto.
“Eu entendo o sentimento de Charles, é uma pena para ele”, disse o chefe da Ferrari à Sky Sports F1. “Mas nessa fase da corrida as Mercedes estavam um pouco mais rápidas, acho que simplesmente tentamos dar a Sebastian uma chance e ver se poderíamos ter igualado o ritmo da Mercedes, que era fundamental naquele estágio da corrida. Não era para dar uma vantagem ao piloto apenas, mas, como um time, estávamos tentando o que podíamos. O estágio inicial foi um momento importante da corrida. Acho que se Charles está chateado, ele está certo em ficar chateado, e devemos aceitar isso. Acho que é uma pena para ele e, da próxima vez, talvez ele seja o beneficiado. ”
Charles Leclerc diz ter entendido a explicação da Ferrari para o uso de ordens de equipe, aceitando que “não é uma situação fácil” para gerenciar. Correndo em terceiro, Leclerc foi informado na 10ª volta para deixar o companheiro Sebastian Vettel passar para tentar fechar a diferença de seis segundos para os dois pilotos da Mercedes antes de se afastar uma volta depois.
Depois de ouvir uma explicação dos engenheiros da Ferrari o piloto francês deu sua opinião sobre a decisão:
“Obviamente, tivemos a reunião. Não foi uma situação fácil. Eu estava obviamente lutando com pneus. Nós dois estávamos. Mas na hora, parecia que Seb era mais rápido. Obviamente, por ficar atrás de mim por algumas voltas, ele também danificou seus pneus, e quando ele foi na frente, seus pneus provavelmente também foram danificados.”
Perguntado se ele estava satisfeito com a explicação da Ferrari, Leclerc disse: “Sim. Quero dizer, sim.
Vettel preferiu voltar sua atenção o trabalho da imprensa:
“Eu sabia no momento em que estava acontecendo que teria que enfrentar essas questões. Eu não tenho certeza se quero responder porque sou um pouco contra o modo como vocês, todos vocês, trabalham porque vocês tiram pedaços das respostas aqui e ali e colocam no foco errado. Então, se você me perguntar de novo em meia hora no paddock, talvez eu lhe dê uma resposta direta e você não a escreva”.