05/02/19

Baku renova o contrato com a F1 até 2023

O circuito de Baku anunciou a renovação do contrato com a Fórmula 1 para receber o Grande Prêmio do Azerbaijão até 2023.
O ministro do Esporte e Juventude do Azerbaijão, Azad Rahimov, e o presidente da F1, Chase Carey, assinaram hoje em Baku a extensão do seu acordo durante uma conferência sobre os benefícios da realização de grandes eventos esportivos, organizada pelo próprio circuito.
A renovação foi acordada antes da data de expiração do contrato anterior e é a primeira assinada em 2019. Bélgica, China, Alemanha, Japão e Cingapura renovaram o contrato durante os dois anos anteriores.
Baku está no calendário da F1 desde 2016. O circuito está localizado ao longo das margens da cidade e mergulha no centro histórico, classificado como Património Mundial pela UNESCO. Em 2017 e no ano passado, Baku foi escolhido pelos fãs como a melhor corrida do ano.
“Estamos muito satisfeitos por ter renovado este acordo, o que significa que o GP do Azerbaijão estará no calendário F1 por muitos anos. Em suma, esta corrida se tornou uma das mais populares da temporada, sempre com disputas espetaculares. A República do Azerbaijão recebe de uma excelente maneira todos da F1 e Baku, tão bonita, é um cenário deslumbrante para o maior show de corridas do mundo. Todos os fãs do nosso esporte devem anotar em seu diário a data de 2019 GP do Azerbaijão, em 28 de abril “, disse Carey.
“Este é um dia de orgulho para todos nós. Os últimos anos têm sido um sonho tornado realidade para o povo de Baku, vendo nossa corrida fim de semana crescer a partir de uma ideia simples para uma das corridas mais emocionantes e dramáticas na história da F1. Nós já promovemos alguns dos momentos mais emblemáticos no esporte. Além disso, a cada ano, vemos mais fãs em todo o mundo assistirem a corrida. Este novo acordo permitirá a nossa corrida conseguir mais receitas comerciais, graças a mais atividades envolvendo os fãs e um patrocínio novo para vincular nossos negócios locais e regionais à plataforma global da F1”, destacou o ministro Azad Rahimov.