19/03/19

As novas regras não alteram ultrapassagens

Para tentar melhorar as estatísticas de ultrapassagens, que no ano passado caíram quase 50%, a Fórmula 1 introduziu neste ano alterações normativas para incentivar os carros a serem menos sensíveis à turbulência.

E, de acordo com uma boa parte dos pilotos do grid, os regulamentos tiveram um impacto positivo na competição, embora não sejam suficientes para facilitar as ultrapassagens.

Romain Grosjean dá uma pista sobre a possível causa, que de acordo com o francês está na propensão a superaquecer os pneus Pirelli. “As novas regras aerodinâmicas facilitam seguir outro carro, isso é bom. Mas os pneus ainda estão superaquecendo assim que você aperta, então é muito, muito difícil de ultrapassar. Você perde aderência e não consegue chegar perto o suficiente. O próximo passo é ter pneus mais robustos para ter uma melhor competição “, recomendou o piloto da Haas.

Max Verstappen admite que agora é mais fácil abordar o carro da frente, mas o efeito que ele considera realmente palpável é o DRS, que este ano teve seu tamanho aumentado em 25% (de seis a oito centímetros de abertura do spoiler traseiro).

“Eu tive a oportunidade (de ultrapassar), mas ainda custa muito. O positivo é que o efeito do DRS melhorou. Assim que abrimos, é muito mais poderoso que no ano passado, mas perseguindo outro carro ainda há muita turbulência “, disse o holandês.

Lewis Hamilton se limitou a afirmar que não houve “nenhuma diferença”, mas o fato é que o britânico só correu ao lado de Valtteri Bottas nas primeiras voltas da corrida, fazendo o resto do Grand Prix com ar limpo.