08/11/18

Agora, a briga na pista é pelo dinheiro

Depois de decidido o título dos pilotos, com Lewis Hamilton coroado pentacampeão no México, as atenções da Fórmula 1 se voltam, agora, para a disputa entre as construtoras. E a briga é pelo dinheiro que a FIA distribui em forma de bônus às equipes participantes do campeonato.

A Mercedes lidera a batalha, com 55 pontos à frente da Scuderia, e poderá garantir a conquista já no Brasil. A única esperança da Ferrari de levar a decisão para Abu Dhabi é conseguir uma vantagem de 13 pontos sobre a concorrente, em Interlagos.

A importância distribuída corresponde a 68% do faturamento da detentora dos direitos comerciais da categoria e a diferença entre a primeira e a segunda classificada é de 10 milhões de libras, cerca de 50 milhões de reais. A equipe campeã recebe 20% do total e a última colocada, 4%.

A distribuição dessa cifra segue alguns fatores, tais como desempenho durante o ano, histórico nas temporadas passadas e acordos especiais.

A primeira etapa da distribuição se dá pelo número de participações nos últimos três anos e a Renault, por ter comprado a vaga da Lotus, herdou essa premiação. A segunda etapa da distribuição é pela classificação do campeonato no último ano. A última etapa é a distribuição de bônus.

A Ferrari, por ter disputado todos os campeonatos é a primeira a receber e tem uma participação especial de 2,5%.  A equipe italiana também recebe outra quantia, juntamente com a Mercedes, Red Bull e McLaren, por estarem entre as quatro melhores equipes desde 2013, ano em que o acordo foi assinado. O terceiro e último é um bônus extra com motivos específicos.

As equipes recebem seus pagamentos em uma série de 10 parcelas e o pagamento final é feito  em março do ano seguinte.

Em 2016, a distribuição da FIA foi a seguinte:

1º – Ferrari – R$ 554 milhões

2º – Mercedes – R$ 527 milhões

3º – RBR – R$ 517 milhões

4º – McLaren – R$ 298 milhões

5º –  Williams – R$ 243 milhões

6º – Force India – R$ 236 milhões

7º  – STR – R$ 181 milhões

8º – Renault – R$ 160 milhões

9º – Sauber – R$ 151 milhões

10º –  Haas – R$ 58 milhões

Em 2017 a premiação total foi de 940 milhões de dólares e a distribuição se deu dessa forma:

1º – Ferrari – U$180 Mi

2º –  Mercedes – U$171 Mi

3º – Red Bull – U$161 Mi

4º – McLaren – U$97 Mi

5º – Williams – U$79 Mi

6º – Force India – U$72 Mi

7º – Toro Rosso – U$59 Mi

8º – Renault – U$52 Mi

9º – Sauber – U$49 Mi

10º – Haas – U$19 Mi