25/04/19

Abandonado plano de GP no centro de Miami

Tom Garfinkel, diretor executivo do time de futebol americano Miami Dolphins e promotor de um possível Grande Prêmio de Fórmula 1 em Miami, confirmou que a ideia de construir um circuito no centro da cidade foi finalmente descartada. O Miami Herald relatou que os organizadores da prova e a Liberty Media “decidiram mutuamente cancelar” os planos da Fórmula 1 porque a perturbação na cidade “seria grande demais”.
Depois de uma reunião importante há duas semanas, o empresário americano explicou que a montagem e depois a desmontagem de um Grande Prêmio é insustentável para os negócios da cidade de Miami.
“Queremos fazer algo grandioso para Miami, mas infelizmente quando finalmente recebemos o relatório detalhado de tudo o que é necessário para construir um circuito urbano todos os anos, as várias semanas de tráfego constante … Vimos que seria de grande impacto para as pessoas e negócios em Biscayne Boulevard “, disse ele ao jornal American Herald.
No entanto, Garfinkel e a Fórmula 1 já pensam em novas alternativas para sediar uma corrida no sul da Flórida. Uma delas é colocar o GP ao lado do famoso Hard Rock Stadium (foto).
Os organizadores dizem que essa mudança seria menos prejudicial para os cidadãos e muito mais benéfica no aspecto econômico. Na verdade, eles sugerem que a F1 poderia mover o mesmo dinheiro que o lendário Super Bowl.
“Com a chegada de 70% dos torcedores estrangeiros e um evento que dura uma semana inteira, a Fórmula 1 poderia ter o mesmo impacto econômico que o Super Bowl”, disse ele.
Os detalhes de quando e como essa ideia se desenvolverá ainda são desconhecidos, mas a Fórmula 1 tornaria o Hard Rock Stadium o único local que já sediou eventos de futebol americano, concertos, futebol, tênis e esportes motorizados.
O funcionário dos EUA admitiu que não é um plano simples. No entanto, ele detalha que seria uma corrida sem precedentes com um grande número de participantes do público.
“Muito tem que acontecer para podermos fazer isso, mas temos mais de 100 hectares disponíveis. ”
Fazer uma corrida de Fórmula 1 com o Hard Rock Stadium e o Miami Open significaria um circuito de classe mundial sem afetar o resto do mundo. Nós só queremos fazer isso se pudermos criar um evento de classe mundial, uma ótima experiência para os fãs e muito valor para Miami”, disse Garfinkel.