29/04/19

A imprensa italiana volta a detonar Vettel

A imprensa italiana começa a ficar cansada do desempenho de Sebastian Vettel nesta temporada, que se junta a um segundo semestre de 2018 para esquecer.
“Sebastian Vettel tornou-se um campeão de regularidade, para melhor ou pior, no sentido de que não se arrisca a nada e se conforma com os pontos, talvez até pensando sobre a lição aprendida no ano passado. Melhor a pontuação do que terminar fora da corrida “, diz ‘La Repubblica’ nesta segunda-feira.
No mesmo sentido se pronuncia ‘Il Giornale’, indicando que “Vettel e Leclerc, especialmente o primeiro, poderia ter feito mais para tentar ganhar o primeiro Grand Prix nesta temporada.”
Mais comedida foi a análise do ‘La Gazzetta dello Sport’: “Sebastian Vettel não foi tão explosivo. Seu pódio foi um pequeno consolo. No final, em vez de atacar o par de Mercedes, estava mais atento ao Verstappen em seus espelhos”, censura o jornal.
E Vettel reconhece que não está nos seus melhores momentos.
“Bom, nós precisamos de um ritmo mais forte, simples assim. Nós precisamos ser mais rápidos. Estou convencido de que parecemos, em parte desse fim de semana, muito fortes no geral, mas não o bastante. Especialmente em um lugar como este, você precisa de confiança no carro. Ainda não estou lá. Sinto que não estou pilotando no meu melhor, porque simplesmente o carro não responde ou não responde como eu quero. E aí acho que não é natural. Acho que acontece com todo mundo. Acho que todos os pilotos conhecem essa sensação: quando não está, normalmente seu julgamento está certo, para não tentar porque você acaba perdendo o carro. Então, sim, pareço ser mais sensível nas primeiras corridas do que no teste”, admitiu.
O alemão reconheceu que a Ferrari não pode mais se basear na performance exibida na pré-temporada e precisa mostrar performance imediatamente.
“O teste foi realmente bom, mas isso já faz muito tempo. Nós precisamos olhar para a frente e melhorar a maneira como lidamos com as coisas, a maneira como trabalhamos para sermos mais rápidos. É isso”, concluiu.
Após a corrida, Mattia Binotto, chefe do time, reconheceu que a atuação de Sebastian Vettel e Charles Leclerc não correspondeu à expectativa.

“Nossa performance não correspondeu à expectativa hoje. A classificação não saiu como queríamos e, nesta pista, as posições no grid fazem uma grande diferença, pois começar de trás torna tudo mais difícil. Na corrida, não houve períodos de safety-car para tirarmos vantagem, o que poderia ter jogado a nosso favor contra nossos rivais”, ponderou.
Ainda assim, Binotto elogiou a “performance sólida” de Vettel, que ficou com o terceiro posto, e ressaltou a boa prova de recuperação de Leclerc.
“Sebastian produziu uma performance sólida, sempre perto dos dois líderes e ele mereceu completamente terminar no pódio. Charles fez uma ótima corrida, escalando o pelotão depois de perder algumas posições na largada, porque foi mais difícil para ele colocar os pneus médios na temperatura do que foi para aqueles com os pneus macio. Hoje, o nosso ritmo não foi bom o bastante e nossos rivais foram mais rápidos. Temos de ir para casa, identificar os pontos fracos e melhorar nosso modo de trabalhar para fazermos escolhas mais agressivas e voltar para onde devemos estar”, concluiu Binotto.