26/03/19

A Ferrari conta com os efeitos das correções

Mattia Binotto, diretor técnico da Ferrari, espera que a revisão completa realizada no SF90 após a discreta corrida da Austrália, tenha efeitos no GP do Bahrein, neste fim de semana.
A equipe italiana chegou em quarto e quinto no GP da Austrália, depois de liderar os tempos nos testes de pré-temporada e ser considerada a favorita antes de Melbourne. Seus pilotos Sebastian Vettel e Charles Leclerc reclamaram por não terem a mesma aderência e confiança na Austrália que tiveram durante os testes na Espanha.
Comentando as expectativas para o fim de semana no Bahrain, Mattia Binotto, chefe da Ferrari, disse que é importante se recuperar na segunda etapa de uma “temporada muito longa e exigente”.
“O circuito de Sakhir possui características bem diferentes do australiano, com a tração e as freadas sendo fatores decisivos. No Bahrain, teremos de assegurar que entendemos e corrigimos as áreas onde fomos fracos na Austrália, significando que não conseguimos explorar totalmente o potencial do nosso carro. No Bahrain, esperamos ver o efeito das correções que fizemos, apesar de estarmos cientes de que nossos competidores serão muito fortes novamente. Com isso em mente, queremos voltar aos trilhos e enfrentá-los”.
Sebastian Vettel diz que, do ponto de vista do piloto, o nível de dificuldade do circuito é normal. De qualquer forma, é difícil encontrar o ritmo certo no deserto, especialmente por causa da areia que sopra o vento na direção da pista. Isso faz com que cada rodada seja diferente, o que pode ser um fator decisivo, especialmente na classificação. Se você mover alguns centímetros da linha ideal, começa a deslizar e pode jogar seu giro no lixo, porque você não pode mais compensar o tempo perdido. “