17/05/19

Zandvoort anuncia mudanças para facilitar ultrapassagens

Grande parte da reação ao retorno de Zandvoort e do Grande Prêmio da Ho-landa no calendário da Fórmula 1 em 2020 foi esmagadoramente negativa, segundo comentarista do site racersfans.net. Ele lembra que os méritos de Zandvoort como um local de F1 são óbvios: tem décadas de história, curvas como Tarzan e Scheivlak, e a expectativa de 90.000 fãs de Max Verstappen criando uma atmosfera para rivalizar com Monza. No entanto, ressalva, tudo isso nada conta para alguns. “Desde o primeiro retorno da pista, um único re-frão tedioso foi ouvido inúmeras vezes: “Não haverá ultrapassagens”.
Os organizadores do Grande Prêmio da Holanda, todavia, esperam as mudan-ças no circuito contribuam para aumentar as oportunidades de ultrapassagem em Zandvoort. A alteração na variante à direita de Arie Luyendyk, que leva à curva do Tarzan, está entre uma série de revisões que foram planejadas para a pista. As mudanças incluem também uma nova forma para o grampo Huge-nholtz, atrás dos boxes, que permaneceu essencialmente inalterado desde a abertura da pista em 1948.
O diretor esportivo do GP holandês, Jan Lammers, que corre em Zandvoort desde a adolescência, está convencido de que as mudanças farão uma corri-da melhor.
“A curva 3 terá uma maior área de escape. A curva 4 e o grampo Hugenholtz subindo a colina, terão um interior mais largo, para tornar a curva mais fluida, por isso não será uma curva “para e sai”. A mesma coisa acontecerá com a chicane ou com o Hans Ernst Bocht. O Arie Luyendyk Bocht será um pouco mais como Indianápolis. Vai ter tal forma que você pode sair com o DRS aber-to, e desta forma esperamos encorajar mais ultrapassagens para a curva Tar-zan. Com uma inclinação de 17 graus, a curva terá o mesmo caráter que a úl-tima no Brasil”, disse Lammers ao Motorsport.com
Espera-se que a pit lane curta de Zandvoort encoraje as equipes a fazerem mais pit stops do que costumam fazer, porque o custo de parar será menor do que na maioria das pistas, onde, por exemplo, a entrada é anterior à última curva e as paradas demoram mais.
“A outra grande mudança para melhorar as ultrapassagens será a entrada no box”, acrescentou Lammers. “Isso será mais rápido. Teremos pit stops de má-ximo 14 segundos. Se fizermos isso, esperamos poder criar estratégias de três pit stops. E como todos sabemos, são o pit stops e o confronto de pneus velhos contra pneus novos, que criam a ultrapassagem. É por isso que a filosofia em torno do pit lane mudou. Além disso, a linha da largada/chegada está se mo-vendo um pouco para frente, em direção a Tarzan, para garantir que em frente à tribuna principal se possa ver todo o campo.”

Nota: a curva Tarzan leva esse nome em lembrança do jardineiro dono da área onde ela foi construída, que tinha esse apelido, por causa do seu físico. Ele só concordou em ceder o terreno depois da promessa de que a curva teria seu nome.