27/10/19

Verstappen é punido e perde pole para Leclerc no México

Max Verstappen, da Red Bull, foi punido por ignorar bandeiras amarelas, perdeu a pole position para Charles Leclerc, e vai largar da quarta posição no GP do México, a ser disputado amanhã, a partir das 16 e 10, no horário de Brasília, com transmissão do canal 38 do SportTV.

O jovem holandês não desacelerou, mesmo tendo visto as duas bandeiras amarelas provocadas por acidente com Valtteri Bottas, da Mercedes, na entrada do terceiro setor. Além da perda da posição, o piloto teve dois pontos anotados na carteira, a mesma punição que sofreu no GP da Rússia do ano passado, também por não respeitar bandeiras amarelas.

Verstappen ignorou as bandeiras amarelas, implantadas por causa do acidente de Bottas, que errou a freada na entrada da última curva e fez o tempo de 1m14s768, que era um novo recorde da pista, mas que não será considerado. Charles Leclerc, também no minuto final da Q3, tinha garantido a segunda posição na primeira fila, com 1m15s024, a 0s296 de Verstappen. Sebastian Vettel, com 1m15s170, passa ao segundo lugar da primeira fila e Lewis Hamilton, com 1m15s262, sobe para 3º.

A Q1 começou com a temperatura ambiente de 19graus e de 35 graus na pista. Os primeiros a sair, como sempre, foram os dois carros da Williams, seguindo a estratégia da equipe de aproveitar a pista limpa para tentar um bom resultado. Russel fez 1m 33s452 na primeira volta lançada e 1m19s547 na segunda. Kubica marcou 1m20s313, antes de fazer seu tempo definitivo de 1m20s179.

Os carros da zona intermediária demoraram quatro minutos para sair. Antes de escapada de Grosjean na primeira curva, que provou bandeira amarela no primeiro setor, Kvyat fez 1m17s921; Raikkonen, 1m17s656; Sainz, 1m17s653 e Alexander Albon assumiu a ponta com 1m16s175, seguido de Bottas, com 1m17s062.

Vettel foi para a pista aos 5 minutos de treino, pouco antes da bandeira amarela e assumiu a liderança da etapa com 1m16s859. Logo, porém, foi superado por Charles Leclerc, com 1m16s692, tempo superado por Hamilton, que na única volta lançada fez 1m16s424. Em seguida, Max Verstappen surpreendeu com o tempo de 1m15s949, seguido por Albon, com 1m16s175 e Leclerc, com 1m16s364.

Foram eliminados Stroll, Magnussen, Russell, Grosjean e Kubica.

As três equipes líderes começaram a Q2 com pneus médios, indicando que estes serão os que usarão na largada de amanhã, até para evitar as granulações mostradas pelos macios nos treinos de sexta-feira. Nos primeiros minutos, Kvyat fez 1m17s712; Gasly, 1m18s129 e Sainz, numa volta negativa ficou em 1m25s399. Na sua primeira tentativa, Hamilton fez 1m 16s581, logo superado com folga por Vettel, com 1m15s914. E o inglês acabaria caindo para a 5ª colocação, atrás também de Verstappen (1m16s136), Leclerc (1m16s219) e Bottas (1m16s398).

Nos três minutos finais, a Ferrari e Red Bull passaram aos pneus macios, mas não melhoraram suas marcas, e a Mercedes, que continuou com os médios, tomou a liderança, com Hamilton fazendo 1m15s721 e Bottas 1m15s852. Sainz, que era 11º, tomou o lugar de Ricciardo, que acabou entre os cinco eliminados, atrás de Perez e Hulkenberg e seguido por Raikkonen e Giovinazzi.

Na Q3, os primeiros a irem para a pista foram os McLaren, com Lando Norris, seguido de Sainz e dos dois carros da Toro Rosso, todos jogos usados de pneus macios. Dois minutos depois, entraram os líderes, com pneus macios novos. Já nas primeiras tentativas, Verstappen obteve a pole provisória, com 1m14s910, enquanto Leclerc ficava em 2º, com 1m15s024, e Vettel em 3º, com 1m15s170. Antes da parada geral, Hamilton já era o 4º, com 1m15s290; Albon, o 5º, com 1m15s336 e Bottas o 6º, com 1m15s338.

Todos os carros voltaram à pista quando faltam dois minutos para o final da sessão e Bottas foi dos primeiros a tentar volta rápida. Ele melhorou um décimo no primeiro setor e mais um no segundo, mas perdeu o controle do carro na última curva, indo de encontro à barreira e provocando bandeira amarela no terceiro setor.

Com a bandeira, todos os pilotos tiraram o pé e Leclerc e Vettel abortaram a sua volta, mas Verstappen não fez isso e confirmou a pole com 1m14s768.

Antes da punição de Verstappen, a classificação era esta:

Posição Piloto Equipe Tempo
Max Verstappen Red Bull 1m14s768
Charles Leclerc Ferrari 1m15s024
Sebastian Vettel Ferrari 1m15s170
Lewis Hamilton Mercedes 1m15s262
Alexander Albon Red Bull 1m15s336
Valtteri Bottas Mercedes 1m15s338
Carlos Sainz McLaren 1m16s014
Lando Norris McLaren 1m16s322
Daniil Kvyat Toro Rosso 1m16s469
10º Pierre Gasly Toro Rosso 1m16s586
11º Sergio Perez Racing Point 1m16s687
12º Nico Hulkenberg Renault 1m16s885
13º Daniel Ricciardo Renault 1m16s933
14º Kimi Raikkonen Alfa Romeo 1m16s967
15º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo 1m17s269
16º Lance Stroll Racing Point 1m18s065
17º Kevin Magnussen Haas 1m18s436
18º Romain Grosjean Haas 1m18s599
19º George Russel Williams 1m18s823
20º Robert Kubica Williams 1m20s179

Mais de três horas depois da sessão de qualificação, a FIA tomou a decisão de rever vídeos, mensagens e telemetria, que mostraram claramente, segundo a entidade, que “o piloto tentou estabelecer uma volta significativa e não reduziu sua velocidade no setor com bandeira amarela, como exige o apêndice H do artigo 2.4.5.1 b e o artigo 12.1.1 do código Esportivo Internacional da FIA”. A norma impõe que os pilotos são obrigados a levantar o pé ante uma situação de perigo e Max foi o único que não fez isso.